quinta-feira, 23 de junho de 2011

Remando contra a maré

Sempre quando me perguntam sobre o motivo da minha pessoa ter escolhido o América como clube do coração, juro que não tenho respostas. É óbvio que chega soar estranho um individuo que sequer viu seu time ser campeão, torcer com tanto afinco. No fim das contas, não há uma explicação lógica para esta resposta, se é que existe resposta ou lógica para justificar uma paixão. Torcer para o América é como remar uma canoa contra a maré em dia de Tsunami, hoje em dia você vê a turma comemorando, porque seu time fechou mais um contrato vantajoso com a Globo, vê neguinho vibrando porque o Marketing conseguiu um patrocínio espetacular para a próxima temporada, ou que aquele fulaninho que foi o cão chupando manga no final da década de noventa finalmente foi contratado, mesmo sabendo que ele já está pra lá de Bagdá, mas o que importa mesmo é vender camisa com seu nome estampado. Muitos já não sentem mais a essência do futebol... sua origem, de onde ele veio, e como ele deveria seguir. E no meio desta maré brava, surgiram algumas dezenas de adeptos para remar esta canoa esmeraldina. Primeiro vieram os meninos de Jardim Paulista Baixo, fundando a Império Verde, um mês depois o melhorando este caldo com a garotada da Esquadrão Alviverde, também de Paulista, mas representando o bairro de Maranguape II. Passado um ano do acesso a elite do pernambucano e a garantia da permanência neste 2011, o numero de torcedores ampliou de forma expressiva e também jamais vista nos demais municípios em que o Periquito mandou seus jogos. Para aqueles consideram isso é fogo de palha ou simplesmente assanhamento, esses malucos de Paulista andam para todo lado, para ver o América. Apenas por vontade de vê-lo jogar. E, cantam mais forte quando a situação é desfavorável e dando estímulo para que outros jovens situados em outros bairros de Paulista venha para o Ademir Cunha em dias de jogos apoiar o Campeão do Centenário. Exemplo maior disso é sede da Esquadrão inaugurada recentemente e a fundação da Máfia Verde, nova organizada do América representando o bairro do Janga. Também salientando que todo este esforço e zelo para criação de camisas, faixas e bandeiras é realizado com recursos próprios e sem qualquer tipo de patrocinio. Parabéns às organizadas esmeraldinas, que deu mais uma aula de civilidade e amor ao América, sempre ao lado do verdadeiro futebol.

2 comentários:

  1. Beleza de matéria , Washington. Na verdade vc já nasceu americano pernambucano. É que só agora veio descobrir. Abraço e saudações esmeraldinas.

    ResponderExcluir
  2. Washington voce é o mais Pernambucano de todos os Pernambucanos , que vieram para essa terrinha que meu DEUS abencou ! pode ter certeza, e ainda por cima ser torcedor de um clube que tem na sua historia um passado e um presente cheio de glorias, mesmo não estando entre os pricipais clubes da cidade, mais por outro lado é o clube mais querido por todos os torcedores de Pernambuco independete o clube que torça.

    ResponderExcluir