segunda-feira, 17 de abril de 2017

E o América não ganha nada com isso

Elenílson à esquerda, no América
Temos que reconhecer que depois de longos anos o América conseguiu emplacar alguns jogadores no exterior. Ao menos para teste. Estão em Portugal os velhos conhecidos da torcida Esmeraldina que prestaram serviços relevantes para o time nas últimas temporadas: Dentinho, Jackson e Yuri.

Mas essa semana apuramos que um outro jogador está envolvido em transação internacional lucrativa. Mas o América não vai ganhar nada com isso. 

Elenílson no Grêmio, onde se destacou
O jovem Elenílson, que defende o Grêmio de Porto Alegre desde o ano passado está em vias de ser negociado com um time da Europa. A torcida Americana fica feliz pelo jogador e é mais um exemplo de que vestir a camisa Alviverde pode ser uma boa oportunidade para os garotos.

Mas existe uma parte da história que nos deixa tristes. Elenílson esteve presente na campanha do sub-20 em 2015, que nos levou ao vice campeonato. Ele jogou 11 das 18 partidas disputadas pelo clube no certame. Ele também foi à Copa São Paulo no começo de 2016, onde atuou em todas as partidas do clube na competição. Nessa ocasião a atuação de Elenílson despertou a atenção do clube de Porto Alegre.

O problema é que o América não vai ganhar nada com isso. Pela lei o América poderia se beneficiar em alguma coisa com a transação, mas o clube abriu mão do jogador e desta forma perdeu seus direitos!

Lamentável, não apenas pela questão financeira, mas pelo simbolismo da formação e revelação de atletas. Algo que gerou muitos conflitos nos últimos anos e até prejudicou o trabalho do clube.

Lamentável.

sábado, 15 de abril de 2017

História que desperta dúvidas

Richar Vilar. Foto: Diego Salgado/UOL Esportes
Nos últimos dois dias o América foi coadjuvante de uma história que desperta suspeitas muito sérias de situações bem conhecidas do mundo do futebol.

Um jovem aspirante a goleiro, boliviano, chamado Richar Vela, foi assediado por um agente de futebol com a promessa de jogar no Corinthians. Se mal entendido ninguém pode dizer, mas o fato é que o jovem boliviano criou a expectativa de passar pelo famoso time alvinegro e acabou mesmo foi treinando no Corinthians de Presidente Prudente. O agente, chamado Wellington mas também conhecido como "Renato", cobrou cerca de R$ 12 mil reais à família de Richar e trouxe o jovem goleiro para o interior de São Paulo. A notícia foi divulgada ontem e ganhou repercussão. O mais curioso é que o final da história envolvia o América. Wellington afirmou que o jogador e sua mãe estavam viajando para Recife a fim de integrar o time Esmeraldino!

Ontem, contactamos a direção Alviverde que não tinha notícia do caso e nem confirmava qualquer acerto.

Mas hoje pela manhã tivemos notícia de que o senhor Wellington havia feito um acordo com Sílvio Nascimento. O agente devolveu o dinheiro à família do jogador, e o América se comprometeu em ajudar Richar a obter seus documentos e ainda passar por uma fase de teste essa semana no clube, que está em fase de preparação e formação para a disputa da série D. Richar já está na concentração Alviverde em Olinda junto com sua mãe. Segundo o próprio Sílvio, o agente pediu um favor e em retribuição foi pedido a devolução do dinheiro à família.

Em primeiro lugar, Richar ganhou mais um fôlego de esperança. Ao menos vai tentar organizar sua situação no Brasil e ainda terá uma chance de provar que tem talento e pode se profissionalizar. Mas o melhor, a situação dele foi divulgada e o esmero do jornalista que divulgou essa história diminuiu o risco de um prejuízo maior para o jogador e sua família.

Por fim, mais uma vez o América é envolvido em uma história tenebrosa de transações suspeitas. A mais notória foi descoberta pelo Blog do Mequinha, que noticiava uma parceria com o Sporting de Portugal em 2011 até receber denúncias que foram repassadas para as diretorias de ambos clubes. É bom que os Americanos fiquem de olho com essas histórias que só envolvem pessoas com intuitos muito duvidosos e que usam as expectativas das pessoas para se dar bem.

