sábado, 16 de abril de 2011

Vencer pra Sobreviver II

Apesar das da conquista do acesso à primeira divisão, a campanha de 2010 também guarda algumas características semelhantes a este ano. Primeiramente, que participar da Série A2 por si só já é uma questão de sobrevivência, o que dirá para uma equipe tradicional como o América, com diversas conquistas somadas ao longo dos anos e beirando o seu centenário. A liberação do Ademir Cunha para os jogos do América também é algo para ser lembrado. Com o estádio interditado desde 2006 para jogos realizados pela FPF, o clube esmeraldino em parceria com a Prefeitura do Paulista rebolou muito para conseguir a aprovação de todos os laudos de segurança do estádio. Em 2011 a história se repetiu. Com a normas de segurança ainda mais rígidas na divisão de elite de estadual, a liberação do Ademir Cunha só ocorreu após o inicio do estadual, deixando seqüelas na campanha esmeraldina, fazendo com que o América mandasse as suas duas primeiras partidas em casa no Carneirão contra o Porto, em Vitória de Santo Antão e no Gileno de Carli, no Cabo de Santo Agostinho, contra o Central. As coincidências não param por ai. O elenco alviverde também sofreu grandes mutações no seu elenco. Sem um grupo fechado, o técnico Paulo Junior foi perdendo alguns atletas, como o goleiro Eduardo e se reforçando no andar do estadual. Jogadores como o goleiro Anderson, lateral Arley e o atacante Muller, autor dos três gols da conquista do jogo decisivo contra o Chã Grande chegaram faltando um mês para o fim do campeonato. O mesmo ocorreu este ano, com soma dos talentos de França, Janderson, Flavio Barros, Kel, Philco e Rafael Soares, coincidentemente, faltando apenas um pouco mais de mês para o fim da primeira fase do PE2011. E por fim, o acesso à primeira divisão teve tons de dramaticidade, assim como esta sendo nossa permanência a ela neste ano. Com três equipes lutando por uma única vaga para o retorno a divisão de elite do estadual (América, Chã Grande e Timbaúba), embora sua torcida mantinha a crença no acesso, o América era o que possuía chances remotas de conquistá-la, decidindo fora de casa contra o Chã Grande que possuía ao seu favor uma torcida envolvida, além de possuir ao seu favor um aproveitamento excelente dentro de casa. Na outra partida, o Timbaúba líder do grupo, pegava fora de casa o Pesqueira, um time sem pretensões de ascender a primeira divisão. O resultado todos nós já sabemos, com o América goleando o Chã Grande e conquistando o acesso através do critério de gols marcados, com a mesma pontuação e saldo de gols, mas com um gol a mais que o Timbauba. Nesta ultima rodada, a situação se repete, jogaremos fora de casa contra o Araripina, que possui aproveitamento excelente dentro de casa e com uma torcida que faz o papel de 12º jogador no Chapadão do Araripe, do outro lado teremos Ypiranga e Vitória que pegarão em seus domínios duas equipes sem qualquer pretensão no certame. Esperamos que estas coincidências continuem se repetindo e que Paulo Junior faça seu elenco repetir a mesma superação adotada no ano passado, crendo no nosso sucesso durante todo o noventa minutos de partida. Que o nosso EU VOLTEI AGORA PRA FICAR seja remodelado na segunda-feira para EU VOLTEI PRA FICAR. EU ACREDITO!!!

0 comentários:

Postar um comentário