quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Aurora de um tabu

No dia 12 de março de 1972 o América vencia pela última vez a equipe do Sport numa partida do campeonato pernambucano. Nesta tarde de domingo o Mequinha entrava em campo com dois desfalques e dois estreantes. Uma das estréias era do zagueiro Ivo, o qual já havia jogado com a camisa rubro-negra e era destaque nas palavras do então treinador esmeraldino Caiçara, que confiava no seu talento para segurar o ataque leonino. A equipe do Sport vinha mal no campeonato, ou pelo menos sua campanha não agradava aos torcedores. O América não levou isso em consideração e com um bom esquema tático montado por Caiçara, conseguiu surpreender o Sport emplacando 3 x 1 na Ilha do Retiro. O primeiro gol americano saiu da cabeça de Ivo após um escanteio. O Sport empatou ainda antes do fim do primeiro tempo. Durante o segundo tempo, o América se posicionou melhor e soube explorar as falhas rubronegras. No entanto, o segundo gol alviverde saiu de uma jogada individual de Pedrinho que driblou vários jogadores do Sport até enganar o goleiro e balançar as redes. O coupe de grace veio com um penalti cobrado por Edson. O que despertou a ira da torcida e fez surgir os gritos de ‘mais um... mais um’. Este foi um resumo da história daquele jogo, que teve situações engraçadas e que revelavam as atitudes futebolísticas da época. No dia do jogo o América não concentrou e os jogadores se apresentaram na sede da Estrada do Arraial. De lá foram almoçar e seguiram para a partida. A economia com o dinheiro da hospedagem ajudou no bicho que motivou os jogadores contra o Sport. Também dois atletas americanos jogaram de graça. Teco e Batista atuaram mesmo sem contar com a renovação do contrato e estarem sem a garantia de salário. Um dos jogadores que desfalcou o América foi dispensado para o seu casamento que se realizava na mesma tarde do jogo. A repercussão da vitória esmeraldina variou entre espanto com a “zebra” e raiva com as falhas administrativas do Sport. Francisco José na coluna Contra-Ataque, criticava os dirigentes do Sport por insistirem na contratação de jogadores em fase final de carreira, enquanto elogiava e citava o América como um exemplo a ser seguido, pois apresentava bons jogadores com uma média de idade abaixo dos 22 anos e ressaltava que se o Mequinha desse mais condições de trabalho para estes jovens certamente teria mais sucesso no campeonato. No entanto, essa não foi a última vez que o América venceu o Sport por uma partida oficial. Em setembro de 2005 o América venceu o rubronegro por 1 a 0, numa partida válida pela Copa Pernambuco. Os detalhes do jogo de 1972 estão abaixo: América 3 x 1 Sport (Ilha do Retiro) Árbitro: Armindo Tavares Gols: Ivo, Pedrinho e Edson (América); Beto (Sport) Escalação do América: Naércio, Teco, Ugiete, Móises e Valdir; Brito, Batista e Pedrinho; Edson e Paulinho. Técnico: Caiçara

2 comentários:

  1. Eu quero ver no globo esporte nacional falar da quebra desse tabu.

    ResponderExcluir
  2. Hoje e' o dia que todo torcedor que compareceu aos jogos da Serie A2 tanto esperava, e hoje quando o arbitro iniciar a partida, todos devem refletir e vibrar de uma vez por todas, o América realmente voltou,mais uma vez vou dar os parabéns a todos os heróis do América da vitoriosa campanha, na Serie A2.Boa sorte ! no Pernambucano 2011.

    ResponderExcluir