quarta-feira, 5 de março de 2014

MEMÓRIAS ESMERALDINAS: América 9x0 Flamengo-PE em maio de 1946

Em 1946 nascia o produtor cinematográfico norte-americano Steven Spielberg (diretor de filmes como “Cavalo de Guerra” de 2011 e “Lincoln” de 2012), o treinador de futebol holandês Guus Hiddink (4° lugar na Copa do Mundo de 2002 com a Seleção da Coréia do Sul), o poeta amazonense Aníbal Beça, autor de obras como “Águas de Manaus” de 2006, “Marupiara” de 1989 e “Filhos da Várzea” de 1984. Nascia também o baixista e tecladista inglês John Baldwin, ex-membro da banda de rock Led Zeppelin e o ator paulista Carlos Alberto Riccelli, participante da telenovela “Aritana” da extinta Rede Tupi e do filme “Dois Córregos” de 1999. Neste mesmo ano é lançado o ENIAC (primeiro computador digital eletrônico) cuja posse pertencia ao exército dos EUA e o Tribunal de Nuremberg condenava 22 líderes nazistas por seus envolvimentos com Hitler, sendo que 11 deles foram condenados a morrer enforcados.

Nota do Diário de Pernambuco de 26 de maio de 1946
valorizando o confronto América x Flamengo - PE
Em 26 de maio de 1946 o América Futebol Clube do Recife faria a sua estreia no Campeonato Pernambucano e a partida inicial do certame seria contra os alvinegros do Sport Club Flamengo, time sediado na Rua do Riachuelo no bairro da Boa Vista e primeiro campeão pernambucano (1915). A rodada já havia sido iniciada com a vitória do Sport contra o Great Western e com o empate no clássico entre Santa Cruz e Náutico, logo, o América deveria vencer aquela partida para não começar na parte de baixo da tabela, o que era preocupante, pois, o último colocado seria eliminado do restante do campeonato.

Folha esportiva do Diário de Pernambuco de
26 de maio de 1946
O time “Quartel de Chuteiras” presidido pelo Tenente Alberto Colares tentaria fazer uma campanha melhor, uma vez que a equipe no ano anterior havia tido o vexame de ter sido o último colocado no turno eliminatório e por ter sofrido a maior goleada da história do campeonato pernambucano, simplesmente 21x3 para o Náutico! O clube alvinegro, que havia sido campeão da Taça Casa Amarela (1929) e do Torneio de Verão da Cidade do recife (1939), precisava mostrar para o público pernambucano que o Sport Club Flamengo precisaria deixar no passado seus insucessos e mostrar a força de um autêntico campeão estadual. De acordo com os jornais, a preparação física dos atletas “Patativas” era digna e realizada com pontualidade, comandada pelo Tenente Alberto Colares. O Flamengo do Recife faria naquele jogo, a estreia de sua grande contratação que era um goleiro e que sem trocadilhos se chamava “Guerra”, o que não é nada mal para um time militar.

No lado do alviverde, o treinador Álvaro Barbosa na quinta feira que antecedeu a data da partida, realizou um treinamento com seus atletas no Campo de Santo Amaro para dar os últimos retoques na preparação física para o primeiro jogo oficial em 1946. O Flamengo entrou em campo com Wilson no meio campo no lugar de Elias, que foi adiantado para o ataque no lugar de Pompílio, sem falar na estreia de Guerra como arqueiro, enquanto que o América vinha com Edgar no lugar de Capuco e o atacante Janjoca faria a sua primeira partida como jogador profissional do “Mequinha”.

Ilustração de América x Flamengo em 1946 no Estádio dos Aflitos
Na preliminar pela categoria de amadores, que começou as 13:20h, o América venceu ao Flamengo por 4x0 com gols de Henrique, Airton e Adolfo, duas vezes, e o segundo quadro do América formado por Couto, Seixas, Bartô, Quincas, Paulo, Nazaré, Chié, Seixas II, Adolfo, Henrique e Airton começava bem no campeonato da categoria. As 15:15h começava a partida esperada entre os quadros principais das duas agremiações, sob a arbitragem do Sr. Argemiro Felix auxiliado por José Gaioso e Batista da Conceição nas bandeirinhas. O que se viu foi um jogo equilibrado até os primeiros vinte minutos, tendo tanto o América, quanto o Flamengo criado boas oportunidades de gol, tornando a partida bem atrativa. Aos 23 minutos de bola rolando, Julinho do América se livra do defensor Proa e chuta no canto de Guerra para inaugurar o marcador. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 1X0 FLAMENGO. Não demorou muito para surgir o segundo, numa bela jogada de Zezinho, que aos 32 minutos chutou um torpedo e fez. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 2X0 FLAMENGO. O América mostrava o velho futebol reconhecido e campeão de 1944 que enchia os olhos dos espectadores e aos 44 minutos, mais uma vez, as redes defendidas pelo novato goleiro Guerra eram balançadas. Janjoca recebeu a bola e chutou cruzado fora do alcance de Guerra. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 3X0 FLAMENGO.

