segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

À margem

Hoje mais uma vez nos deparamos com a manchete que o América novamente é goleado dentro de casa, perdendo ontem por 3x0 para o Salgueiro, e pior não demonstrando qualquer tipo de reação dentro das quatro linhas, totalmente diferente de 2011 onde mesmo em desvantagem buscava reagir e dava trabalho aos adversários sendo uma verdadeira carne de pescoço como diria os antigos.
Se analisarmos as três primeiras rodadas da edição anterior veremos que diferente deste no qual o único ponto conquistado se deu na segunda partida, o alviverde apenas foi conseguir pontuar no sexto confronto diante da Cabense, por isso ainda é cedo para rotular o time como um dos favoritos ao descenso, contudo, na terceira rodada já havia saído o primeiro gol e levado cinco.
A atual versão do elenco apesar de contar com atletas remanescentes da última temporada nem de longe lembra tal equipe, pelo contrário, é um time apático, inconsistente e preguiçoso que acostumou a ver todos os demais maior do que ele próprio assumindo assim uma certa "síndrome da inferioridade", comum àqueles que não confiam no seu possível potencial. Nos deparamos ainda com o velho discurso vago e empobrecido de jogador de futebol já tão manjado quanto inexpressivo ao afirmar algumas redundâncias do tipo: "aqui só tem homem e vamos sair dessa", mas é claro que são homens pelo contrário seria futebol feminino, "estamos trabalhando para melhorar", essa é a função do trabalho, ninguém trabalha buscando piorar. O certo é que a verdadeira resposta deve ser dada dentro de campo não para afagar o ego da torcida (torcedor de time pequeno não faz a diferença), mas para os dirigentes e patrocinadores porque são esses quem pagam os salários, valorizam o atleta e colocam após desempenhar um bom papel em notoriedade e quanto a quem acompanha resta apenas acreditar em dias melhores.

9 comentários:

  1. gostei de sua postura, dura,mas, correta.os jogadores tem de lembrar que jogam pra progredir, no América eles tem oportunidade de aparecer, se tiver bola pra isso.
    se não tem talento tem de ter determinação, coragem e compromisso com o clube.Jogar bola, qualquer um joga, se profissional e viver realmente da bola é coisa pra poucos.

    ResponderExcluir
  2. Primeiro de tudo esse texto resume tudo o que se passa. Realmente não dá para os jogadores vestirem a camisa com a mesma gana se jogasse pelo Sport por exemplo, mas existe todo um grupo de pessoas que acreditam no potencial e eles deveriam fazer por onde render.

    Maravilha de postagem

    ResponderExcluir
  3. Dessa vez vcs falara bonito

    ResponderExcluir
  4. uma critica muito bem construida, vamos esperar que o time possa reagir dentro de campo

    ResponderExcluir
  5. Disse tudo o blogueiro, já esgotou a paciência temos q falar grosso, realmente são todos homens mas por enquanto somente no sentido de sexo, pq homens no sentido de terem honra, de cumprirem com suas obrigações, esses jogadores estão muito longe de ser.

    ResponderExcluir
  6. Esses Jogadores estao mais preocupados com chuteira colorida, corte de cabelo, ou jogar fora e nem sabe da importancia do clube onde ele jogo. Boa Sorte ao meca!

    ResponderExcluir
  7. Opa! gostei das palavras!

    ResponderExcluir
  8. Tenho certeza que Paulo Jr. vai modificar algumas peças e vamos voltar e ter orgulho de torcer pelo America .

    ResponderExcluir