sexta-feira, 25 de abril de 2014

MEMÓRIAS ESMERALDINAS: América 2x1 Fluminense do Recife em maio de 1932

Vem o ano de 1932 e com ele o nascimento de pessoas como o ator Raul Cortez (Genaro na novela “Esperança” de 2002 e ator do filme “O Homem que Comprou o Mundo” de 1968), a escritora portuguesa Maria Ondina Braga (autora de obras como “Estação Morta” de 1980 e “Lua de Sangue” de 1986), o ex-jogador Canhoteiro (destaque do São Paulo F.C. nos anos 1950 e exemplo de jogador de acordo com Pelé), o ex-jogador Carlos de Castro Borges, o Cacá (bicampeão carioca com o Botafogo/RJ em 1961 e 1962 e com passagens por América/RJ, Fluminense/RJ e Portuguesa/SP), o ex-jornalista olindense Felix de Athayde (exilado no México depois do Golpe de 1964) e a atriz Ilka Soares (Helena na novela “Te Contei?” de 1978 e atriz no filme “Iracema” de 1949). Ainda em 1932 faleceram o poeta carioca Luis Carlos de Barros (autor do livro “Encruzilhada” de 1922), o escritor baiano Rodolfo Teófilo (autor do livro “Lira Rústica” de 1913) e o norte-americano King Camp Gillette (inventor da lâmina de barbear que leva seu nome). Neste ano aconteceram a Revolução Constitucionalista na qual tropas paulistas lutaram contra o governo Vargas pela promulgação de nova constituição para o país; os Jogos Olímpicos de Los Angeles nos Estados Unidos e o centenário da Guerra dos Cabanos (não confundir com a Cabanagem em Belém-PA) em Pernambuco e Alagoas, na qual alguns habitantes se juntaram a escravos fugidos e índios Jacuípes, pela volta de D. Pedro I (que abdicara a coroa um ano antes), em virtude dos desmandos da Regência Trina provisória.

Ilustração de América 2x1 Fluminense do Recife (Capunga) no Estádio do
Parque da Jaqueira em 22 de maio de 1932 pelo campeonato pernambucano
O Campeonato Pernambucano de 1932 foi dividido em Série Azul (com Íris, Náutico, Sport, Torre e Encruzilhada) e Série Branca (com Santa Cruz, Flamengo, América, Great Western, Fluminense e Israelita) e os campeões de cada série decidiriam o certame. No dia 22 de maio de 1932 (em jogo válido pela terceira rodada) se enfrentaram América e Fluminense do Recife (do então aprazível bairro da Capunga) envolto a um clima de expectativa, uma vez que o América, que havia sido derrotado pelo Flamengo do Recife na estreia, havia vencido o Israelita por 9x1, enquanto que os tricolores da Capunga, haviam derrotado o Great Western por 3x2 e a briga seria pela ponta da tabela. 

A preliminar América (PE) x Fluminense (PE) envolvendo o segundo quadro de ambas as agremiações terminou com vitória do alviverde da Estrada do Arraial por 8x0, fato que aliado às fortes chuvas que caíram no Recife deixaram em péssimas condições o gramado do glorioso e saudoso Estádio da Jaqueira, bem como colaborou para que um público menor do que o esperado fosse registrado. A partida colocaria frente a frente o atacante esmeraldino Prego, contra Telephone, o mais destacado defensor do Fluminense do Recife e que estaria de volta e quem vencesse o duelo, se aproximaria dos líderes Santa Cruz e Flamengo recifense que tinham 100% de aproveitamento. Pode-se dizer também que o América (5° colocado do campeonato de 1931) enfrentaria do Fluminense do Recife (o 8° colocado em 1931) em clima de revanche, pois a partida que foi realizada no dia 14 de junho de 1931, terminou com a vitória da equipe do bairro da Capunga pelo placar de um gol a zero.

Folha esportiva do Jornal Pequeno de 24 de maio de 1932
Com a arbitragem do Sr. Júlio Fernandes (atleta do Santa Cruz) a partida foi iniciada e o que se viu foi a habilidade dos atacantes Gaby e Carneirinho do Fluminense que apesar disso, não conseguiam passar com facilidade por Palmeira e Barbalho, que se comportaram de maneira muito bem postada na linha de defesa americana. Do outro lado da cancha, Prego em várias jogadas trabalhadas junto com Seixas, tentavam furar o bloqueio defensivo imposto pelo Tricolor da Capunga, que se defendia com a destreza já conhecida de Telephone e de Jorge Pinto de Abreu, que vez ou outra recuava para ajudar a retaguarda.

Nota da página esportiva do Jornal Pequeno de 24 de maio de 1932
destacando a vitória do América contra o Fluminense do Recife
O atacante tricolor Varella foi o responsável pelo único tento marcado pelo Fluminense no campo da Jaqueira naquele domingo chuvoso de futebol, enquanto que Lula (o primeiro gol) e Ralf (o segundo gol) marcaram os gols que culminaram na vitória do América de Casa Amarela contra o Fluminense da Capunga. A rodada foi encerrada com a vitória do Santa Cruz contra o Flamengo e do Great Western sobre o Israelita, o que fez com que o “Mequinha” encerrasse a rodada dividindo a segunda colocação com os alvinegros campeões de 1915, dois pontos atrás do tricolor do Arruda, enquanto que o Fluminense ficou dividindo a quarta coloção com o Great Western com dois pontos cada, a frente apenas do Israelita, último colocado, com nenhum ponto ganho. As equipes que naquele dia 22 de maio de 1932 se encontraram no Estádio do Parque da Jaqueira para a disputa do “match” América x Fluminense estavam escaladas da seguinte forma:



AMÉRICA DO RECIFE:
Pereirão;
Palmeira e Barbalho;
Capitulino, Casado e Deoclécio;
Lula, Eric, Seixas, Ralf e Prego.

FLUMINENSE DO RECIFE:
Gouveia;
Telephone e Durval;
Luizinho, Baptista e Jorge Pinto de Abreu;
Vivi, Masinho, Varella, Carneirinho e Gaby.






0 comentários:

Postar um comentário