sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Estadual 2012 com poucas mudanças

A fórmula de disputa do Campeonato Pernambucano de 2012 - que será disputado entre 14 de janeiro e 13 de maio - está finalmente definida. Ontem, em Conselho Arbitral que durou cerca de quatro horas em um auditório na sede da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), alguns pontos foram definidos. É bom ressalvar, ainda, que o maior debate ocorreu justamente no final e foi o relacionado ao rebaixamento à Série A2. Em sua proposta, a mentora do futebol do Estado gostaria que houvesse, além da fase final, uma disputa entre os quinto e 12º colocados (divididos em dois grupos de quatro) para, só depois, serem confirmados os dois clubes que cairiam de divisão. O presidente da FPF, Evandro Carvalho, chegou a sugerir que os mais bem classificados começassem com mais pontos ou, até mesmo, que os pontos conquistados na primeira fase fossem mantidos. De quebra, o mandatário chegou a “apelar” até para uma premiação para que a Taça FPF (ou torneio da morte) fosse disputada. Porém, em uma votação quase unânime, onde só o Chã Grande ficou contra, os clubes definiram que tudo será definido na fase classificatória da competição. Ou seja, os quatro primeiros colocados vão disputar as semifinais e brigarão pelo título, enquanto os dois últimos vão jogar a Série A2, em 2013. Também ao final da primeira fase, serão conhecidos os dois times classificados para o Brasileiro da Série D. Apesar da “derrota” por entender que a competição perderá em termos de média de público, Evandro Barros Carvalho acatou bem a decisão dos clubes. “O importante é decidir tudo em comum acordo. A gente fez a nossa proposta, mas temos que acatar a decisão da maioria”, disse o democrático Evandro Barros. Outros pontos importantes também foram definidos e a ideia do presidente da FPF é também modernizar as inscrições de jogadores que poderão, a partir do próximo Estadual, serem feitas online. Seria um modelo bem parecido com o Boletim Informativo Diário (BID) da CBF. Ainda sobre os atletas, os clubes não poderão ceder, por empréstimo, a um outro clube participante, mais do que três jogadores. Outro fato importante é que, após disputar um jogo pelo seu time, o atleta não mais poderá defender outro clube na competição. Também foram estipuladas as regras em caso de atraso de jogo e, quem retardar o início do confronto, pagará R$ 1 mil por cada minuto. As questões dos desempates na fase classificatória são, pela ordem, critérios como número de vitórias, saldo de gols, gols marcados, menor número de cartões vermelhos recebidos, entre outros critérios. Já nas semifinais, o time de melhor campanha terá a vantagem de fazer a partida final em casa com a vantagem de jogar por dois resultados iguais.
CRUZ, Márcio. Estadual 2012 com poucas mudanças. Folha de Pernambuco, Recife, 07 out. 2011. Caderno esportes, p. ?.

4 comentários:

  1. Não entendo porque só o atleta, não tem o direito de disputar a competição em outro clube caso ele já tenha jogado no clube que ele iniciou a competição. Este tipo de regra deveria valer também para técnicos entre outros participantes da competição. Em fim o atleta não vai bem no seu clube , ele não pode disputar a mesma competição em outro clube, assim haja interesse do outro clube pelo atleta , mais treinadores e suas comissões técnicas podem trocar de clube a hora que quiserem, assim fica difícil. E sem contar com o caso Salgueiro x Cabense que ninguem nem fala mais, mais que na verdade tudo pode acontecer novamente, pois eu não teria meu time em campo vencendo a partida , e voltaria no dia seguinte para começar o jogo novamente por 0 x 0 se o problema era do estadio do clube mandante, a não ser que o jogo começasse a partir dos minutos em que parou a partida. Mais pelo visto o caso entrou no esquecimento. E sem falar nas vistorias em estádios feitas de formas ultrapassadas.

    ResponderExcluir
  2. bem lembrado!!!

    ResponderExcluir
  3. Olha vejam bem , estamos no mês de outubro, o campeonato começa apenas em janeiro, em fim os clubes teem , mais de 90 dias para arrumarem seus estádios: Gramado, vestiarias, arquibancadas , iluminação , banheiros para os torcedores, geradores com chaves reversoras, um som decente para todas as necessidades das partidas( carro de som tocando o hino nacional fica difícil), salas bem organizadas para a imprensa, etc........... , Sr Presidente da FPF vamos organizar as coisas e principalmente rever algumas coisas nessas regras, se o Papel da FPF e' organizar o campeonato , deixem o tribunal julgar as anormalidades, vamos evoluir e nunca regredir, a época dos coronéis já acabaram faz tempo.

    ResponderExcluir