segunda-feira, 21 de abril de 2014

MEMÓRIAS ESMERALDINAS: América 2x1 Central em abril de 1976

Folha esportiva do Jornal do Commercio de 07 de abril
de 1976 destacando a rodada do campeonato pernambucano.
Entre as pessoas que nasceram no ano de 1976 podemos citar o ator baiano Wagner Moura (Capitão Nascimento no filme “Tropa de Elite” de 2007 e Spider no filme “Elysium” de 2013), O jogador baiano Magno Alves (campeão brasileiro da série C – 1999 pelo Fluminense-RJ e atualmente no Ceará-CE), o cantor estadunidense Chester Bennington (vocalista da banda de rock Linkin Park), o ex-jogador Camanducaia (com passagens por Santos-SP, Bahia e Santa Cruz), o ex-jogador Cláudio Caçapa (campeão mineiro com o Atlético-MG em 2000 e hexacampeão francês em 2007 defendendo o Lyon), Cláudio Mercante (árbitro pernambucano do quadro da CBF) e o ex-jogador alemão Michael Ballack (campeão alemão pelo Bayer de Munique em 2005/2006 e campeão inglês pelo Chelsea em 2009/2010). Falecia neste mesmo ano o ator norte-americano Richard Arlen (David Armstrong no filme “Asas” de 1927), a escritora britânica Agatha Christie (autora de obras como “O Mistério do Trem Azul” de 1928 e “Passageiro para Frankfurt” de 1970), o ex-presidente João Goulart (presidiu o Brasil de 1961 a 1964), o também ex-presidente Juscelino Kubitschek (presidente de 1956 a 1961), o poeta e compositor recifense Osvaldo Santiago (autor do livro “Gritos do Meu Silêncio” de 1926 e da música “Hino a João Pessoa” sucesso na voz de Francisco Alves em meio a Revolução de 1930) e o ex-jogador Roberto Batata (participante da campanha do Cruzeiro-MG, que viria a ser campeão da Taça Libertadores da América meses depois). Este ano marcou o centenário de nascimento do escritor Afrânio Peixoto (autor de “Poeira da Estrada” de 1918) e foi o ano dos Jogos Olímpicos de Montreal (Canadá) e de sucessos na música como “Juventude Transviada” de Luiz Melodia, “Meu Mundo e Nada Mais” de Guilherme Arantes, “Nuvem Passageira” de Hermes de Aquino e “Eu Nasci Há Dez Mil Anos Atrás” de Raul Seixas.

Nota de destaque do Jornal do Commercio de 07/04/1976 ressaltando
o trabalho do treinado alviverde Jálber Carbalho
A primeira fase do segundo turno do campeonato pernambucano de 1976 chegava a sua segunda rodada no dia 7 de abril, exatamente no dia no aniversário do Náutico que enfrentaria o Íbis no Estádio dos Aflitos. Nosso tema será a partida preliminar América x Central que aconteceria naquela noite de quarta feira em Recife sob a arbitragem do Sr. Sebastião Rufino, auxiliado por Armindo Tavares e Batuel Macedo. O “Mequinha” vinha de um empate contra o Ferroviário do Recife, enquanto que o time caruaruense vinha de derrota para o Sport, o que colocava ambas as equipes em situação de necessidade de vitória para não se distanciar da liderança.

Ilustração de América x Central no Estádio dos Aflitos no dia 07 de
abril de 1976 (jogo preliminar de Náutico x Íbis)
O treinador Jálber Carvalho do América não podia contar com o jogador Valdo, que estava com uma lesão no tornozelo e se encontrava no departamento médico aos cuidados do Dr. Marco Guerra. Além disso, Jálber, que concentrou com todo o elenco no ginásio de esportes Geraldão no bairro da Imbiribeira, faria duas alterações com relação à equipe que empatou com o Ferroviário, numa tentativa de aumentar a eficiência do ataque. Desta forma, Bonfim ganhou a vaga no ataque no lugar de Hamilton, principalmente depois do gol que marcou no treino do dia anterior realizado na Escola de Aprendizes Marinheiros em Olinda e a outra mudança seria a entrada do goleiro Godói no lugar do goleiro Batista. Sebastião Rufino autorizou o início da partida e o América sem perder tempo encurralou o Central, que passou maior parte do primeiro tempo recuado, numa tentativa de evitar a marcação do gol esmeraldino e pegar a defesa adversária de surpresa para sair de Recife com a vitória. O domínio alviverde só veio surtir resultado aos 33 minutos quando o lateral direito Carlinhos soltou a bomba para vencer o goleiro centralino Ivã. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 1X0 CENTRAL e a vitória começava a se desenhar. O Central de Caruaru procurou reagir e finalizou com perigo em algumas oportunidades, porém sem sucesso. No segundo tempo, as investidas do time “Patativa do Agreste” aumentaram, todavia, continuou a errar na hora do arremate final. Aos 10 minutos brilhou a estrela do célebre jogador Robertinho, que driblou a defensiva alvinegra e arrematou para as redes defendidas por Ivã para aumentar o marcador no Estádio dos Aflitos. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 2X0 CENTRAL para a festa da torcida do clube de Casa Amarela.

Jálber Carvalho resolveu fazer uma alteração no ataque esmeraldino e sacou Bonfim para a entrada de Clóvis. Depois do gol, o América recuou e chamou o Central para o jogo, que pressionou a defensiva americana com insistência e depois de tanto insistir, conseguiu na marca dos 27 minutos descontar no placar por intermédio do meio campista Tchau (isso mesmo, Tchau!), que chutou de forma indefensável contra o goleiro Godói. AMÉRICA 2X1 CENTRAL era o que estava registrado no placar do Estádio Eládio de Barros Carvalho. O gol alvinegro animou o Central e o treinador Schiler Diniz, que tirou os jogadores Patota e Zequinha e colocou em seus respectivos lugares os atletas Zé Carlos e Hélio Lima, fez por meio de suas substituições tornar o Central um time mais ofensivo.

Nos últimos minutos de partida o Central teve uma chance incrível de empatar quando Hélio Lima entrou livre de marcação na grande área e chutou forte, para uma defesa magistral e poucas vezes igualável do arqueiro Godói do América, que com sua qualidade segurou o resultado de vitória. No final AMÉRICA 2X1 CENTRAL foi o resultado final e os jogadores que naquele dia 07 de abril de 1976 participaram deste grande jogo, foram os seguintes:





AMÉRICA:
Godói;
Carlinhos, Alexandre, Nilo e Daniel;
Vicentinho e Marcos Costa;
Mozart, Vagner, Robertinho e Bonfim.

CENTRAL:
Ivã;
Gonçalves, João Correia, Moreira e Franklin;
Patota e Tchau;
Zequinha, Paulinho, Paraguaio e Régis.




0 comentários:

Postar um comentário