segunda-feira, 20 de junho de 2011

A era esmeraldina em Jaboatão - Parte I

A ida do América para Jaboatão partiu-se da eleição de Lamartine Távora, visando uma importante recuperação administrativa e técnica do clube, onde nas últimas décadas o alviverde da Estrada do Arraial fez-se perder o rumo e enveredou, aceleradamente, para o mundo dos pequenos, situação vexatória para um clube que durante décadas fora grande e teve voz ativa no futebol pernambucano. Sendo assim, o América tomou rumo a um pequeno estádio que pudesse ser destinado aos seus atletas a treinos e jogos, para quem sabe, reviver os seus grandes dias de outrora, inclusive atrair uma nova faixa de torcedores. Enquanto o processo de mudança do Periquito caminhava em ritmo acelerado, a prefeitura de Jaboatão dos Guararapes, investindo no acanhado estádio algo em torno de 8 milhões de Cruzeiros, convertidos em quatro torres de iluminação, três vestiários, sete bilheterias, cinco portões para escoamento do público e um moderno sistema de irrigação e manutenção do gramado, algo que, para época era superior aos Aflitos do Náutico e ao Pedro Victor (atual Luiz Lacerda) do Central de Caruaru. A confiança por dias melhores era tamanha que alguns dirigentes do Conselho Deliberativo já planejavam vender a sede do clube situada em Casa Amarela, com os fundos arrecadados com esta negociação, seriam empregados no 'novo estádio' esmeraldino, e se tornar de fato, uma equipe jaboatonense. O apoio e a expectativa por dias melhores iniciou meses após o acordo entre a direção esmeraldina e a prefeitura e câmara de vereadores jaboatonense, com o América vencendo o Torneio de Aniversário da Cidade de Jaboatão, derrotando o Estrela do Mar por 2x1, com gols de Nando e Givaldo. Neste mesmo ano, outros jogos amistosos vieram a ocorrer no Jefferson de Freitas, como o empate em 1x1 contra o ASA de Arapiraca. Para Lamartine Távora, presidente esmeraldino da época, a construção de uma sede com área de lazer era um plano de médio prazo com a ajuda do prefeito Geraldo Melo, e a curto prazo, a participação de um campeonato nacional de maneira expressiva.

4 comentários:

  1. blz, was ! muito oportuna essa postagem, para que toda a torcida americana conheça melhor sua história.. e vamos movimentando o blog! o mequinha não pode parar !!!
    alô diretoria: e o quadro social?? força, amééééricaaaaa !!

    ResponderExcluir
  2. Realmente o América alem de um estadio, vai precisar ter mais atividades, para fazer o seu torcedor, ficar bem mais próximo ao clube.Mais assim mesmo vamos movimentar o blog , pois o blog do mequinha e' sempre vai ser o melhor blog esportivo de Pernambuco.

    ResponderExcluir
  3. O mequinha precisa de um estádio próprio. Creio que foi a falta deste que nos fez cair e quase fechar as portas, Não dá prá ficar feito cigano, esperando boa vontade de políticos que só olham seus interesses.

    ResponderExcluir
  4. VAMOS APROVEITAR A IDA DOS TORCEDORES AO JOGO DO SALGUEIRO NO ADEMIR CUNHA PARA DIVULGAR MAIS A NOSSA EQUIPE,QUE PRECISARÁ DO APOIO DELES NO ANO QUE VEM.

    ResponderExcluir