segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Nem com o Cunhão Lotado!

Pois é, nem com o calor da sua torcida, que compareceu bem ao jogo deste domingo, o América conseguiu emplacar a sua tão sonhada primeira vitória no campeonato. Novamente descuidos da zaga permitiram que uma chance de alcançar melhor colocação no campeonato fluísse pelas mãos Alviverdes.

A tarde parecia o cenário perfeito para a vitória esmeraldina. Os jogadores pareciam empolgados e a torcida compareceu no reencontro com o time, e um de nossos concorrentes diretos tinha uma partida difícil que se transformou em derrota. Porém, mais uma decepção fez os Esmeraldinos esmorecerem na luta e desconfiarem da permanência da equipe na primeira divisão.

Até que o time escalado por Nereu para o primeiro tempo entrou bem. Chegamos com mais facilidade do que em partidas anteriores, mas ainda de forma incipiente. Durante o meio do primeiro tempo o Mequinha esboçou uma pressão, e isto fez transparecer que o gol era apenas questão de tempo para acontecer. Mas ele não saiu.

O meio do campo tava bem postado e evitava bem os contrataques do Salgueiro, mesmo assim os visitantes conseguiram chegar com certo perigo algumas vezes, mas nada que trouxesse a dúvida em um bom resultado do América. E com esse ritmo foram-se embora os 45 minutos iniciais com o placar intacto.

E veio então o segundo tempo e com ele a esperança de que o Mequinha abriria o marcador. E essa esperança aumentou quando Silvano chutou forte no canto superior esquerdo do goleiro do Salgueiro e este espalmou para escanteio uma bela chance. O América ainda imprimiu uma pressão, mas não conseguiu criar uma chance de gol mais clara.

E quando menos se esperava o Salgueiro abre o placar em uma falha do sistema defensivo na marcação e na linha de impedimento. O Segundo gol saiu de um lance de bola parada e de um rebote mal feito do goleiro Gleibson.

Cabe ressaltar a boa atuação do volante Léo, que além de desfazer bem as jogadas adversárias ainda saia com qualidade para o jogo. Naturalmente Mousinho foi outro destaque. Carregou o time nas costas durante boa parte do jogo e no primeiro tempo sofreu uma marcação mais forte do que em outras partidas. Humberto também entrou empolgado e fez uma boa atuação. Paulinho Andrade também jogou bem. Entrou no segundo tempo e chamou a responsabilidade. Em um lance carimbou a trave esquerda do Salgueiro num chute de fora da área. O conjunto inteiro atuou bem no primeiro tempo. Mas algumas falhas poderiam colocar em risco o empate parcial.

De qualquer forma perdemos e não adianta ficar procurando culpados, mas sim identificar erros e corrigi-los. E os erros foram muitos, o que vai dar trabalho a Nereu para a partida de quarta-feira contra o Vitória.

sábado, 29 de janeiro de 2011

Domingo, é dia de #AdemirLotado

Assim como o Cavaleiro da Triste Figura, o nosso América segue jornada em busca de uma glória há tempos perdida nas primeiras cinco rodadas do certame. No rastro do caminho percorrido, o estrago das 5 derrotas e 1 ponto conquistado. A sua fiel torcida, segue ao seu lado destes guerreiros, crente na recuperação do Campeão do Centenário, aliada a confiança depositada nos ensinamentos do Mestre Nereu Pinheiro aos seus comandados. Neste domingo, Periquito receberá o Carcará em seu verdadeiro domínio, com ambos buscando a mesma coisa: a consolidação. O América quer consolidar a ascensão, saindo o mais rápido possível da zona de degola. Se vencer, chegará aos 4 pontos. Insuficientes para ficar entre os 10 da tabela, mas bem mais próximo. O Salgueiro quer se consolidar entre os quatro primeiros do campeonato. Hoje, ocupa o sétimo posto, com sete pontos. Dependerá de outros resultados, além do próprio esforço, para encostar no G4. Quem comandara a partida será o árbitro Gilberto Castro Junior, e terá como seus assistentes Clóvis Amaral e João Marcelo Alberto e Enéias Leite como 4º árbitro. Antecedendo a partida, às 13h45, a árbitra Andréa Amorim será responsável pela equipe dos juniores. E por falar em juniores, nossos garotos vão agora buscar manter a invencibilidade, estando a quatro jogos sem amargar vitórias e contabilizando oito ponto, na sétima colocação. A nossa artilharia precisa deixar sua marca hoje. Provavelmente o jogo será decidido nos detalhes, na marcação e no oportunismo. A diferença no marcador será mínima. O América terá que jogar voltado totalmente ao ataque. Se marcar a saída de hogo e atacar com precisão cirúrgica, o Campeão do Centenário levará sem sombra de dúvidas os 3 pontos. Chegou a hora Kamikaze. É tudo ou nada, só a vitória nos interessa! E a nós torcedores, não serão aceitas desculpas... Que ama América e quer o seu melhor tem como DEVER comparecer ao Ademir Cunha. Vamos fazer desta partida uma cerimônia de amor e devoção ao América. Além de você, leve ao estádio um amigo ou parente, para ver de perto, qual a verdadeira sensação de torcer para o clube mais querido do estado. A tarefa será árdua daqui pra frente, mas unidos, com fé e paixão chegamos lá. Somos fortes e vamos mostrar a todos que o Periquito está mais forte do que nunca! Nos vemos lá no #AdemirLotado ou #CunhaoLotado mesmo! :)

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Venda de ingressos para América e Salgueiro começa amanhã

Começa neste sábado (29) a venda de ingressos para a partida entre America e Salgueiro, que acontece na próximo domingo, no estádio Ademir Cunha. Ao todo serão disponibilizados 30 mil bilhetes. Para os valores de inteira 2 mil ingressos por R$ 12. Haverá ainda 500 bilhetes de meia-entrada (estudantes e idosos), à R$ 6. Para o Programa Todos com a Nota, do Governo do Estado serão disponibilizados ingressos. Para adquiri-los, o torcedor deverá deve apresentar uma ou conjunto de notas ou cupons fiscais no valor de R$ 100,00 para troca-lo por um cupom. A partida de deverá atrair a atenção de todos, devido ao estádio esta desde 2006 sem realizar partidas da primeira divisão do futebol pernambucano. A última foi há cinco anos. Naquela oportunidade, o local foi palco do acidente que causou ferimentos em 15 torcedores, na ocasião do jogo Estudantes x Sport Club Recife, pela rodada de abertura do Campeonato Pernambucano de Futebol. Agora, após a realização de diversas reformas visando a segurança do público solicitado pelo Corpo de Bombeiros e da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), o quarto maior estádio particular do Grande Recife finalmente será reaberto para um grande público.

O xerifão faz!

Ontem o América conseguiu seu primeiro ponto após cinco rodadas de pura frustrações e um dos responsáveis por este feito foi o zagueiro David que já se encontra no clube esmeraldino há três temporadas (2008/2010/2011).
Conhecido como o xerife da zaga alviverde o polivalente jogador que marcou o gol do empate diante a Cabense, famoso por sua doação dentro de campo, mostra junto com os demais atletas que é possível sim reverter essa incomoda situação e que o Campeão do Centenário não será o mosquito da competição como foi comentado por uma rádio local que fazia a transmissão da partida.
Agora resta torcer que o trabalho realizado por Nereu Pinheiro possa evoluir cada vez mais até enfim tirar o Periquito dessa colocação nada agradável, mas pelo o que foi mostrado ontem não deve demorar muito.

Desencantamos!

