terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Uma história intensa em apenas duas partidas

É certo que Araripina x América não é um clássico que beira o centenário, no entanto, ao menos para a torcida esmeraldina, o duelo entre Periquito da Estrada do Arraial contra o Bode do Araripe guardam boas lembranças. As duas equipes já poderiam ter confrontado em 2009, mas a equipe esmeraldina foi muito mal na Série A2 do Campeonato Pernambucano, enquanto que os sertanejos fizeram um caminho totalmente diferente, subindo de divisão já no seu primeiro ano de fundação. Quis o destino que as duas equipes se fizessem seu primeiro embate justamente na primeira divisão do Estadual em 2011. O primeiro encontro entre bodeiros e americanos teve como palco o Estádio Ademir Cunha, na décima primeira rodada do PE2011. Se hoje na oitava rodada estamos sofrendo com apenas um ponto computado, o que dirá naquela ocasião, fechando os jogos de ida da primeira fase também com um misero ponto dentre 30 disputados? Embora fosse muito complicada a situação esmeraldina, havia um pingo de esperança no coração daqueles 418 presentes. A partida marcava a reestreia de Paulo Junior no comando esmeraldino, o que prometia a todos uma organização tática mais eficiente do que foi realizada antes por Luciano Ribeiro e Nereu Pinheiro. E através de uma partida eletrizante com chances de vitória para os dois lados da moeda, a sorte veio para o Periquito! De cabeça após escanteio, nosso xerife marcou o gol que deu a primeira vitória ao Mequinha no campeonato, transbordando euforia dentro e fora do gramado após o apito do árbitro Neilson Santos.
Momento do gol de David, selando a primeira vitória do América no PE2011
E o que dizer da partida decisiva lá no sertão Pernambucano? Para o América, nem empate e muito menos a derrota serviria e a vitória era uma questão de sobrevivência. E não é que ela veio? Logicamente, assim como no primeiro encontro das duas equipes, o Campeão do Centenário sofreu bastante para conquistar o resultado positivo. Diferentemente da partida no Ademir Cunha, iniciamos o primeiro tempo com derrota, mas o time buscou a frieza necessária para reverter o placar, começando com Branquinho. O gol da virada e da permanência na primeira divisão veio de forma sofrida, comemorado por todos como se fosse um título, saindo na cabeçada de Carioca, no apagar das luzes, aos 48 minutos da etapa final.
Momento gol de empate de Branquinho, no Chapadão do Araripe.
E depois deste longo texto, alguém deve estar perguntando... e o que isso muda para 2012? Pouca coisa, talvez, no entanto, o mais importante, é mostrar que com atitude e força de vontade podemos de sair da atual situação, transformando a vontade em vitória. E ficamos aqui na torcida para que Paulo Junior possa entrar em campo com o que de fato tem de melhor e retomar a mesma vibração e motivando seus jogadores e provar a todos que o Mequinha não está morto como muitos pensam.

0 comentários:

Postar um comentário