segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

E nada de vencer em casa



O América entrou em campo neste domingo já pensando na próxima etapa do campeonato. Para isso praticamente todo o time titular foi poupado e só os reservas entraram em campo. Um teste para alguns jogadores que são da base e que ainda não tiveram a oportunidade de jogar.

Se a situação já não era boa com o time titular, quando a notícia de que jogadores importantes como Kássio, Bruno e Jaime não entrariam em campo a expectativa passou a ser a de ver o Central deitando e rolando. Mas de forma surpreendente não foi isso que aconteceu. O América tomou a iniciativa do jogo e atacou de forma organizada e inteligente e teve duas boas oportunidades logo no comecinho da partida. O Central tentou equilibrar mas não foi eficiente na saída de bola e o América conseguia se impor. A coisa ficou ainda melhor depois que Deivinho foi expulso após jogada violenta.

Mas como vem sendo a tônica das últimas partidas, a bola não entrou e o visitante acabou abrindo o marcador. De forma duvidosa, um gol onde claramente o atacante estava em impedimento foi o caminho da vitória do Central. O lance foi tão duvidoso que Sandro Meira Ricci quase voltou atrás e anulou o lance gerando polêmica. No entanto, a polêmica vai parar por aqui pois o prejudicado não foi nenhum dos grandes, tampouco a imprensa não está nem aí para o Pernambucano, por enquanto. E tudo vai ficar como está e como sempre foi... E esse não foi o único equívoco da arbitragem no jogo. Quase no final Éverton Bala sofreu pênalti, mas o árbitro marcou fora da área.

Foi gol ou não foi? Meira Ricci e o bandeira confirmaram tento duvidoso | Foto: Washington Vaz

No segundo tempo o América continuou dominando o jogo e criando algumas boas oportunidades. Mas faltou competência para o arremate decisivo. Sobretudo nos minutos finais da partida quando o América teve duas chances muito claras de gol e não foi competente para concluir a jogada. Algo que eu gostaria de destacar foi a boa cobrança de falta de Bob quase no fim do jogo, em que a bola misteriosa e caprichosamente teimou em não entrar fazendo uma bizarra curva ascendente!

Perdemos mais uma. Mas agora é outra etapa. Os resultados dos jogos decretaram numericamente o fim das chances Americanas de chegar ao G3. É tanto que hoje o time já entrou em campo pensando na próxima fase. Os titulares foram poupados e Laélson não comanda mais o Alviverde. Curiosamente o time voltou a apresentar o volume de jogo e boa movimentação no ataque que não mostrava há um bom tempo. Méritos de Denô e Válter. Além disso a vontade e determinação da equipe foram louváveis. Algo que vem sendo comum nos jogos.

Agora para aqueles que acreditam no sobrenatural eu gostaria de fazer um comentário pessoal: qualquer esporte é feito mais de transpiração do que de talento. O talento conta muito, mas o treino, o aprimoramento faz com que pessoas medianas sejam boas. E sinceramente, se a bola não entra, treinem mais finalizações... se o cruzamento não é bom... treine mais... treine mais e mais. Sabemos que o ritmo da competição não permite muito espaço para aprimorar técnica e taticamente as equipes. Mas não estamos tão mal à toa. Infelizmente a notícia que tivemos é que os ritmos e as qualidades dos treinos diminuíram muito nas últimas semanas e isso precisa ser repensado.

Um novo campeonato vai começar com um novo objetivo. E mais do que nunca é hora de trabalhar muito.


0 comentários:

Postar um comentário