Não foi a tão esperada vitória, mas foi um bom resultado. O Mequinha foi até o Cabo de Santo Agostinho e conseguiu trazer para casa um ponto importante. Na verdade o primeiro pontinho no certame. Diante de um Gileno de Carli quase lotado o América enfrentou a empolgada Cabense, pensando em se recuperar do desastroso início de campeonato. Mas quem obviamente tomou a iniciativa de abrir o placar foram os donos da casa. Aos 17 minutos a Cabense marcou o primeiro gol e despertou o sentimento nos seus torcedores de que uma tranqüila vitória estava encaminhada. Não imaginavam que o aguçado espírito tático de Nereu Pinheiro faria a diferença nessa partida. O América não se acovardou e conseguiu empatar aos 35 minutos com David, aproveitando o descuido da zaga da Cabense. Isso pôs panos quentes na impressão de que a vitória azulina sairia fácil. A essa altura do jogo Nereu Pinheiro já havia identificado as falhas do América e os pontos fortes da Cabense. Com um reposicionamento adequado dos defensores Alviverdes, Flávio Caça Rato recebeu uma marcação mais firme e suas perigosas jogadas foram praticamente neutralizadas pela zaga do América. O retorno do segundo tempo marcou um jogo onde a tônica foi bem simples: a Cabense tentava a todo custo emplacar uma pressão e o América saia nos contrataques. Em pelo menos três desses contrataques os Esmeraldinos conseguiram chegar com perigo ao gol da Cabense, obrigando o bom goleiro Danilo a fazer importantes intervenções. Com as mexidas de Nereu no time alguns problemas foram praticamente resolvidos. As nossas laterais deixaram de ser motivo de dor de cabeça e as jogadas de ataque chegaram melhor articuladas na frente. A bola chegou mais vezes ao Silvano e sempre se via o criativo Paulinho Andrade conduzindo e armando as jogadas de ataque. Destaque também para Mousinho e para todo o sistema defensivo, que se posicionou corretamente e segurou as investidas da Cabense. Sobretudo David, que além de garantir a defesa do América ainda marcou o gol que assegurou a pontuação. Muito embora tenhamos jogado mais tempo atrás da linha de defesa, chegamos mais vezes ao ataque e com mais qualidade do que nas partidas anteriores. Resultado da entrada de laterais que apóiam bem e da presença de jogadores com toque mais refinado e criativo no meio campo, como Paulinho Andrade ao lado de Mousinho. Finalmente conseguimos pontuar. E com esse ponto não apenas reacendemos a chama Esmeralda da esperança. Tocamos fogo na fogueira que nos aproxima do América: sempre acreditar em dias melhores!

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Em busca da recuperação

Com técnico recém-contratado na beira do gramado, o América Futebol Clube entra em campo para iniciar uma competição à parte. Enquanto alguns clubes se distanciam da tabela brigando pelas primeiras posições, os demais tentam fugira da incomoda corrida contra o rebaixamento. Dentre eles, infelizmente, está o Campeão do Centenário. Os quatro primeiros da tabela irão para a segunda fase terão a honra de disputar o 97º título estadual, os clubes que ao término da primeira fase ficarem entre a 5º e a 8º colocação irão disputar o Troféu “Campeão do Interior”, enquanto que as agremiações na 9º e 10ª posição irão apenas ficar como mero espectadores, embora não sofrerá tanto como os dois últimos colocados, cujo destino terão o descenso para a divisão de acesso. A impiedosa Série A2 do Campeonato Pernambucano. Apesar da disputa de posição ser com os times da rabeira, os pontos conquistados precisarão vir dos confrontos com as equipes que estão no topo da tabela. E não estão ali por acaso. Apostaram certo, plantaram certo e agora estão colhendo o fruto deste trabalho. Depois do naufrágio do “projeto” esmeraldino nas primeiras cinco rodadas, um novo timoneiro foi trazido pelo dirigentes esmeraldinos. Nereu Pinheiro é a carta na manga de João Moreira & CIA, para resolver a parada e salvar o alviverde enquanto ainda há tempo. O próximo adversário é a Cabense. O azulão do Cabo de Santo Agostinho é um velho conhecido nosso (Saiba mais, clicando aqui), além de contar hoje com Paulo Junior, Claudio Romão, Joecio Santos e Coelho e que, até ano passado defendiam as nossas cores. Hoje ostentam a oitava posição. Se não estão entre as melhores equipes, ao menos respira com certa folga e não deverão disputar conosco a sobrevivência no certame. Nereu ainda não divulgou qual será seu esquema e time base para a partida no Gileno de Carli nesta noite. Do lado azul, o principal reforço do adversário será o retorno de Flávio Caça-Rato, após cumprir suspensão da expulsão sofrida na partida diante do Náutico. O lateral-esquerdo Oziel é outro que pode reaparecer, vindo de recuperação de uma lesão. Caso não esteja 100% fisicamente, a opção de Paulo Junior será a entrada de Coelho. Para esta noite, a partida terá Neilson Santos no apito e Marcelo Neves e Wilton Lins como assistentes. Ricardo Jorge será o quarto arbitro. Antes da partida dos profissionais, que irão buscar seus primeiros pontos, os meninos dos juniores irão defender a invencibilidade de três partidas sem derrotas, enfrentando a equipe lanterna da competição, às 15h45. Para a partida preliminar, Sérgio Claudino irá arbitrá-la, juntamente com os assistentes e o quarto arbitros que foram escalados para a partida dos profissionais. Precisamos de uma boa largada, aos moldes do idolo Senna, para deixarmos para traz o Ypiranga, Vitória e Araripina. E rezemos para que nada dê errado na hora de contornar a Tamburello…

Dois novos reforços no Periquito

Desde que Nereu Pinheiro foi confirmado no comando do América não pára de chegar novos atletas sendo três anunciados anteontem e hoje mais dois. Tratam-se de Romarinho e do experiente Alexandre Oliveira, ambos com passagens pelo Santa Cruz.
Romarinho acaba de regressa do futsal europeu onde recentemente defendeu o Skatar Donetsk (Ucrânia), mas possui algumas passagens pelo futebol de campo defendendo entre outros clubes o próprio Santa Cruz e o Atlético-PR. Alexandre Oliveira, por sua vez, acaba de passar uma temporada no Universitatea Cluj-Napoca (Romênia), clube da primeira divisão local, mas a principal lembrança deste jogador foi sua trajetória no tricolor do Arruda. Enquanto uns chegam outros se despedem, o atacante Éverton Felipe (Sport) optou por não defender o América para seguir ao Oriente Médio, o clube onde jogará ainda não foi revelado.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

♪♫Com que roupa eu vou...♪♫

Logo mais à noite, no Cabo de Santo Agostinho, o Campeão do Centenário vai entrar em campo pela 6° rodada do Campeonato Pernambucano 2011 numa partida que será marcada pelas mudanças ocasionadas no clube sediado em Casa Amarela, entre elas a reestréia do técnico Nereu Pinheiro (última passagem em 2006) e a possível apresentação de alguns dos novos contratados.
Ao decorrer da semana, na rede social Twitter, surgiu duas mobilizações tendo como principal foco a volta do uniforme verde já que para alguns a padronagem listrada, apesar da indiscutível beleza, não está trazendo sorte ao time e para voltar a encontrar o caminho da vitória foi sugerido que a camisa esmeraldina fosse novamente a numero 1, ganhando os seguintes títulos: #JogaDeVerdeAmerica e #VoltaVerdao.
Segundo os defensores pelo regresso do "verdão" o que levou essa manifestação é a tradição, na qual, da mesma forma que seria estranho ver o Sport tendo camisas com faixas verticais ou o Náutico com faixas horizontais. A questão não é excluir os uniformes listrados, até porque realmente chamam atenção, mas voltar usar aquela que para muitos é o maior registro do América, sua camisa verde esmeralda.
Outro fator que vêm pesando aos simpatizantes é falta dos uniformes verdes para serem vendidos na sede, por enquanto apenas a listrada está a disposição, mas precisamos relembrar que essa é uma questão ligada a fornecedora do material esportivo e sem dúvida quando estiver pronto o primeiro lugar que irá chegar é na loja oficial mantida pelo clube, restando apenas aguardar e ver com qual roupa nessa noite o Glorioso da Estrada do Arraial vai.