Atletas do América descansando no intervalo de América x Flamengo e
escutando as orientações do treinador Álvaro Barbosa
No segundo tempo o que se viu foi um começo muito parecido com o primeiro, pois o Flamengo estava muito bem postado principalmente em seu setor defensivo. As jogadas americanas eram quase sempre anuladas pela dupla de defesa Proa e Geraldo e quando não conseguiam, aparecia o goleiro Guerra para fazer grandes defesa e segurar o resultado para o campeão de 1915. A partir dos vinte minutos até os trinta e cinco, o futebol do Flamengo se apagou de vez e o América se aproveitou, marcando seis gols em quinze minutos, deixando os alvinegros atordoados. Aos 20 minutos Julinho aproveita a falha da defesa flamenguista e assinala mais um gol. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 4X0 FLAMENGO. Mal foi dada a saída de bola e um minuto depois, Djalma disparava deixando o marcador Geraldo na saudade para fazer o quinto gol esmeraldino. Não percam as contas. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 5X0 FLAMENGO. Aos 24 minutos Zezinho dribla Eraldo do Flamengo e toca por cima de Guerra que apenas fez golpe de vista. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 6X0 FLAMENGO. 

Equipe do América Futebol Clube do Recife de 1946
Novamente a defesa do Flamengo dormiu de touca na hora da saída de bola e desta vez o goleador foi Djalma, que escapou com facilidade da retaguarda patativa e assinalou mais um aos 26 minutos naquela bela tarde de domingo. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 7X0 FLAMENGO. Para que achou que Djalma já estivesse saciado se enganou, pois ele aos 31 minutos correu mais que o defensor Luiz do time “Quartel de Chuteiras” e modificou mais uma vez o placar da partida. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 8X0 FLAMENGO. Faltava apenas um detalhe nesta goleada: o gol de Valdeque! O único elemento do quinteto de ataque que ainda não havia balançado as redes flamenguistas, não poderia deixar de marcar o seu num lindíssima jogada pelo lado direito, na qual se desvencilhou com facilidade da marcação de Oliveira e anotou o seu aos 35 minutos para completar o “chocolate” em cima dos Alvinegros. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 9X0 FLAMENGO.

Folha esportiva do Diário de Pernambuco de 28 de
maio de 1946 comentando a goleada americana



Para quem acha que a goleada acabou... Acertou. Daí por diante o América passou os últimos dez minutos tocando a bola para garantir a estreia com uma goleada avassaladora. O destaque do lado do Flamengo ficou com o goleiro Guerra, que apesar dos nove gols sofridos, evitou em muitas vezes um placar ainda maior e todos os gols sofridos foram por méritos dos jogadores americanos e nenhum por falha sua. O interessante é que este foi o primeiro e o último jogo do Flamengo do Recife naquele campeonato, pois, o Tenente Colares se reuniu com os jogadores depois da melancólica estreia e decidiram por sair da competição, para só voltarem dois anos mais tarde. O público não compareceu em bom número e proporcionou uma renda de apenas 1.561 cruzeiros. As equipes do jogo América 9x0 Flamengo estiveram assim escaladas:




AMÉRICA FUTEBOL CLUBE

Leça;
Galego e Lucas;
Pedrinho, Edgar e Arnaldo;
Janjoca, Julinho, Djalma, Zezinho e Valdeque.


SPORT CLUB FLAMENGO

Guerra;
Proa e Geraldo;
Luiz, Djalma I e Wilson;
Djalma II, Eraldo, Oliveira, Elias e Alfredo.


0 comentários:

Postar um comentário