quinta-feira, 14 de julho de 2011

Copa Pernambuco, vale a pena arriscar?

Neste ano a Federação Pernambucana irá editar sua nona edição da Copa Pernambuco. Realizada desde 2002, a Copa Pernambuco teve a partipação do América em três oportunidades, em 2004, 2005 e 2008.
Idealizada por Carlos Alberto de Oliveira, a Copa Pernambuco tem por finalidade minimizar a sazonalidade dos clubes pernambucanos que não garantem participação em competição nacionais no segundo semestre, embora na prática, esse objetivo acaba não sendo totalmente explorado pelos clubes, tornando-se uma utopia. Na última edição, dos 46 clubes filiados na FPF (segundo o site da instituição) apenas 05 participaram. Nos estados da Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Piaui, Rio de Janeiro e Santa Catarina um campeonato equivalente vale vaga pra Série D. Na Paraiba, Espirito Santo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e novamente em Santa Catarina, pra Copa do Brasil... E a nossa Copa Pernambuco? Apenas um troféu. Será que vale a pena tanto esforço participar de um campeonato que não gera retorno algum, seja ele financeiro ou a uma promoção para participar de uma competição nacional? Além dos custos para a montagem e manutenção de um elenco e comissão técnica (salários, alimentação, alojamento, viagens...) o América como mandante tem a responsabilidade pelo pagamento de todas as despesas referentes a partida, o que inclui taxa de arbitragem, dos delegados e ajuda de custo, que devem ser pagas antes de ser dado o inicio da partida. Todas estas responsabilidades fazem um dirigente refletir bastante se realmente vale a pena participar de uma competição sem tantos atrativos, principalmente se for levado em consideração a ausência de um fator relevante, como o programa Todos com a Nota. A participação esmeraldina ainda é uma icógnita e, devido a todas estes contras levantados é até justificável a ausencia do alviverde em mais uma edição. Como tudo na vida existe dois lados na moeda, o Blog do Mequinha também irá levantar pontos relevantes para a participação do Campeão do Centenário na Copa Pernambucano e mostrando também que dela também podemos tirar proveitos, já visando 2012.

4 comentários:

  1. A meu ver princípio, ficaríamos mais uma vez fora. O único ponto positivo que vejo, é que seria uma boa oportunidade para testar muitos atletas das divisões de base, com vista a um futuro aproveitamento no pernambucano 2012.

    ResponderExcluir
  2. Concordo com vc, a única vantagem é realmente de testar jogadores. Infelizmente em Pernambuco a federação não se preocupa com os clubes que ficam inativos boa parte do ano. Como o América e os clubes do interior, inclusive o Central pode sobreviver sem um campeonato.
    a federação receber percentuais do TCN,deveria usar este dinheiro para custear despesas básicas, como taxa de arbitragem.........

    ResponderExcluir
  3. A Federação é uma graça. Se Carlos Alberto diz tanto que possui prestigio frente a CBF, porque não profissionaliza de vez a Copa Pernambuco?

    Eu sendo dirigente de clube, nunca iria perder tempo com este campeonato.

    ResponderExcluir