sábado, 25 de janeiro de 2014

MEMÓRIAS ESMERALDINAS: Náutico 0x2 América,em junho de 1947


O ano que será abordado nas Memórias Esmeraldinas de hoje será o de 1947, dois anos após o fim dos conflitos da Segunda Guerra em solo europeu. Foi o ano em que houve a independência da Índia com relação ao Reino Unido, bem como a sua separação com relação à República do Paquistão. Neste mesmo ano a ONU aprovou a separação da Palestina entre árabes e Judeus, o que causou décadas de conflitos no Oriente Médio. Foi ano de nascimento de várias pessoas conhecidas como, por exemplo, do escritor Paulo Coelho, dos cantores Elton John e Alcione, da presidente Dilma Rousseff, do locutor esportivo Luciano do Vale e da atriz Regina Duarte.

Folha esportiva do Diário de Pernambuco do dia
01 de junho de 1947

Sob o governo estadual de Amaro Gomes Pedrosa, o Campeonato Pernambucano de 1947 começou com um turno eliminatório no qual o último colocado deixava o torneio. O América enfrentou o Náutico (Clássico da Técnica e da Disciplina) em 01 de junho de 1947 nos Aflitos em jogo válido pela 5ª rodada do turno eliminatório, sendo que os alviverdes possuíam 4 pontos, frutos de vitórias contra S. C. Flamengo e Íbis, enquanto que os alvirrubros, tinham 6 pontos, resultados das vitórias sobre Íbis, Moinho Recife e Flamengo. América e Náutico fariam um jogo cercado de bastante expectativa, em virtude de se esperar um alto nível técnico a ser desenvolvido por ambos, uma vez que os respectivos clubes decidiram os campeonatos de 1944 (que ficou em Casa Amarela) e o campeonato de 1945 (que ficou nos Aflitos). Na foto ao lado no canto esquerdo é possível ver que os jornais davam muita atenção não somente ao campeonato estadual mas também à Liga Suburbana de Futebol.

Nota do Diário de Pernambuco valorizando a volta do
atacante Zezinho ao América do Recife
O América tinha como grande destaque, a volta do atacante Zezinho, que acabara de voltar de um período de experiência do Rio de Janeiro, onde atuou no América/RJ. Outro destaque no time do treinador Álvaro Barbosa era a estreia do goleiro Amaury, de apenas 17 anos, que vinha sendo grande revelação do desporto pernambucano nas categorias de base do alviverde da Estrada do Arraial. A equipe do Náutico, do treinador Aurélio Munt, vinha sem grandes novidades no elenco e praticamente sem alterações no grupo alvirrubro que tinha como destaque a juventude. A maioria dos atletas era proveniente da categoria de amadores e foram os responsáveis pelo título estadual na categoria no ano anterior.

Genival do Náutico tenta cabecear a bola
se apoiando ilegalmente nas costas do
jogador Astrogildo do América
De última hora Álvaro Barbosa promoveu as entradas de Astrogildo e Ivaldir nos lugares de Julinho e Oséas, enquanto que no time vermelho e branco, Dico foi sacado do time titular e em seu lugar foi posicionado o meio campista Lulinha. 

As 15h15min daquele domingo dia primeiro de junho de 1947, o Sr. Argemiro Félix (Sherlock) deu por iniciado o clássico Náutico x América, sendo auxiliado por Armênio Brito e Hugo de Morais. O começo do primeiro tempo mostrou duas equipes que pouco se aventuraram para o ataque, dando certo clima de morosidade à partida, contudo, a partir dos vinte minutos, várias jogadas de gol surgiram tanto de um lado quanto do outro, em uma alternatividade que empolgava o torcedor presente ao Estádio dos Aflitos. Um importante detalhe na foto ao lado são as pequenas arquibancadas dos Aflitos e as enormes árvores que cercavam o local.

Goleiro Zeca do Náutico defende um chute de Jarbas do América. Sidinho
do Náutico e Valdeque do América acompanham a jogada de perto.

Apesar do empenho das duas agremiações, o placar do primeiro tempo não saiu do 0x0 e os times foram para o intervalo descansar e receber as instruções de seus respectivos treinadores. Aos 14 minutos do 2° tempo, brilha a estrela de Zezinho, que domina a bola a avança desde o meio campo, recebendo forte marcação do jogador Sidinho do Náutico. Zezinho avançou pelo lado direito de ataque forçou a entrada na grande área e no momento exato, desferiu um forte chute contra o gol defendido pelo goleiro Zeca. A pelota tocou no canto inferior da trave o balançou a relva do fundo do gol do Náutico. É GOL DO AMÉRICA! NÁUTICO 0X1 AMÉRICA.


A vitória do América bem como a atuação de Zezinho
é destaque no Diário de Pernambuco de 03/06/1943
Com apenas quatro minutos mais tarde, Valdeque do América faz belíssimo lançamento para Zezinho que avança e chuta. O goleiro Zeca do Náutico falha no lance e não consegue impedir o gol verde e branco. É GOL DO AMÉRICA! NÁUTICO 0X2 AMÉRICA nos Aflitos. O time da Rua Conselheiro Rosa e Silva sentiu os gols que levou e se desorganizou no gramado, virando um adversário que não perdeu por um placar maior, devido à falta de insistência do América, que optou por valorizar a posse de bola e garantir a vitória e mais dois pontos na tabela de classificação.

Ilustração de Náutico 0 x 2 América do Recife em 01 de junho de 1947
As ausências de Julinho e Oséas no clube esmeraldino fizeram muitos acreditarem que o Náutico venceria facilmente, pois eram atletas de grande importância no esquema do treinador Álvaro Barbosa, todavia, os substitutos fizeram um belo papel. O destaque foi a grande eficiência do meio campo comandado por Arnaldo, Capuco e Astrogildo, tendo o último recebido os maiores elogios, por ter servido o ataque de forma exemplar. No quinteto de ataque Valdeque foi a figura mais apagada, por na maior parte das vezes não ter conseguido se livrar da forte marcação imposta pelo alvirrubro Célio. Jarbas e Ivaldir receberam vários elogios pela atuação, mas não tanto quanto Janjoca, que atuando na chamada “extrema canhota” foi o criador da maioria das jogadas de ataque do América no clássico. Na proteção defensiva Seixas e Galego jogaram excelentemente bem, sempre afastando o perigo que rondava o gol defendido pelo jovem goleiro Amaury.


No lado do Náutico, o veterano Sidinho não repetiu o bom futebol de outras partidas e foi inapto para marcar o atacante Zezinho do América, autor dos dois gols da partida. Zeleão e Lulinha tiveram seus esforços reconhecidos, porém, foram improdutivos, assim como o quinteto de ataque que não conseguiu se entender e por isso passou todo o jogo de forma inoperante. Por fim, o goleiro Zeca fez arrojadas defesas no primeiro tempo, mas falhou feio no segundo gol americano, não segurando uma bola tecnicamente fraca, que fatalmente lhe escapou das mãos. Os atletas que atuaram no clássico Náutico x América em junho de 1947 foram os seguintes:

CLUBE NÁUTICO CAPIBARIBE:
Zeca; 
Ivanildo e Célio;
Lulinha, Zeleão e Sidinho;
 Zeca II, Genival, Wilson, Idimar e Carlos Alberto.


AMÉRICA FUTEBOL CLUBE:
Amaury; 
Galego e Seixas;
Arnaldo, Capuco e Astrogildo;

Zezinho, Jarbas, Valdeque, Ivaldir e Janjoca. 

0 comentários:

Postar um comentário