quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Vitória e liderança isolada



Não fomos melhores, mas conquistamos os três pontos.

Uma coisa que normalmente acontecia ao contrário. A partida contra o Íbis no Ademir Cunha foi movimentada e com muitos lances, mas marcada por uma coisa estranha para quem não acompanha a série A2 e ainda vive no conforto dos jargões fáceis da grande imprensa pernambucana: o Íbis foi muito melhor que o América.

O primeiro tempo foi marcado pelo domínio Ibiense do meio campo e uma maior posse de bola. Além disso, o time rubro-negro soube marcar melhor que o América e dificultou a criação de jogadas no ataque Esmeraldino. Mesmo assim, foi o América quem abriu o placar. Após uma cobrança de escanteio Jonny subiu mais que todo mundo e cabeceou a bola para o fundo da meta Ibiense. Depois do gol a partida se equilibrou, mas o Íbis continuou dominando meio campo, embora não tenha levado grandes perigos para a meta de Dida.

A segunda metade da partida voltou com a mesma tônica do primeiro tempo: o Íbis sendo superior no meio campo e o América levando risco apenas em jogadas individuais de Branquinho ou Danilo. No entanto, o Íbis passou chegar com mais perigo ao ataque. Mas por volta dos 35 minutos, Branquinho arrancou pela direita passou por dois adversários e tocou sutilmente na saída do goleiro do Íbis. Estava decretado o placar final.

Colegas, não quero ser insistente, mas a forma como o América perdeu o meio-campo para o Íbis foi preocupante. Durante o segundo-tempo, o América praticamente não conseguiu recuperar nenhuma segunda bola e o meio do Íbis conseguia articular as jogadas com uma facilidade assustadora. Mas o vazio no setor intermediário era compensado pela competência da zaga e das investidas individuais dos atacantes. Mesmo assim, ficou visível um time equilibrado tranquilo e que aproveitou relativamente bem as oportunidades criadas.


2 comentários:

  1. Se jogar ruim e ganhar pra mim tá bom!

    ResponderExcluir
  2. AMIGOS,MEU RECEIO É QUANDO ENFRENTARMOS OS TIMES E SUAS TORCIDAS NO INTERIOR.
    TEMOS DE PÔR MAIS A BOLA NO CHÃO,E PARAR DE DAR CHUTÕES DESNECESSÁRIOS.
    PRA MIM O MAURICIO ZAGUEIRO FOI O MELHOR DO JOGO E DEVE ESTAR COM UMA DOR DE CABEÇAS DAQUELAS.

    ResponderExcluir