O último embate entre América e Cabense

América e Cabense já se enfrentaram por diversas vezes, seja na Copa Pernambuco ou na primeira e segunda divisão do Campeonato Pernambucano. Com uma trajetória de embates desde 1992, ainda quando a Cabense ainda era chamada de Destilaria, nenhum destas partidas foram mais importantes e decisivas as duas agremiações da Região Metropolitana como foi em 2008, disputando a semifinal da segunda divisão pernambucana, onde quem daria uma vaga para a divisão principal do campeonato pernambucano. Enquanto que a Cabense tentava retornar a primeirona depois de amargar o descenso no ano anterior, o América estava a um passo de garantir o seu lugar ao sol depois de amargar 13 tenebrosos anos longe dos holofotes. E tudo parecia estar a favor do Mequinha. Depois de garantir um empate na base da raça no Gileno de Carli, o alviverde tinha como aliado decidir seu futuro jogando em casa contando com a vantagem de um simplório empate para conquistar seu acesso, além de contar o apoio de sua torcida e parte da imprensa esportiva pernambucana que estavam contagiados com o possível retorno do alviverde da Estrada do Arraial. Infelizmente, o cenário imaginado por quase todos não fora concretizado. O drama iniciou após a queda de energia provocada no dia 22. Além de Timbaúba, suas adjacências e cidades vizinhas como Buenos Aires, Aliança e Vicência também sofreram com a queda de energia, vindo a descobrir por volta da meia noite onde havia sido ocasionado o problema, oriundo de uma falha na linha de transmissão que passava por um canavial. Depois de muito esperar, ficou decidido de mandar a partida para o dia seguinte. Toda a delegação esmeraldina retornou ao Recife, percorrendo cerca de 105 km até a capital pernambucana, enquanto que a equipe do Cabo de Santo Agostinho retornou para o hotel em Carpina. Daquele elenco esmeraldino ainda permanecem o zagueiro David e volante Mousinho. Coincidentemente, o goleiro Ibson e o lateral direito Roma que hoje compõe o time do América integravam a Cabense. O primeiro ataque do jogo foi americano, dando a impressão que o Campeão do Centenário iria fazer valer o mando de campo. Depois de uma troca de passes rápidos, a bola sobrou para Leandro, mas o meia praticamente fizera um recuo de bola para Ibson. Veio a Cabense e, em sua primeira oportunidade, soube abrir o placar, após jogada de Eduardinho vindo próxima a linha de fundo ele conseguiu marcar vencer o goleiro Cleber, justamente num daqueles lances onde o jogador tenta cruzar e a bola entre em gol tendo como aliada a falha incrível do nosso arqueiro, que ficou inerte em sua pequena área. O tempo foi passando, veio a segunda etapa da partida e nada do América conseguir garantir sequer o empate, principalmente após a mudança tática da Cabense, mantendo a defensiva e apostando nos contra-ataques para definir a partida. O desespero americano aumentou ainda mais quando o árbitro da partida não assinalou um penalti claro a favor do América, que poderia ter mudado toda a história da partida. Com todos os atletas do América com os nervos a flor da pela, as chances de chegar ao empate foram reduzidas ainda mais aos 20 minutos do segundo tempo, quando o zagueiro Ronaldo se estranhou com um adversário, que terminou gerando sua expulsão. Após o apito final, os jogadores da Cabense fizeram a festa no Ferreira Lima por conta do acesso, para tristeza e decepção da pequena, mas fiel torcida esmeraldina e adiando o retorno do Campeonato Pernambucano.

Novos reforços no time de Nereu

Na tarde da última terça-feira foram apresentados mais três reforços para o Mequinha no Campeonato 2011. O América anunciou a contratação do zagueiro Humberto, do meia Paulinho Andrade e do lateral Pintado. Esses reforços já treinaram pela tarde e chamaram a atenção dos torcedores que assistiram ao treino.
Humberto e Paulinho Andrade são gratas novidades no elenco do Alviverde. Ambos têm passagem por importantes clubes do Nordeste e tiveram oportunidade de trabalhar com Nereu Pinheiro, tanto nas equipes de base, quanto nos profissionais. Em 2010 ambos participaram da Série A2 do Pernambucano. Humberto atuou pelo Olinda e foi um dos homens de confiança de Nereu Pinheiro na defesa do Olinda, enquanto que Paulinho Andrade era quem articulava as jogadas de ataque no meio campo do Chã Grande. Pintado, por sua vez, retorna ao elenco Esmeraldino. Ele foi um dos guerreiros que ajudou o time a retornar a série A1 em 2010. Destacou-se na lateral esquerda do Mequinha e ocupou essa posição como titular boa parte do campeonato. Pintado é um importante reforço para esta lateral que atualmente carece de mais jogadores no América e junto vai trazer a confiança que os torcedores americanos tem no seu trabalho. Pintado também teve passagens pelo Sport, Santa Cruz e Cabense. Com esses nomes a torcida esmeraldina espera que o elenco ganhe em experiência e qualidade e que o bom trabalho deles signifiquem a recuperação do Mequinha no certame. Nome: Paulo Pádua Hermínio de Andrade Apelido: Paulinho Andrade Posição: Meia-Atacante Idade: 34 anos. Altura: 1,66m Peso: 64kg Clubes: Santa Cruz, Londrina,Treze, Botafogo-PB, Baraunas, Vitoria-PE, Chã Grande. Nome: Jefferson Cristiano de Lima Apelido: Pintado Posição: Lateral Esquerdo Idade: 24 Altura: 1,76m Peso: 62 Kg Clubes: Sport, Santa Cruz, Taubaté-SP, Cabense, Central, América-PE. Nome: Humberto Barbosa Santos Apelido: Humberto Posição: Zagueiro Idade: 30 Altura: 1, 80m Peso: 77kg
Clubes: Santa Cruz, Náutico, ABC, América-RN, Botafogo-PB, Central, Olinda.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Tradição e Coração

