domingo, 14 de outubro de 2018

AMERICA'S OLD PLAYERS: O LATERAL JAIMINHO


         America’s Old Players está de volta e vamos destacar um antigo lateral esquerdo do América do Recife dos anos 1970. Estamos falando do lateral esquerdo Jaiminho. Jamesson Alves da Paixão nasceu em 21 de julho de 1948 na capital pernambucana e iniciou sua vida de jogador na base do Alviverde da Estrada do Arraial.

         Com a saída do lateral Necão, a lateral esquerda ficou com Jaiminho, que aos 21 anos de idade, estreou como profissional e o América no Campeonato de 1969 realizou 24 jogos, sendo 9 derrotas, 4 empates e 11 vitórias, entre as quais, a de 2x1 sobre o Sport em 20/07/1969. No ano seguinte, Jaiminho fez parte do elenco alviverde que disputou o Torneio Norte-Nordeste e o estadual, no qual, a equipe somou em 24 jogos, 14 derrotas, 5 empates e 5 vitórias, como a de 3x0 sobre o Íbis em 28 de março. A sua saída do clube se deu após o Campeonato Pernambucano de 1971, o qual, o América terminou atrás do Central.

         O talento de Jaiminho despertou o interesse do CSA de Alagoas, que o contratou em 1972. Com a camisa do “Azulão do Mutange”, Jaiminho alcançou o vice-campeonato estadual. Com um time que tinha Zé Galego; Mendes, Bibiu, Zé Preta e Jaiminho; Soareste, Batoré e Giraldo; Jurinha, Fernando Carlos e Jairo, houve vitórias como a de 6x2 sobre o ASA 28/05/72 e a de 5x1 sobre o Dínamo em 25/06/72. Em 1973, Jaiminho ajudou o CSA a ganhar o Alagoano de 1971. (Você não leu errado!). O CRB entrou na justiça alegando que o São Domingos havia entrado em campo com jogador irregular. Quase dois anos depois, o CRB ganhou a causa e a decisão do título de 1971 foi marcada para março de 1973. Mesmo jogando apenas a final, Jaiminho conquistou pelo CSA o título do Alagoano de 1971.
Jaiminho com a camisa do CSA em 1973.
Depois de repetir o vice-campeonato em 1973, o CSA iniciou o ano seguinte disputando o Campeonato Brasileiro. Foi de Jaiminho o único gol do CSA na derrota de 3x1 em Manaus para o Rio Negro em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro de 1974. O Campeonato Alagoano de 1974 começou apenas em julho e com Jaiminho na lateral esquerda, o CSA tentaria mais um troféu, porém, no dia 29 de julho, Jaiminho se envolveria numa confusão sem tamanho. Após discutir com seus companheiros de clube na concentração do CSA, os goleiros Dida e Zé Galego, Jaiminho foi até seu quarto e voltou com um revólver munido de duas balas e abriu fogo contra os dois jogadores, que no momento jogavam baralho. Por sorte, nenhum dos tiros atingiu os atletas. Enquanto Jaiminho foi buscar mais balas, os jogadores foram à delegacia prestar queixa. O CSA imediatamente rompeu o contrato com o atleta.
Nota da Revista Placar de 09 de agosto de 1974 sobre os tiros na concentração do CSA. 

         O Auto Esporte de João Pessoa abriu as portas para Jaiminho e contando com o seu futebol no Campeonato Paraibano de 1975, o clube alvirrubro terminou o certame na 4ª colocação com 5 derrotas, 5 empates e 10 vitórias. Em 1976 foi contratado pelo Tiradentes do Piauí. O “Time da PM” não chegou a completar o Campeonato Piauiense devido ao Caso Jacob (homicídio). Para mais detalhes, ver link abaixo:


         Em 1977 fez parte do time do Flamengo do Piauí que se consagrou vice-campeão estadual após perder o título para o River e em 1978 estava de volta ao América/PE, clube no qual viria encerrar a sua carreira no mesmo ano.




quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Projeto Esporte na Cidade envolve comunidade acadêmica e transforma vida de jovens em Recife


Em execução desde o fim de 2017, o projeto Esporte na Cidade mudou a rotina da Escola Superior de Educação Física, da Universidade de Pernambuco (ESEF-PE) e de centenas de jovens do entorno da universidade. A iniciativa atende 150 crianças e adolescentes, entre 7 e 17, em vulnerabilidade social das diversas comunidades do Recife, no campo de futebol da ESEF, no bairro de Santo Amaro.

