segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Da euforia à tristeza

Esquecível. Assim pode ser definida a partida valida pela segunda rodada do Campeonato Pernambucano entre América e Porto, em Vitória de Santo Antão, onde totalmente apático o clube alviverde nem de longe lembrou a equipe que jogou na estréia diante o Sport. Um Time sonolento, mal posicionado em campo, apronta mais uma para os nossos corações. No primeiro tempo tanto o América quanto o Porto arrastavam-se em campo, poucos produziram, e num lance de desatenção do Campeão do Centenário a equipe caruaruense abriu o placar de pênalti já nos acréscimos, após um choque de Gleibson com o meia Thiago Laranjeira, fazendo com que o atleta do Porto saísse contundido. No intervalo houve bronca do Luciano Ribeiro e substituições. Com a mudança do esquema tático para o 3-5-2 e substituindo Neto Bolacha por Ronaldo, o time mudou a atitude. Começou a morder mais e tocar com velocidade no ataque, com Arley comparecendo sempre no ataque. O treinador ainda recuou Carioca, que vinha jogando o primeiro tempo como volante, passando a exercer a função de zagueiro, que é sua posição de origem. Aí sim vimos o América em campo, apesar de vários erros de passes. O time do primeiro tempo não era o América, e sim um amontoados de atletas em campo, sem rumo. Como conseqüência destas mudanças veio à reação, mas Mondragon estava atento, impedindo quaisquer chances de gol esmeraldino. Tentando o empate a qualquer custo,Luciano Ribeiro colocou em campo o atacante Silvano, no lugar de Lulinha, dando mais agudez ao ataque, além de Rafinha no lugar de Lucio, melhorando consideravelmente a ligação do meio com o ataque. Com o andamento do segundo tempo, o Porto caiu de rendimento, sem o mesmo pique do primeiro. Mesmo assim, a equipe esmeraldina não conseguiu vencer a defesa do Gavião. Para completar, David recebeu seu segundo cartão amarelo e amanhã irá jogar no Arruda pendurado.

2 comentários:

  1. Bola pra frente que acima da tabela tem gente.

    ResponderExcluir
  2. Olha nada ainda para desespero, esse momento requer ter calma, e arruar a casa, todo jogo e' decisivo para todos, por tanto só resta trabalhar. Vamos la América.

    ResponderExcluir