Atenção torcida rubro-negra.. Larguei o Sport e não me arrependo.. Sou alviverde, e daí ? Como diz a canção “quem tem coração verde-branco tem que ser América, América do meu coração”... O Sport não me deu tantas alegrias, quanto as que eu tive no casarão verde-branco da Estrada do Arraial. Foi naquela sede que brinquei os melhores carnavais da minha adolescência, que frequentei minhas primeiras festas, que tomei minhas primeiras cuba-libres de rum bacardi com coca-cola e dancei com garotas muito legais que conheci por lá. Aliás, o Sport rendeu-me ultimamente alguns momentos de raiva. Não entendo porque um clube se vende recorrentemente a uma organização que explora a boa-fé dos torcedores e em nome de um número cabalístico, 13, no caso, passa a manipular resultados, a contratar entre si jogadores e técnicos que mudam de camisa feito quem muda de chinelo de dedo. Camisa de esportista requer, no meu modo de pensar, amor às cores do Clube, e não ao contracheque do fim do mês. Será que o zagueirão Bria, da era de ouro do Sport, será que o goleiro Carijó, e todos os grandes mitos daquela época em que se honrava a camisa do clube,estariam satisfeitos em ver o que acontece hoje no chamado futebol profissional? Acho que não.. Convivi por muitos anos com o Bria, aquele becão baiano que –rezava a lenda- jogava com uma telha amarrada na canela. Bria morreu pobre, foi contínuo da repartição pública onde trabalhei por mais de 20 anos. Para completar a renda, nas horas vagas, vendia empadas preparadas pela sua esposa. Eu fui um dos seus clientes e quando ele aparecia na minha sala oferecendo as empadinhas, sempre arranjávamos uns minutos pra bater um papo sobre os tempos heroicos do Sport. Por outro lado, meu pai Frederico Monteiro, foi Diretor do América Futebol Clube do Recife, na gestão de Nahum Domingues Aro, em 1963, mesmo sendo tradicionalmente rubro-negro. E foi com ele que passei a frequentar, ainda adolescente, a sede do América.. E foi dele, já velhinho de 90 anos, que ganhei um broche de lapela da Diretoria, que ele conservou, guardado no seu cofre, como um tesouro, durante esse últimos 48 anos. Guardo esse escudo como um tesouro, também. E sei bem do quanto meu velho gostou do América. Com isso tudo, acho que vocês já entenderam o que eu quero dizer. Há coisas que estão na rotina e na tradição. E, dizem os caretas que mudar de time é “virar casaca”.. Eu quero é isso mesmo ! Virar casaca, virar a mesa, chutar o balde.. O Sport foi o rio que passou na minha vida.. Passou, foi, acabou.. Há coisas, no entanto, que ficam guardadas no coração. Eu sou um quebrador de tradições. Mas meu coração não esquece os bons momentos que o América me proporcionou. E entre a tradição e o coração, eu obedeço ao coração.. Salve o América !

América vai bem nos juniores

Ao contrário da campanha da equipe profissional, os garotos do América estão com uma boa classificação no certame.
Sem perder há três rodadas o Mequinha ocupa a 7ª posição na frente de Central, Ypiranga, Petrolina, Araripina e Cabense. O resultado de destaque foi o empate contra o Santa Cruz no Arruda. Essa campanha mostra os frutos da parceria entre o América e o Instituto de Desenvolvimento Social, que além de manter a campanha da base alviverde ainda desenvolve um trabalho social. Esse é o Mequinha que gostamos de ver: cumpre sua responsabilidade social enquanto clube e ainda desempenha bom papel numa competição importante.
Classificação do Campeonato de Juniores

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Nereu Pinheiro é o novo técnico do América

Em menos de um dia após a confirmação da saída de Luciano Ribeiro a diretoria americana anunciou agora a pouco seu novo treinador, o experiente Nereu Pinheiro.
Com passagens vitoriosas pelo Sport, quando levou a equipe rubro-negra às finais da Copa do Brasil em 1989, e Santa Cruz conseguindo um histórico acesso à primeira divisão do Campeonato Brasileiro além do próprio América numa outra oportunidade.
Agora o "Rei de Olinda" (apelido do técnico) terá a difícil missão de tirar o Campeão do Centenário da incomoda lanterna, mas para isso contará com Batata e Arley, ambos jogadores do treinador no vice-campeonato do Santa Cruz na Série B nacional em 1999, seu último clube profissional foi Olinda FC.

Volta verdão!

Todos, sem exceção, conhecem o América pela sua tradicional camisa verde esmeralda, em certas oportunidades, a exemplo de 1944, incorporando uma faixa horizontal na cor branca e em outras como 1980 usando um modelo que novamente veio a ser utilizado neste ano, o listrado vertical.
Apesar da beleza estética, querendo ou não, a padronagem escolhida para ser a principal neste ano, segundo alguns torcedores, já é símbolo da atual má fase, sendo cinco jogos sem vitórias e todas sob os cuidados da camisa bicolor. Mas, essa desconfiança pelo uniforme possui uma explicação: em 1995, época negra para o alviverde, as camisas eram similares as de 2011.
Não dá para culpar um padrão pelo momento difícil, isso é outra questão que vai além da compreensão dos supersticiosos, entretanto, não custa nada tentar ao menos mudar uma única partida e ver qual o resultado. Quem sabe o verde da esperança possa trazer alguma sorte.

Mais contratações

Depois dos péssimos resultados do América no Campeonato Pernambucano, contabilizando cinco derrotas consecutivas e nenhum ponto somado até então, a diretoria do América anunciou dois reforços para o estadual. Os atacantes Everton Felipe e Juninho Potiguar, que vieram de empréstimos do Sport Recife. Os atletas estão se apresentando hoje a tarde no Ademir Cunha com a missão de reforçar o elenco esmeraldino. Juninho Potiguar e Everton Felipe possuem 21 anos. Ambos ascenderam como profissional ano passado pelo Sport e participaram do elenco que garantiu ao Leão da Ilha o penta campeonato estadual.

Quem será o novo técnico do América?

Como todo mundo sabe, o Campeão do Centenário está sem comandante. Após Luciano Ribeiro ter entregado o posto de técnico, oficializada pela diretoria do América após a derrota diante do Petrolina, o alviverde será comandado, interinamente, por Mauro Branco, atual auxiliar técnico do clube. A pergunta que paira no ar: quem vai ocupar um lugar no banco de reservas do América, comandando a equipe no restante do Campeonato Pernambucano? Nomes como o de Adelmo Soares, Levi Gomes, Charles Muniz, Lourival Silva, Dado Cavalcanti, Henry Lauar, Roberto de Jesus e até mesmo do próprio Mauro Branco chegaram a ser debatidos pela mídia, após a informação de que Luciano Ribeiro tenha entregado o boné. Não quero polemizar ainda mais. Mas levantamos as características daqueles que podem vir a ser o novo técnico esmeraldino. Adelmo Soares conhece bem o futebol local e conseguiu levar vários times para a divisão de elite do futebol pernambucano. É um treinador que gosta de “povoar” o meio campo. Coincidentemente, o treinador foi demitido na mesma rodada em que Luciano Ribeiro entregou o cargo, após uma campanha fraca na competição com o Ypiranga. Mesmo assim, acredito que ele pode acertar novamente o rumo do Periquito. Outra opção é Levi Gomes. Começou a trabalhar como preparador físico do Náutico, função desempenhada até 1995, quando assumiu o cargo de treinador do elenco profissional. Depois rodou o Nordeste. Comandou Porto e Central de Caruaru, Confiança-SE, CSA-AL, Treze-PB, Campinense-PB e Unibol-PE, conquistando títulos no Campeonato Sergipano em 2000 (Sergipe), Campeonato Pernambucano da Segunda Divisão em 1998 (Unibol) e Campeonato Pernambucano de Juniores (Porto em 2004, Náutico em 2007 e 2009 e Sport em 2010). Charles Muniz é outro que conhece bem o futebol local. Conquistou o título de Campeão Pernambucano pelo Náutico em 1989 e pelo próprio Santa Cruz em 1993. No ano de 2010 o treinador teve boas passagens pelo Porto de Caruaru, pegando Gavião na lanterna do estadual e por muito pouco não garantiu o acesso a Série D do Brasileiro. Na Série A2 do Pernambucano, deixou o comando do Centro Limoeirense invicta na competição, após desentendimento com os dirigentes do Dragão. Roberto de Jesus também é uma alternativa para o comando do América. Ex-jogador do Santa Cruz e ex-Treinador do Central no Campeonato Pernambucano de 2009 e Copa do Brasil onde acabou sendo eliminado pelo Vasco da Gama naquela Ocasião. Ano passado o treinador realizou bons trabalhos à frente da Acadêmica Vitória, recuperando o Tricolor das Tabocas numa posição delicada no pernambucano, e com Chã Grande na Série A2, que por detalhes não garantiu o acesso a primeira divisão do estadual. Lourival ascendeu de divisão em times de pouca expressão, especialmente no futebol pernambucano, quando conquistou três acessos da Série A2 para a Série A1 do Estadual – com Central, Serrano e Ramalat. Conseguiu ainda a vaga inédita para Salgueiro-PE e Vitória-PE no Campeonato Brasileiro da Terceira Divisão.Além de técnico, ele já foi coordenador das divisões de base do Clube Náutico Capibaribe, de Recife-PE, e jogador (ídolo alvirrubro). Lourival, inclusive, foi o atleta que mais vestiu a camisa do Náutico, em todos os tempos. Um dos técnicos mais promissores da nova geração, que surgiram no estado, Dado foi campeão estadual de Rondônia com o Ulbra, em 2006. No Santa Cruz, Dado Cavalcanti teve a responsabilidade de treinar o time na Copa de Pernambuco. O resultado foi mais um título, com 83% de aproveitamento. Ganhou moral e se tornou auxiliar direto de Lori Sandri. Com a queda do gaúcho no começo do ano, Dado assumiu o comando do clube pernambucano, encontrando o time na sétima posição do Pernambucano e o levando às semifinais. Pela Copa do Brasil, caiu nas oitavas-de-final diante do Atlético-GO, após ter eliminado o Botafogo carioca. Dado pediu demissão do Santa Cruz após desentendimento com a diretoria. Atualmente, é técnico do América de Natal, depois da demissão de Lula Pereira. Outro técnico oriundo das divisões de base do Santa Cruz, Henry Lauar ganhou notoriedade após conquistar o título da Copa Pernambuco no ano passado, de forma invicta. Chegou ao tricolor om a indicação de Raimundo Queiroz, ex-diretor de futebol. Antes havia trabalhado com treinador na equipe do Minaçul, onde conseguiu levar o time goiano para a primeira divisão de Goiás. E por fim, Mauro Branco, que exerce a função de auxiliar técnico no América desde o ano passado, quando o clube disputou a Série A2 do estadual. Antes de trabalhar no América e contribuir com o acesso a primeira divisão, trabalhou como auxiliar técnico de Adelmo Soares em sua passagem no Cabense no primeiro semestre de 2010 pelo Campeonato Pernambucano e uma de suas pontos positivos para substituir Luciano Ribeiro é conhecimento do elenco alviverde. O importante, seja qual for o técnico escolhido, é que ele assuma imediatamente e comece a recuperação do time no estadual. Independente de quem seja todos eles podem conseguir objetivos mais altos para o Campeão do Centenário.