A iniciativa é executada pela De Peito Aberto – Incentivo ao Esporte, Cultura e Lazer com patrocínio do Sportv, através da Lei Federal de Incentivo ao Esporte, e o apoio da Escola Superior de Educação Física, da Universidade de Pernambuco (ESEF-PE) e do América Futebol Clube.
O coordenador do curso de Educação Física da UPE, Aldemir Teles, revela que envolvimento com o projeto Esporte na Cidade dentro da UPE é enorme.
“Do ponto de vista acadêmico, o projeto tem repercutido de forma bastante positiva entre os professores pesquisadores, e a comunidade. Primeiro, porque nossos alunos da graduação, licenciatura e bacharelado em educação física têm tido a oportunidade de vivenciar experiências pedagógicas que influenciarão positivamente na formação; segundo, o projeto funciona como campo de estágio e de atividades complementares, que compõe o currículo acadêmico, isso sem precisar se afastar do ambiente das aulas; terceiro, estabelecemos parcerias com os laboratórios de Biodinâmica do exercício, e do laboratório de Comportamento motor; e, ainda, foi estabelecida parceria com o curso de odontologia, da UPE, e nutrição da UFPE. Pesquisa na área de nutrição com os garotos já foram iniciadas. E na área de crescimento e desenvolvimento serão iniciadas em outubro”, avaliou positivamente o coordenador.

Já o vice-presidente executivo do América, Tércio Trindade, ressalta que o Esporte na Cidade traz segurança e gera oportunidades aos jovens recifenses. “O Esporte na Cidade oferece ao jovem uma oportunidade para ele desenvolver uma prática esportiva, tirando-o da ociosidade. Num ambiente seguro, onde ele e orientado por estudantes e profissionais da área esportiva. Funcionando como uma ferramenta de inclusão social, de incentivo à vida saudável e possibilitando o acesso a um clube de futebol”, disse o dirigente do América, um dos mais tradicionais clubes de futebol do Recife.
Entrega de materiais
O Projeto Esporte na Cidade é realizado em ciclos de 12 meses. Dentro desse período, todos os alunos matriculados recebem, duas vezes gratuitamente, kits de materiais esportivos para a prática das modalidades ofertadas. A segunda entrega para os beneficiados de Recife foi realizada nesta terça-feira. O professor, Luan Moreira, falou da importância que os materiais têm no dia a dia dos jovens.
“É de suma importância serem realizadas duas entregas por ano. Pois é normal haver o desgaste do material com o tempo. Recebendo um novo kit na segunda metade do projeto, os alunos se sentem mais estimulados para as práticas esportivas. Isso abrilhanta ainda mais o desenvolvimento das atividades, comentou.
Com mais de sete anos de atividades, o Esporte na Cidade já atendeu mais de doze mil crianças e adolescentes em diversas regiões do Brasil, contribuindo para a formação social dos jovens, por meio de atividades de desporto educacional.
Assessoria DPA

