quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Quase intransponível

David, Mauricio e Jonny foram o trio de zaga nesta Série A2 | Fotos: Marcia Wanderley

Nem sempre time pouco vazado é time retranqueiro.

Basta ver o América nessa reta final. Nos quatro jogos foram apenas dois gols sofridos. A melhor defesa entre os times que chegaram a semi-final. Mas essa defesa boa não significa que o time se omite em atacar... quem acompanhou esses quatro jogos percebeu que o América gostar de ir pra cima.
Jovem Gláuber tomou conta do recado com Jeovânio

Liderados dentro de campo por David, o Xerifão, a defesa Esmeraldina conseguiu segurar o forte ataque do Araripina e neutralizou o matador Josy do Olinda. Maurício é quase invencível nas bolas aéreas. Jonny tem feito perfeitamente a cobertura e se aproveita bem do fato de ser canhoto. Quando Humberto não pode contar com seu trio de ferro, Márcio entrou e segurou a peteca. Sendo mais uma prova de que o trabalho da base rendeu mais do que o esperado.

E nossos volantes? Não temos do que reclamar. Justamente a cabeça-de-área que apresentava sérios problemas no começo do campeonato melhorou muito tanto na marcação, quanto na transição para o setor criativo. E aqui muitos
Marcio veio da base e não sentiu a pressão da Série A2.
destaques para Jeovânio, mais experiente, e Glauber, revelação da base. E garantindo a tranquilidade nos momentos críticos está Grison, o paredão Esmeraldino. Até agora digno da camisa do lendário Lessa.



No entanto, o bom funcionamento deste setor tem um responsável direto: Humberto. Quase sempre optou pelo esquema de três zagueiros e poucas vezes abriu mão de dois cabeças-de-área. E seus ajustes da marcação tem sido fundamentais para o aumento de produção do ataque nos segundos tempos disputados até agora. Pois é, com Humberto temos aprendido que um bom funcionamento da defesa faz o time atacar de forma mais incisiva.

Espero que continue tudo dando certo e que domingo essa tropa de elite possa nos dar o prazer do título!

Grison honrou a camisa do América, como nos velhos tempos de Lessa 

0 comentários:

Postar um comentário