domingo, 23 de janeiro de 2011

A queda do comandante

Luciano Ribeiro é um trabalhador. Ninguém pode afirmar o contrário. Demonstrou ser um profissional esforçado e dedicado no que faz e, desde o inicio da Série A2 do ano passado o América tentou apostar as suas fichas em seu trabalho, embora somente este ano conseguiu fechar a parceria. Mas demonstrou limitação, como todo ser humano, diga-se de passagem. É difícil apontar críticas sobre um desfecho que não dá certo. O treinador não entra em campo, mas delibera quem entra e – detalhe – quem compõe o banco. Muitas vezes nos esquecemos deste detalhe: o treinador deve acertar não só a escalação, mas do mesmo modo a composição da suplência. Os relacionados para o banco determinam as possibilidades de variação durante a partida. Talvez por estes motivos se dá a queda de um treinador durante a competição. Podemos estar utilizando um 'termos predefinidos' agora, mas que seja! Infelizmente futebol é resultado, principalmente quando se participa de uma competição de tiro curto como é o Campeonato Pernambucano, e as cinco derrotas consecutivas acabaram deixando em ruínas todo um planejamento que tinha na mente do treinador. Luciano Ribeiro, a torcida americana agradece sua contribuição e deseja sorte em suas outras empreitadas. Mas, infelizmente neste momento, o Campeão do Centenário precisa de outro perfil para trilhar o seu futuro e que estes sejam de recuperação e vitórias.

O mesmo filme

Eis que a história volta a se repetir. Um gol logo de cara, mas desta vez no inicio do segundo tempo frustra nossas pretensões, e torna as coisas praticamente impossíveis. Daí, conseguimos equilibrar as ações, mas sem efetivamente chegar a um resultado positivo.
Já vimos esse filme ser reprisado algumas vezes nessa temporada. Mas desta vez, algumas tramas foram adicionadas ao roteiro. Ontem, foi de reecontrarmos o Petrolina, que vinha de uma vitória. Na casa da Fera Sertaneja, a sua torcida – e até mesmo da imprensa – do Vale do São Francisco já dava a vitória como certa e especulava somente sobre o quão elástico seria o marcador. O fato é que esta expectativa da torcida local não colou. Logo de início vimos que o time de Luciano Ribeiro veio com ouma proposta totalmente defensiva. E, durante todo o primeiro tempo, ela funcionou bem. Mas não foi um ferrolho violento e catimbado, como os jogadores do Petrolina quiseram apontar na saída para os vestiários. Foi tão somente uma aposta no contra-ataque. A defesa funcionou bem, com Gleibson sempre bem posicionado, no entanto, poucas foram as vezes que vimos o ataque ser acionado no primeiro tempo. No segundo tempo, porém, o que se viu foi uma tremenda pressão do Petrolina e todos que assistiam à partida puderam antever o que realmente se concretizou: nossa cidadela não suportou por muito tempo, sendo vencida aos 10 minutos do segundo tempo, com o volante Jackson. Contra o Petrolina, o filme se repetiu. A vitória da Fera Sertaneja foi justa, justíssima. Mas era plenamente possível proporcionar uma daquelas injustiças históricas. Que o tricolor do sertão foi o time que mais teve chances de abrir o placar, isso não há dúvidas, entretanto, demoraram a matar o jogo e nos deram oportunidades que não poderiam ser desperdiçadas. Pra piorar nossa situação, vimos o Araripina vencer o Sport por 2x0 dentro de seus domínios e o Vitória vencer com facilidade a equipe do Ypiranga por 3x1 no Carneirão. Mas não adianta chorar sobre o leite derramado. A lição deve ser aprendida para os próximos dois e para todo o restante do estadual. A situação agora fica mais delicada. Temos pela frente dois jogos muito difíceis: Cabense e Salgueiro. E não podemos nos dar ao luxo de não pontuar, sob pena de perder contato com os times que estão logo a frente de nós na tabela. Complicado? Muuuuuuuito, mas haveremos de encontrar uma alternativa para sair deste aperto. Devemos por em mente que podemos aprontar no Gileno de Carli. Isto é o primeiro passo para efetivamente conseguir trazer algo positivo de Cabo de Santo Agostinho.
Em breve, ficha técnica da partida.