domingo, 5 de agosto de 2018

AMERICA'S OLD PLAYERS: O ATACANTE MARCOS PINTADO


Voltamos com a seção America’s Old Players e desta vez vamos falar sobre um atacante que se destacou com o manto verde do América de Recife. Estamos falando de Máximo Marcos Pereira Pontes, ou Marcos Pintado como era popularmente conhecido. Nascido em 03 de setembro de 1950 na cidade de pernambucana de Barreiros (distante 107 km de Recife) e filho dos Srs. Manoel Pontes da Silva e Maria Pereira da Silva, Marcos Pintado começou sua vida futebolística aos 16 anos atuando pelo time amador Central Barreiros.
Em 1968, aos 18 anos, assinou seu primeiro contrato como jogador profissional no Clube Náutico Capibaribe e fez parte do elenco que naquele ano conquistaria o hexacampeonato pernambucano. O Rio Negro de Manaus o chamou para a disputa do Campeonato Amazonense de 1970, competição na qual o alvinegro manauara encerrou na 4ª colocação, atrás apenas da Associação Atlética Rodoviária (já extinta), do Nacional e do campeão Fast Clube. Com a camisa do Rio Negro, destaca-se a vitória sobre o São Raimundo por 1x0 no dia 20/09/1970.
O Fast Clube queria o bicampeonato amazonense em 1971 e para isto, chamou Marcos Pintado para fazer parte do time. O Fast foi campeão do 1° turno e decidiu o título contra o Rodoviária, campeão do 2° turno. Depois de dois jogos, ambos, terminados em 0x0, o Fast Clube venceu o 3º jogo por 4x1 e faturou o bicampeonato. Em 1972, apesar da liderança de Marcos Pintado no meio campo, o Fast não conseguiu o tricampeonato. Chegou a final ao vencer o 1° turno, mas, contra o Nacional, campeão do 2° turno, a derrota por 1x0 em 05/07/72 barrou a conquista de mais um troféu.
Em 1973, foi contratado pelo Moto Clube de São Luís do Maranhão e com a camisa do rubro-negro maranhense chegou até o triangular final, mas, não conseguiu ajudar a equipe a superar o Ferroviário de São Luís e o campeão Sampaio Correa. O Alecrim de Natal o chamou para a disputa do Campeonato Potiguar de 1974, porém, apesar de vitórias como a de 3x1 sobre o Riachuelo em 13/11/74, o alviverde encerrou na 6ª colocação e teve que se contentar em ver o América de Natal levantar o título. No ano seguinte, o Alecrim foi melhor, mas, viu novamente o América/RN conquistar a taça.
Alecrim FC de 1974. Marcos Pintado é o segundo agachado. 
O Galícia de Salvador/BA o chamou para a disputa do Campeonato Baiano de 1976 e os “Granadeiros da Cruz de Santiago” encerraram o certame na 6ª colocação. Destaque para a vitória por 2x0 do Galícia sobre o Fluminense de Feira de Santana em 07/07/1976 com Marcos Pintado fazendo o primeiro e Luisinho o segundo gol. O Bahia naquele ano conquistou o tetracampeonato. De volta ao Alecrim em 1977, Marcos conseguiu levar o “Verdão Maravilha” à 5ª colocação, campanha marcada por vitórias como a de 3x1 sobre o Corinthians de Caicó em 17/08/77. Em 1978, trocou o Alecrim pelo Baraúnas de Mossoró e vestindo a camisa do time interiorano, conseguiu 6 vitórias em 19 jogos, entre elas a de 2x0 sobre o Força e Luz no dia 25/05/78.
Em 1979, foi contratado pelo Guarani de Juazeiro do Norte para a disputa do Campeonato Cearense. Com a camisa do “Leão do Mercado” obteve 21 vitórias em 48 jogos, com destaque para a de 3x2 sobre o Fortaleza em 22/04/79. Para o “Cearense-80”, o Icasa (rival do Guarani) o contratou e no “Verdão do Cariri” ajudou o time a conquistar 13 vitórias em 37 jogos, entre elas, a de 3x2 sobre o Ceará em Fortaleza em 08/10/1980.
O América do Recife, em 1981, o chamou. No time pernambucano, Marcos Pintado teve a oportunidade de jogar uma competição de nível nacional, a Taça de Prata, equivalente à segunda divisão do Campeonato Brasileiro. Em 21/01/81, o América do Recife empatou com o Náutico em 1x1 no Arruda com Marcos Pintado anotando o gol esmeraldino e uma semana depois, o América vencia o Confiança/SE num abarrotado Estádio Jefferson de Freitas em Jaboatão por 2x1, mais uma vez, Marcos Pintado fazendo o primeiro gol americano. A derrota em Arapiraca/AL para o ASA impediu que o América/PE passasse para a 2ª fase, na qual, enfrentaria grandes equipes do Brasil.
Gol de Marcos Pintado, o primeiro na vitória do América/PE contra o Confiança/SE no Estádio Jefferson de Freitas em Jaboatão dos Guararapes em 28 de janeiro de 1981
Em 1982 saiu do América/PE para o Sete de Setembro que disputaria o Campeonato Pernambucano. No time de Garanhuns, ajudou a equipe a conquistar 5 vitórias em 27 jogos, com destaque para a de 5x0 sobre o Íbis em 05/06/82. O CSE de Palmeira dos Índios o chamou para a disputa do Campeonato Alagoano de 1983 e lá fez parte do elenco que alcançou o 4° lugar, atrás apenas do ASA, do CSA e do campeão CRB. Em 1985 iniciou a sua vida de treinador no próprio CSE, porém, no comando do time de Palmeira dos Índios, Marcos Pintado alcançou apenas a 7ª colocação. Treinou ainda o Clube Atlético Potiguar no Campeonato Potiguar de 1985, o ASSU nos Campeonatos Potiguares de 1986 e 1987, o Alecrim de 1989 a 1991, o Corinthians de Caicó em 1996 e encerrou a vida de treinador no Baraúnas de 1997.
Hoje, mora no bairro de Nova Parnamirim em Natal onde, desde 2002 administra o Natal Futebol Clube, um reconhecido centro de formação de atletas da capital do Rio Grande do Norte.
 
