segunda-feira, 19 de março de 2012

América x Porto: o futebol e seus mistérios

Parece muito fácil imaginar como foi o jogo diante do placar confortável que o Porto conseguiu. Olhando os resultados a conclusão é óbvia: o América não fez nada e o Porto mandou e demandou no jogo... Mas o futebol não é tão simplório assim!
O América começou o jogo em uma pressão incrível. Em menos de dez minutos perdeu um gol feito e conseguiu colocar a bola na trave. Teve lance ensaiado de bola parada. E logo depois mais uma bola na trave. Não demorou e o gol saiu! Mas o bandeirinha anulou. Tudo isso antes que o ponteiro conseguisse marcar 15 minutos. O Porto marcava e tentava chegar, numa dessas tentativas foi mais eficiente e marcou. O Mequinha não se abateu e continuou pressionando. Mais duas bolas na trave, mais um gol anulado e outro perdido por Flávio Barros, que parecia estar inspirado em David do Flamengo. O Porto vai mais uma vez ao ataque e... gol!
No segundo tempo Charles Muniz fez mudanças tirando Flávio Barros e lançando Carlos Alberto. Este não entrou tão bem quanto em outras partidas e o Porto dominou o meio campo com roubadas de bolas e passou a explorar as ações pela lateral esquerda. O América errava muitos passes na tentativa de pressionar e dava chances de contra-ataques ao Porto. Num desses o tricolor de Caruaru ampliou o marcador. A partir daí o América começou a equilibrar a disputa no meio e com isso voltou a pressionar. Tentativas claras de bolas paradas, outras jogadas pela lateral direita e outras pelo meio assustaram o Porto, mas não foram eficientes. Em uma jogada individual o América chegou a um pênalti com Juliano Roma, convertido pelo próprio. E continuou pressionando, mas se descuidava do bloqueio aos contra-ataques e assim o Porto decretou o resultado final.
No primeiro tempo tivemos três bolas na trave, dois gols anulados e um gol incrivelmente perdido; tivemos o domínio do meio campo e um time jogando de uma maneira que não o fazia merecer a derrota. No segundo tempo o que se viu no jogo foi um Porto bem postado e duro na marcação. Enquanto o América não conseguia driblar muito esse esquema defensivo. Charles Muniz não soube superar as mudanças táticas feitas por Adelmo Soares e nos limitamos a tocar a bola na frente da defesa do Porto em boa parte do segundo tempo, o que tornou o jogo muito chato.
O time teve altos e baixos na partida, sendo o setor de marcação do meio junto com a defesa os pontos mais críticos. O meio campo de armação funcionou bem, mas Jaílton em vários momentos prendeu demais a bola. No ataque a formação de Ricardo Mineiro, Coringa e Flávio funcionou, mesmo com os gols perdidos.
Não podemos esmorecer ainda! O time ainda tem chances matemáticas de se livrar dessa situação. Pelo retrospecto qualquer torcedor tem o direito de duvidar, mas os jogadores em campo tem que lutar até o último jogo, mesmo que estejamos rebaixados.
América até morrer! PUBLICO: 2248 RENDA: R$ 12.317,50

Um comentário:

  1. Ontem vimos que quando as coisas nao estao dando certo e´realmente complicado, e so apenas os deuses do futebol tem a explicacao para tudo o que vimos ontem, mais mesmo assim continuo otimista , pois o jogo so acaba quando termina. Um fato que me marcou muito ontem foi conhecer mais um integrante do melhor blog esportivo do Brasil ( Blog do Mequinha) Jefferson ! foi um prazer muito grande lhe conhecer, sem esquecer de falar em Washington , e Bruno que ja os conheço e sao pessoas maravilhosas. Garotos do America nada de desanimar , muitas vezes as batalhas perdidas nos serve de alerta, e vermos que temos de corrigir o que foi feito de errado, ninguém e´dono da verdade , vamos continuar jogando com alegria , e principalmente amor ao futebol e as cores verde e brancas do America. Obs: A diretoria do America pelo que me consta ate agora , vem honrando os seus compromissos e mesmo com os resultados adversos, tem tomado uma atitude digna do grandes homens que sao , isso e´ mais um exemplo da grandeza , de um clube que tem orgulho de ser Pernambucano e que muitos deveriam ter esse clube como exemplo. Eu deixo essa observação em aberto .

    ResponderExcluir