sábado, 22 de janeiro de 2011

Em busca da vitória no sertão

Após quatro derrotas seguidas o Mequinha vai buscar sua reabilitação diante do Petrolina na quente casa da fera sertaneja. Uma missão difícil, pois os anfitriões estão invictos jogando nas suas dependências e embalados por bons resultados e apresentações diante do Sport e do Vitória. O Mequinha por sua vez vem deixando sua torcida aflita. Infelizmente nós tivemos que amargar quatro derrotas seguidas, que nos fez herdar a maldição da laterna sem ter ainda pontuado. No entanto, o começo da competição tem sido ingrato com o América (embora todos estejam sofrendo). No nosso retorno pegamos de frente logo as quatro equipes mais fortes da competição. E também nos acompanhou arbitragem polêmica e outros problemas, como a ausência do fator casa nos jogos em que fomos mandantes. Mesmo assim, devemos assumir várias falhas que vem se repetindo nos três jogos. O América tem dificuldade de criar jogadas de ataque e erra muito na marcação nas laterais. Para esta partida esperamos que o Mequinha resolva esses defeitos e que possa explorar com eficiência as oportunidades que surgirem. O técnico Luciano Ribeiro vai contar com dois retornos importantes: David, que estava suspenso pelo cartão vermelho no jogo contra o Santa Cruz e Almir! Isso mesmo torcida esmeraldina, Almir. Nosso craque do ano passado vai estrear nesse campeonato após um longo tempo com a coxa lesionada. Esperamos que a falta de ritmo de jogo não supere seu talento e que com ele o meio-campo do Mequinha fique mais criativo. Além dessas mudanças com os retornos, o América vai entrar com dois laterais mais ofensivos e com três zagueiros. Mostrando que o Mequinha vai buscar a vitória mesmo jogando fora de casa. A priori a escalação do América está definida assim: Gleibson, David, Carioca, Negreti e Ronaldo; Edmilson, Almir e Mousinho; Silvano e Douglas. Os nossos jovens talentos estarão diante de mais uma partida difícil, mas a última vitória diante do Central deixou nossa equipe mais confiante e tranqüila para desempenhar seu papel. Sem contar que também viemos de um bom resultado contra o Santa Cruz. Aos jovens esmeraldinos toda a força possível para engrenar numa bela campanha!
Vamos reforçar as esperanças, bravos esmeraldinos, e emanar forças para estes guerreiros. Essa fase ruim tem que passar e depende deles e do nosso apoio. --***--
OFF-TOPIC: Aos que por motivos óbvios não poderão se deslocar de Recife até Petrolina, a Rádio Grande Rio AM irá realizar a transmissão de Petrolina x América-PE através do seu site, a partir das 15h30 no programa Jornada Esportiva, com o locutor Teones Batista. Para acompanhar, clique aqui.

Enéias Leite será o árbitro de Petrolina x América

Ontem (21) às 16h foi realizado na sede da Federação Pernambucana de Futebol (FPF) o sorteio da escala de arbitragem para a quinta rodada do Campeonato Pernambucano. Enéias Leite será o árbitro para a partida contra o Petrolina do estádio Paulo Coelho às 16 horas, tendo como assistentes Charles Rosas e Clóvis Amaral. Antecedendo a partida do elenco profissional, a partida preliminar válida para a quinta rodada dos campeonato pernambucano de juniores terá Gilberto Freire comandando o apito, tendo os mesmos assistentes que irão comandar a partida dos profissionais. A partida preliminar terá início às 13h45.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Mais uma frustração



Novamente a torcida americana foi frustrada no seu desejo de ver a primeira vitória do time no retorno à série A1 do Pernambucano. A vitória do Central deixou os esmeraldinos tristes e preocupados com a campanha. Aparentemente o time que se viu começando o jogo no Gileno de Carli se comportaria diferente dos outros jogos em que saiu derrotado. Começamos arriscando, mas logo depois fomos pegos em um dos erros que mais tem se repetido desde o amistoso contra o CRB em Maceió. 

Novamente a lateral falhou e permitiu o avanço do ataque alvinegro, que foi eficiente e sortudo. Pois num bate e rebate a bola sobrou pro atacante que driblou Gleibson e empurrou para o fundo do gol com tranqüilidade. Depois disso, o que se viu foi o América tentando pressionar, mas chegando com pouca qualidade no ataque. Além das falhas nas laterais, o meio de campo não conseguiu se articular com os atacantes e poucas jogadas foram de fato criadas. 

O time continuou investindo em lançamentos longos, embora tenha se notado um esforço para fazer a bola passar pelo meio antes de chegar aos atacantes. É necessário ressaltar aqui que novamente a lateral se mostrou deficiente, tanto em apoiar quanto em marcar. O time do Central se aproveitou dessa situação e investiu muito em jogadas pela lateral direita no primeiro tempo. Algumas falhas foram corrigidas ao longo do jogo e houve uma melhora sensível, mas esse é um setor que ainda deixa muito a desejar sobretudo no auxílio aos zagueiros e volantes e nas subidas ao ataque. 

As entradas de Silvano e Douglas não surtiram efeito no placar, mas deram uma movimentação diferente ao ataque do América. Embora as falhas no setor central em ligar as jogadas de ataque tenham obrigado muitas vezes aos dois atacantes terem que vir buscar a bola praticamente na defesa e em alguns casos realmente apoiar e cobrir espaços deixados pelas laterais. No segundo tempo o time voltou com outra postura, mesmo assim não conseguia armar jogadas. Logo no início Silvano pressionou a zaga e insistiu até roubar a bola e avançar pela linha de fundo, esperou o momento certo enfiou para Douglas o deixando na cara do gol, mas infelizmente Douglas não finalizou bem e desperdiçou a chance mais clara para o América. 

Outras chances foram criadas e chutes feitos ao gol, mas na maioria com pouco perigo. Talvez este tenha sido outro aspecto interessante. O América conseguiu criar mais jogadas e finalizar mais do que nas partidas anteriores, mas ainda falta qualidade no último passe e nas finalizações. O time do Central fez o segundo gol numa jogada típica de falha de time desesperado. Mas antes já havia articulado bons contra-ataques que levaram muito perigo à meta americana. E o time centralino mostrou uma postura de time experiente e soube explorar bem as falhas americanas. 

Por fim, vou emitir algumas opiniões. Acho que o América precisa corrigir algumas falhas imediatamente. Sobretudo nas laterais e no meio do campo no setor de articulação. O time tem que armar mais ataques pelas margens do campo e se desembaraçar do meio. E reforço que continuo achando que alguns jogadores estão subaproveitados e alguns posicionamentos precisam ser revistos. 

Nos juniores, um alento à torcida esmeraldina. As nossas jovens promessas venceram a Patativa no placar de 1x0 na partida preliminar e, ao contrário dos profissionais, já somaram quatro pontos nas últimas duas partidas. O gol foi marcado por Altemir.

No mais é continuar torcendo. Ainda temos esperança, pois vestimos verde!

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Valendo mais que três pontos

O jogo de hoje vale muito mais que três pontos. Não se trata apenas de vencer, mas de engrenar no campeonato e de largar a provisória lanterna na mão de outra equipe. O adversário é nosso velho conhecido nosso e de longas datas e não será fácil. Tampouco, mais difícil. Iremos encontrar a dificuldade exata que se pode esperar de um time que para garantir sua vaga no G4. Será certamente complicado e bem difícil. Mas jogamos em casa (ao menos, na teoria). Para a partida de hoje Carioca substituirá David na zaga, expulso na ultima partida diante do Santa Cruz. A dupla de ataque também sofrerá mudanças, entrando Douglas no lugar de Branquinho, que irá fazer dupla com Silvano, autor do unico gol esmeraldino no estadual. Na lateral esquerda, Ronaldo como titular, substituindo Neto Bolacha. Provavelmente, Luciano Ribeiro irá entrar com esta formação, no 4-4-2: Gleibson; Alex Roma, Negreti, Carioca e Neto Bolacha; Givaldo, Mousinho, Batata e Edmílson; Branquinho e Silvano. No lado da Patativa, o meia Rosembrik mais uma vez ficará de fora, devido a uma lesão no joelho direito. Outra ausência garantida no time alvinegro é a do volante Jalnir. Autor do terceiro gol diante do Petrolina, na ultima rodada, o atleta ficará fora devido a sentir a coxa direita durante a partida contra a Fera Sertaneja. Sendo assim, o time base do Central deverá ser este, diante do América, mantendo o esquema 3-5-2, geralmente adotado por Mauricio Simões: Sérvulo; Valney, Émerson e Breno; Gustavo, Fernando Pires, Wilson Surubim, Vassoura e Vanderson; Danilo Pitbull e Harley. Então, nesta quinta, o América precisa ainda mais de nosso apoio, sendo nosso dever comparecer no Gileno de Carli logo mais. Deixá-lo mais branco e verde, e substituir, ao menos no dia de hoje, o azul da Cabense. Empurrar o Campeão do Centenário. Esse jogo vale muito! Vale a seqüência, vale nossos primeiros pontos!