sexta-feira, 14 de abril de 2017

AMERICA'S OLD PLAYERS: O ATACANTE CHINA

A seção America’s Old Players está de volta e desta vez vamos falar sobre um atacante que vestiu a camisa do América do Recife nos anos 1960. Nascia na cidade de Goiana na Zona da Mata Norte do estado de Pernambuco em 1 de setembro de 1941 o atacante Edson Fernandes Almeida, mais conhecido pelo nome de China.
         China começou sua carreira profissional no Náutico no ano de 1959 e foi destaque na campanha que levou o clube alvirrubro à conquista do Campeonato Pernambucano de 1960, no qual venceu o Santa Cruz por 1x0 e 2x1 nas finais. Adquirido pelo Palmeiras, China disputou por esta equipe o Campeonato Paulista de 1961, vindo a se sagrar vice-campeão após perder o título para o Santos.
Náutico campeão de 1960. China é o quarto agachado.
         No ano de 1962, China foi contratado pelo Botafogo de Ribeirão Preto/SP, clube pelo qual disputou o Paulistão daquele ano, terminando em um honroso sexto lugar, atrás apenas dos “Quatro Grandes” e da Portuguesa.
        De volta ao Náutico, China conquistou os títulos de campeão pernambucano pelo clube de Rosa e Silva em 1963 (artilheiro do campeonato com 18 gols), 1964 e 1965, os primeiro da sequência do hexacampeonato. Ainda em 1965, China foi contratado pelo América do Rio de Janeiro, que fez um ruim Campeonato Carioca, pois, ficou em penúltimo lugar, a frente apenas da Portuguesa da Ilha do Governador.
China (o terceiro agachado) campeão no Náutico em 1963
         Em 1966, China retornou ao Náutico para ajudar o clube a conquistar mais um título da sequência do hexacampeonato. O Esporte Clube Bahia foi a casa do atacante China de 1967 a 1968 e com a camisa do tricolor baiano, conquistou o titulo de campeão estadual de 1967, marcando o gol do título após a vitória por 1x0 em cima do Galícia.
China, campeão com o Bahia, em 1967
         China em 1969 estava mais uma vez em Pernambuco, mas desta vez para defender as cores do América do Recife. No clube esmeraldino, China terminou o campeonato em quinto lugar com 10 vitórias, três empates e 11 derrotas em 24 jogos. O Vitória da Bahia chamou China em 1970 para a disputa do Campeonato Baiano, que terminou coroando o Bahia como campeão.
         Em 1971 e 1972, China vestiu a camisa do São Domingos de Maceió, time no qual recebeu por parte da Revista Placar e da Associação dos Cronistas Desportivos de Alagoas o prêmio de melhor jogador do Campeonato Alagoano de 1971 após terminá-lo como artilheiro com 16 gols marcados. O São Domingos de forma brilhante venceu o primeiro turno do Campeonato Alagoano após bater o CRB por 2x1, mas sucumbiu à camisa do CRB e do CSA no supercampeonato. Em 1972 o São Domingos venceu o terceiro turno, mas, novamente decepcionou nas finais. Em 1973, China revezou o cargo de treinador e jogador do São Domingos, que terminou o campeonato em terceiro lugar.
China (o segundo agachado) no São Domingos de Maceió

         Edson Fernandes Almeida, o China, faleceu em 2013 deixando saudades a inúmeros desportistas independentemente das cores defendidas.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

O América segue anunciando contratações

No dia de seu aniversário o América anunciou mais uma contratação para a disputa da série D.


O atleta contratado é Caio Silva, que foi um dos destaques do São Carlos pela Copa São Paulo esse ano, ajudando o time a chegar até às quartas de final. Caio Silva tem dezenove anos e chamou a atenção do diretor Sílvio Nascimento pelas características modernas de um atacante que possui. A versatilidade do jogador pode ser uma ferramenta na composição do time que está sendo montado.

A diretoria de futebol do América ainda pretende fazer mais algumas contratações e para isto está de olho em diversas competições pelo Brasil. Em breve, também haverá o anúncio do treinador, que no momento está participando de outra competição e deve assumir os trabalhos assim que estiver livre dos seus atuais compromissos.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Nosso ano 103



O que nos aguarda no nosso 103º aniversário?

O ano de 2017 começou com muitas dificuldades. Nada muito diferente do que estamos acostumados a passar. Mas esse ano ele se revestiu de momentos dramáticos. Desde o ano passado aquela estrutura que estávamos acostumados a ver foi se acabando. Reflexo de diversas conjunturas. Agora em 2017 o resultado foi não avançarmos para a fase final do PE 2016. Embora também não tenhamos conseguido em outras edições, mas em 2017 a situação foi especial. Ao final da competição o clube já se encontrava em uma profunda crise financeira. Aos jogadores e diretoria devemos até uma salva de palmas pelo esforço e compreensão da situação. Eles não se abdicaram do compromisso com a história Alviverde e evitaram o pior, que seria o rebaixamento.

Mas há esperança e melhores cenários nos aguardando.

Desde o fim do campeonato pernambucano a nova diretoria de futebol do América tem feito contratações para a disputa da série D. O time vem se renovando completamente e investindo em jovens revelações. Muitos com idade para disputar o sub20 e que deverão figurar na campanha do campeonato estadual da categoria esse ano. Esse trabalho aumenta as esperanças para o nosso ano 103 e o nosso futuro.

Mas ainda pairam muitas dúvidas sobre os corações Alviverdes. O que vai acontecer nos próximos meses? Será que essa situação de dificuldades poderá ser superada com a retomada das relações políticas dentro do clube?

Essas dúvidas só serão esclarecidas após muito empenho e dedicação dos Americanos. Por ora, temos que comemorar por sobrevivermos a 103 anos, atravessando todas as dificuldades naturais e impostas e que chegamos vivos e fortes caminhando para mais 103 anos de existência. Vamos comemorar com o América dentro de campo pela série D e jogando as suas fichas no futuro pelo pernambucano sub20.

Americanos, estamos vivos e com muita vontade de continuar vivendo.