Marcos Pintado no Natal Futebol Clube





sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Rodada Dupla

Teremos,neste sábado,a continuação dos campeonatos sub 17 e sub 20. O time sub 17 vai enfrentar o líder da competição,neste caso, o Náutico.  Já o sub 20,líder de seu grupo recebe o Timbaúba.
As duas partidas vão ocorrer no estádio Ademir Cunha, a primeira as 15 horas (sub 17) e a segunda as 17 horas (SUB 20).
Os dois times veem de situações diferentes: o time sub 17 enfrentou e perdeu da equipe do Porto por 2x1. Já o time Sub 20 foi a Caruaru e venceu a equipe do Central por 2x0.

sexta-feira, 27 de julho de 2018

A LUTA CONTINUA !!!

Sobreviver no mundo futebolístico de hoje é uma verdadeira insanidade, disputar campeonatos deficitários, competir com clubes que tem um orçamento 40 vezes maior, sofrer com erros de arbitragem, não ter patrocinadores ou sócios-torcedores.....verdadeiro rosário!!!

Esta é a realidade do América !! Tirar leite de pedra e lutar pela sobrevivência!!

Em 2018 o América deu prosseguimento ao trabalho de base, está montando um time Sub 15, está disputando o Campeonato Sub 17 e Sub 20. O objetivo é formar jogadores. Neste processo o time sub 17 é um verdadeiro laboratório, trabalho recente,com um treinador jovem, com atletas que estão saindo do futsal e outros que foram chegando e se juntado ao grupo.

De uma maneira em geral o trabalho começou do zero há pouco mais de 3 meses, com poucos recursos e muita vontade de acertar. O elenco foi pouco a pouco se formando, até a 5 rodada tínhamos 14 jogadores inscritos, hoje temos mais de 20!!

Jogamos 8 partidas, vencemos 2 e perdemos 6, nosso retrospecto ainda deixa a desejar. Algumas meninos se destacaram, vou citar apenas William, que foi aprovado para passar uma temporada nos Estados Unidos, más, temos outros valores.

Em relação as partidas percebo que existe uma evolução, o sistema de jogo do time está encaixando, o preparo físico esta chegando, mesmo com muitas derrotas percebe-se que houve evolução.

Neste sábado começa o returno do Campeonato Sub 17, o América joga as 17 h em Paulista contra o forte time do Porto. Esperamos que nesta nova fase os resultados apareçam e que nosso time consiga se classificar para segunda fase. 
Paralelo aos desafios do Sub 17 o time de juniores vai a Caruaru enfrentar o Central, buscando solidificar a campanha e mostrar que o América tem força e tradição no campeonato de juniores. A partida começa mais cedo, as 15 horas no Luis Lacerda.

Boa Sorte a todos!!