Números do clássico Periquito x Patativa desse confronto começou em 1937



O elenco do América, após treinar na tarde de ontem, seguiram para a concentração os atletas foram relacionados para o confronto de hoje com o Central, às 20h, no Estádio Gileno de Carli, no Cabo de Santo Agostinho, válido pela quarta rodada do Campeonato Pernambucano.

A história do confronto entre Periquito e a Patativa do Agreste é antiga e tradicionalíssima. Segundo números do site RSSSF, compilados pelo historiador Carlos Celso Cordeiro e Luciano Guedes Cordeiro, a estatística dos confrontos entre América e Central é esta, sendo contabilizados no Campeonato Pernambucano (com exceção dos anos de 91 a 93, que não estão informados no RSSSF) e no Torneio Incentivo, de 1975. 

Torneio Início e amistosos não foram computados:

TOTAL DE JOGOS: 106
VITÓRIAS DO AMÉRICA: 30
VITÓRIAS DO CENTRAL: 48
EMPATES: 28
GOLS MARCADOS PELO AMÉRICA: 105 GOLS 
MARCADOS PELO CENTRAL: 153
TOTAL DE GOLS: 261

A primeira partida foi disputada no dia 02 de junho de 1937, em Caruaru, com triunfo do Central por 2x1. O último jogo entre os tradicionais clubes foi válido pelo Campeonato Pernambucano de 1995, no estádio dos Aflitos, no dia 26 de junho. Nesta partida, o América venceu o time de Caruaru por 2x0, com gols de Isaac e Everaldo. Curiosamente, a partida que teve Hidelbrando Ferreira como árbitro e auxiliado por Patrício Souza e Robervan Bernardes foi quase que secreta, sendo acompanhada apenas por oito torcedores, garantindo uma renda de R$ 24,00.

No dia 28 de agosto de 1995, um domingo, o Central aplicou a maior goleada da história desse embate: 6x1, em partida válida pelo Campeonato Pernambucano. No Pedro Victor, a Patativa se aproveitou da crise que estava o América estava vivenciando e aplicou uma goleada no time esmeraldino. Os gols da patativa foram marcados por Everaldo (2), Marcos, Damon, Jaílson e Reginaldo, enquanto que Everaldo marcou o gol de honra esmeraldino. A partida foi arbitrada por Erick Bandeira e auxiliada por Hideraldo Ferreira e Ricardo Tavares. Com 421 pessoas, a renda somou R$ 1263,00.

Ano passado, América e Central se reencontraram através de um jogo-treino no CT do Gavião, em Caruaru, o resultado deste encontro pode ser visto, clicando aqui.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Ademir Cunha: a novela

Enfim, esperamos estar dando o passo final nessa novela. Que graças à Deus será curta.
Hoje pela manhã o Blog do Mequinha conversou com Roberto Couto Filho, o Robertinho, diretor de futebol do América e Responsável pelo Estádio Ademir Cunha. Segundo ele a partida entre América e Salgueiro, no dia 30 de janeiro, marcará a reinauguração do Ademir Cunha em partidas da série A1 do Pernambucano. Robertinho informou também que foram investidos 147 mil reais nas reformas do estádio e todas as exigências apresentadas pelos orgãos competentes foram cumpridas. Inclusive as que ficaram pendentes segundo a Polícia Militar, como o problema no gradil que separa as torcidas. Essas pendências foram apresentadas dias antes do início da competição e a diretoria do América junto com a Prefeitura do Paulista optaram por reabrir o estádio quando esses problemas estivessem de fato sanados.
América deve retornar ao Ademir Cunha diante do Salgueiro
No momento estão sendo finalizadas a revitalização dos novos banheiros e a remoção de materiais que ainda se encontram no estádio. Além das reformas para cumprimento das exigências, o Ademir Cunha ganhou novos bancos de reservas, túneis e ganhará nova pintura. Os bancos e túneis foram conseguidos através do patrocínio da Suo's S2 e a pintura contará com o apoio da Iquine. A torcida do Mequinha está ansiosa para receber o seu time em casa. A festa está preparada, mas o atraso colocou água no chopp por duas vezes. Esperamos que desta vez tudo dê certo e que possamos dar aquele apoio que o time tanto precisa.

Definida a arbitragem para a partida contra o Central

Definido o trio de arbitragem que comanda a partida entre América e Central nesta quinta-feira às 20h no estádio Gileno de Carli. Para o duelo válido para a quarta rodada do Campeonato Pernambucano está escalado como juiz Anderson Freitas, sendo auxiliado por Ubirajara Ferraz e Marcelino Castro. Para a partida preliminar, válida pelo Campeonato de Juniores terá como arbitro Francisco Chaves, repetindo Ubirajara Ferraz e Marcelino Castro como assistentes. O quarto árbitro será Eduardo Alcântara e também servirá as duas partidas nesta quinta-feira, no Gileno de Carli. A partida dos juniores iniciará às 17h45.

Santa Cruz 3 x 1 América

Santa 3 x 1 América. Esse placar não deixa qualquer dúvida de quem mandou no jogo o tempo todo. Infelizmente o América de novo repetiu uma apresentação fraca, assim como foi contra o Porto no domingo.

O time coral entrou com um ritmo muito contundente nos primeiros 15 minutos de jogo e não demorou muito para abrir o placar. E daí em diante as porteiras se abriram, quando aos 30 minutos o tricolor já estava com o escore de 3 x 0. As substituições feitas para este jogo pareciam não ter surtido efeito. E o América se mostrava mal posicionado em campo e abatido, como se já estivesse entrado derrotado.

No entanto, o Santa pisou no freio e diminuiu o ritmo, talvez pensando na longa viagem que terá para o jogo de quinta-feira. Com o isso o Mequinha começou a aproveitar os espaços deixados em campo para tentar explorar a defesa tricolor. Mas mesmo assim, ainda estava muito longe daquilo que os torcedores se acostumaram a ver no ano passado, quando o ataque esmeraldino se mostrava muito volumoso e teimava em perder oportunidades de gol.

De qualquer forma, Silvano marcou um gol de cabeça e fez o primeiro gol do mequinha na série A1 desde 1995, depois da vitória sobre o Estudantes que o livrou do rebaixamento.

O segundo tempo foi marcado por um futebol lento e o Santa continuou cadenciando o jogo, enquanto o América tentava chegar ao ataque. Mas logo no início veio um banho de água fria com o pênalti feito por David. Sorte do Mequinha que Thiago Matias foi infeliz na sua cobrança.

Após o pênalti o América voltou a esboçar uma pressão, mas um novo banho de água fria fez com que o time alviverde não tivesse mais chances na partida: David foi expulso após fazer falta dura em Landu e receber o segundo cartão amarelo na partida. E nosso xerife anda muito aquém daquilo que ele está acostumado a ser.

Enfim, o América apresentou uma futebol pouco ousado e pouco eficiente na saída dos contra-ataques. Ainda carecemos de uma melhor articulação entre o meio-campo e o ataque. E não é por falta de elenco. Temos jogadores que podem desempenhar bem esse papel e já provaram que conseguem em várias ocasiões. Falta colocar as peças nos devidos lugares; onde elas podem render mais. Estamos falando de jogadores como Mousinho, que possui boa visão de jogo, Lúcio, que é habilidoso e que não tem característica de jogador de marcação e de Almir, que esperamos a recuperação para melhorar o meio-campo do América e torná-lo mais eficiente na ligação com o ataque.

