quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Mais uma derrota na conta


Não esperem de mim um texto moderado, depois de mais uma derrota do América no Campeonato Pernambucano de 2014. A sexta, em 12 jogos.  A casa caiu, o banco quebrou e o sonho… o sonho? Esse não acaba jamais. Nos meus sonhos eu sou mais América do que nunca. 

Mas é bem verdade que depois do apito final no Carneirão o que eu tive foi pesadelos. Nele logo me vem o mesmo cenário de 2012: Um projeto bonito no papel, como jogadores que na teoria vem pra resolver devido ao seu famoso "Curriculum Vitae", mas como o decorrer das rodadas, vem muro abaixo, não por ter sido mal planejado, mas por ter sido pessimamente conduzido, mesmo com seus "operários" tendo todas as condições de trabalho possíveis para um clube intermediário do futebol pernambucano.

Assim como na ultima partida no Ademir Cunha, quando perdemos para o Ypiranga nos momentos finais, o filme voltou a ocorrer, desta vez com um placar um pouco mais elástico. Com um primeiro tempo sem grandes emoções, podemos destacar a boa movimentação de Careca e Everaldo, mas o time esmeraldino ou tocava muito a bola ou eram parados pelo bom goleiro Preto, do Vitória.

Veio o tempo complementar de partida e, quando a partida ilustrava um empate sem gols, o técnico Laélson Lima substituiu Junior Sertânia para a entrada de Marcio, deixando em campo três zagueiros, substituindo também a dupla de ataque por Philip e Jackson. Mas após estas alterações a vida esmeraldina na partida desandou. Aos 36 minutos, Filipe Silva avançou pela ponta direita, deixou de calcanhar para Índio, que com um belo lançamento, viu o atacante Daniel Caiçara cabecear de forma precisa no canto direito do goleiro Diego, marcando Vitória 1x0 América. Sete minutos depois, outro tento vitoriense, iniciado pelo meia taboquito Robertinho, driblando meio time esmeraldino, sendo parado justamente onde não se pode, que é dentro da grande área, por Ronaldo. O árbitro Luiz Cláudio Sobral não titubeou e marcou a penalidade cobrada por Aleandro e dando os números finais.

Nossa fome por vitórias é grande. Nossa da zaga é um calvário e nossos atacantes caducaram na arte de fazer gols. Futebol é esporte para ser praticado por quem tem sangue correndo nas veias. E o sangue esmeraldino exige uma dosagem extra de raça e vontade de vencer.  Perdemos a partida, o rumo da ascensão, a vergonha na cara e assumimos com méritos a cada rodada o posto de pior time da primeira fase. Situação que amargaremos até a próxima domingo e, da forma como este time vem jogando, eu não consigo ver salvação.

Foto: Luciano Abreu/ AAD Vitoria das Tabocas 

0 comentários:

Postar um comentário