quarta-feira, 27 de abril de 2011

Heróis do futuro (?)

No decorrer do campeonato pernambucano de 2011, todos os Americanos se alegraram e se surpreenderam com as vitórias e com a bela campanha dos juniores do América. Todo o elenco merece créditos pelo ótimo trabalho orientado pela comissão técnica que é capitaneada por Luciano Veloso.

Muito embora o conjunto tenha sido o ponto forte do Mequinha Jr. no certame, dois garotos se destacaram: Danilo pela criatividade e calma nas saídas de bola no meio campo e Marquinhos pelas finalizações e eficiência dentro da grande área. Ambos são artilheiros da equipe, ambos tem qualidade técnica individual e para jogar coletivamente e ambos podem representar o futuro do América.

Entre as coisas que eles não compartilham está a situação contratual. Danilo já tem contrato profissional com o América, mas este se encerra em maio. Marquinhos por sua vez não tem contrato com o Clube Esmeraldino.

Danilo é jovem e sensato, mas já possui uma experiência como profissional. Já teve passagem pelo Bacabal do Maranhão onde disputou uma competição e de onde veio para o América na condição de profissional, pela idade a diretoria do Alviverde o convidou para reforçar a equipe dos juniores. Conversando com Danilo, nota-se um profundo conhecimento e compromisso com o projeto Alviverde de reestruturação. Além disso, ele desejaria fazer parte dessa nova etapa na vida Americana e quem sabe do ano do Centenário Alviverde.

Muito discreto e simples Danilo não me revelou que é sobrinho de Juninho Pernambucano. Através de outras pessoas e por acaso descobri esse fato que mostra uma curiosa relação entre sua habilidade dentro de campo e sua genética.

Marquinhos, por sua vez, é um centroavante nato. Embora seu biótipo não se encaixe na figura típica de um jogador dessa posição, ele naturalmente desempenha essa função com maestria. Autor de 7 gols no campeonato, o jovem artilheiro Americano mostra muita desenvoltura e habilidade dentro da grande área. Não tem medo de chamar a responsabilidade na hora de decidir e dá muito trabalho aos marcadores.

Marquinhos se sente emocionado em colaborar com a equipe na qual o seu avô jogou no passado. Ainda sem contrato ele sonha em continuar no futebol para ajudar sua família e também deseja fazer parte do projeto Esmeraldino para o Centenário.

Dois exemplos de jovens jogadores que podem ser aproveitados pelo América e que podem render bons frutos no futuro.

Um comentário:

  1. concordo com vc jefferson.. o américa tem excelentes jogadores na base e precisa aproveitá-los na equipe principal.. isso é praxe no futebol, a não ser quando os clubes têm dinheiro pra jogar fora, via clube dos 13 e outros babados... vamos prestigiar nossa prata da casa !

    ResponderExcluir