Sabemos que nossos objetivos na competição são modestos e acreditamos que temos elenco para isto. Mas é necessário uma reflexão do que está fazendo esse elenco render abaixo do que se espera dele. E isto não se resume apenas a derrota para o Santa Cruz. Esperemos mais sorte diante do Central e desejamos força aos nossos jogadores.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Hoje é dia de Clássico da Amizade!

A noite de hoje tende a ser emocionante, por dois motivos. Hoje tem “Clássico da Amizade”, ou “O Verdadeiro Clássico das Emoções”, e a outra é que o América vai a campo. E se o Campeão do Centenário vai jogar, estaremos sempre aqui para apoiar. Apoio por que acredito neste time, acredito na nossa tradição e na nossa qualidade. A torcida esmeraldina precisa dar mais um voto de confiança nestes atletas que já venceram tantas batalhas importantes e difíceis ano passado, para que consigamos a recuperação e a escalada na tabela. Teremos pela frente mais um time que busca manter-se na liderança. O Santa Cruz terá na lateral direita, Jackson, que entrou bem nos dois jogos assume o posto de Bruno Leite. Já o ataque terá Thiago Cunha, no lugar de Landu, que voltou a sentir dores no dorso do pé. O América terá o retorno de Batata ao time, no lugar de Lucio. Tomara que ele esteja inteiro e pronto a ser, novamente, participativo, assim como fez diante do Sport. O América necessita do seu bom futebol novamente. Além desta modificação, Arley sai para entrada de Roma, na lateral direita e a dupla de ataque Lulinha e Douglas darão lugar a Silvano e Branquinho. Peço que não nos abandone neste momento tão turbulento e complicado (o mais complicado do ano). Esperamos, hoje, ver uma grande atuação de todo time, pois só ela poderá manter acesa a chama da esperança de vitórias. Tomara que os jogadores tenham inteligência e malícia suficientes para não serem expulsos, principalmente nosso Xerifão David, que já contabiliza dois cartões amarelos e está pendurado. É bom que tenhamos em mente que os critérios para nós são uns e, para os outros, a coisa muda.

O Verdadeiro Clássico das Emoções

Quando entrarem em campo nesta terça-feira, Santa Cruz e América estarão reeditando uma das páginas mais interessantes do futebol pernambucano. Torcedores jovens e mais experientes estarão revivendo o 310° Clássico da Amizade ou O Verdadeiro Clássico das Emoções. América e Santa sempre compartilharam boas relações tanto entre as torcidas quanto entre as diretorias. Daí vem a alcunha de Clássico da Amizade que surgiu bem depois do jogo ser batizado de O Verdadeiro Clássico das Emoções. O título de O Verdadeiro Clássico das Emoções advém da épica partida de estréia das duas equipes no Campeonato Pernambucano de 1917. Neste jogo foi vivenciada uma das maiores viradas do futebol brasileiro. O América ganhava do Santa Cruz por 5 x 1 até os 30 minutos do segundo tempo, quando o time tricolor começou uma espantosa reação e o jogo terminou com o placar de 7 x 5 para o Santinha. A história desse eletrizante jogo está contada no nosso Blog, (clique aqui). Das 309 partidas que o América fez contra o tricolor, venceu 63, empatou 54 e perdeu 191, segundo o pesquisador Carlos Celso Cordeiro. Uma dessas partidas tem resultado desconhecido. O América encontrou o Santa Cruz por três vezes em disputas do campeonato estadual. Em duas o Santa foi vice-campeão. Em 1918 o tricolor ficou em segundo lugar em um campeonato de pontos corridos e foi o único a bater o esmeraldino naquela edição. Na decisão do campeonato de 1921 o América venceu o tricolor por 4 x 1, o jogo aconteceu em fevereiro de 1922. Em 1947 foi à vez de o Santa vencer o América em duas partidas pelas finais do campeonato do mesmo ano. Essa história vai ser revivida hoje e o Mequinha vai para o Arruda de cabeça erguida e com alma de guerreiro para travar mais uma batalha cheia de emoções e cordialidades.

Os jogos inesquecíveis entre Santa Cruz e América

POR ROBERTO VIEIRA

Santa Cruz e América.

Protagonizaram espetáculos eletrizantes.

Plenos de garra e classe.

A memória do futebol.

Guarda com todo carinho e apreço.

Três desses momentos espetaculares.

O primeiro ocorreu em 1915, estádio dos Aflitos.

Aos 30 minutos do segundo tempo.

O América vencia por 5 a 1.

Pois bem.

Em 15 minutos.

Comandados pelo futuro médico e senador Martiniano Fernandes.

O tricolor virou o prélio para assombrosos 7 a 5.

Vinte e quatro anos depois.

Outubro de 1939.

América e Santa Cruz lideram o certame estadual.

E superam na penúltima rodada.

O recorde de gols de 1915.

O Santa Cruz vence novamente.

Desta vez por 8 a 5.

Vicente e Lucas, arqueiros das duas equipes.

Perderam a conta do número de vezes.

Nas quais buscaram a bola no fundo das redes na Avenida Malaquias.

Tempo que passa.

Moacir Barbosa no arco do time coral.

E o América detona um 6 a 3 impiedoso no adversário.

Demitindo o imortal goleiro de 50 das vestes tricolores.

Três jogos.

Trinta e quatro gols marcados.

Trezentos torcedores no Pronto Socorro...


-- 
Roberto Vieira, 45 anos, médico, escritor pernambucano e torcedor do Clube Náutico Capibaribe. Autor dos livros 'O Clássico dos Clássicos - 100 anos de História' e 'Pernambuco na Copa do Mundo (1930-1950)'. Edita o Blog do Roberto. Visite!

Falece Seu Paulo, torcedor simbolo do América

O Blog do Mequinha está em Luto.
O América perde um pouco do seu brilho nas arquibancadas. Seu Paulo, torcedor ilustre do nosso querido Mequinha, ao qual tivemos o prazer de conhecer, faleceu nessa madrugada de 17 de janeiro em consequência de complicações pós-cirúrgicas, aos 79 anos. Havia fraturado a perna no fim do ano passado e vinha lutando para se recuperar, mas com a idade avançada, era muito complicada uma recuperação. O enterro foi realizado no Cemitério Morada da Paz, às 16:00 horas. Compareceram amigos, familiares, e a Diretoria do América. "Sentimos muito por esta perda. Ele era uma pessoa querida e respeitada por todos. Um referencial para o América.” afirmou Sérgio Serpa, presidente do Conselho Deliberativo do Clube Esmeraldino. Seu Paulo deixa além de filhos e netos, o seu exemplo de torcedor do América, nunca desistindo do seu sonho de ver novamente o seu Clube de Coração de volta à primeira divisão de Pernambuco. E o sonho se concretizou. Fica vivo em nossa memória o seu amor incondicional e serviços prestados pelo clube, além de sua inspiração para formação da futura geração Esmeraldina. O nosso verde perde um pouco do seu brilho sem a presença deste grande homem. Que Deus o acompanhe, e que lá de cima, Seu Paulo possa ajudar a guiar a sua paixão pelo Campeão do Centenário pelos caminhos das vitórias e títulos, assim como foi vivenciada em sua juventude. Abaixo, um video que demontra o carisma e a paixão deste homem pelo América. Este foi o primeiro encontro do Blog do Mequinha com Seu Paulo, na estréia da Série A2 de 2009 diante do Atlético Pernambucano, em Vitória de Santo Antão.