terça-feira, 27 de maio de 2014

MEMÓRIAS ESMERALDINAS ESPECIAL: América 2x1 Sport em mar/nov de 1922 (AMÉRICA CAMPEÃO!)

Trecho do Jornal Pequeno (Recife) de 09 de maio de 1922
relatando a estreia de América e do Sport no campeonato
Em 1922 nasciam o físico alemão Hans Dehmelt (ganhador do prêmio Nobel de física em 1989), o ator norte-americano Guy Madison (ator nos filmes “Inferno na Normandia” de 1968 e “A Espada do Conquistador” de 1961), o ex-jogador Bigode (campeão da Copa Rio de 1952 com o Fluminense/RJ e da Copa América de 1949 com a Seleção Brasileira), o ator Fernando Baleroni (ator na novela “Vendaval” de 1973 e no filme “Paixão de Gaúcho” de 1957), Giulite Coutinho (ex-presidente da CBF e do América/RJ), o poeta José Saramago (autor de “A Jangada de Pedra” de 1986 e “A Caverna” de 2000) e o ex-jogador iugoslavo Rajko Mitic (marcou o primeiro gol da história do Estádio Independência em Belo Horizonte durante a Copa do Mundo de 1950). Faleciam em 1922, José Rufino Bezerra Cavalcanti (governador de Pernambuco entre 1919 e 1922), o físico alemão Max Abraham (lançou diversas teorias sobre a natureza do elétron), Gastão de Orleans (mais conhecido como o Conde D’Eu, marido da Princesa Isabel e combatente da Guerra do Paraguai) e a atriz e cantora norte-americana Lillian Russell (conhecida pela música “Come Down Ma Evenin’ Star” de 1912). Neste mesmo ano ocorreu a fundação do Partido Comunista do Brasil; a primeira revolta do movimento tenentista, que foi a Revolta dos 18 do Forte de Copacabana, na qual militares demonstraram sua insatisfação quanto ao poderio oligárquico do país e terminava o mandato do presidente da república Epitácio Pessoa, vindo a ser sucedido por Arthur Bernardes. Os sucessos da música ficavam por conta de “Tristeza do Jeca” de Angelino de Oliveira, “Luar de Paquetá” de Deo e Dircinha Batista e “Coração Divinal” de J. Resende.

Jornal Pequeno destacando a estreia do América Futebol Clube
O campeonato pernambucano de 1922 começou com um atrativo a parte que era a nomenclatura de campeão do centenário que seria dada a equipe que conquistasse o troféu daquele ano, em função das comemorações alusivas ao centenário da independência do Brasil com relação a Portugal. O América lutaria pelo bicampeonato estadual, enquanto que o Sport tinha como meta, fazer uma campanha melhor do que em 1921, quando terminou na terceira colocação. Dois jogos estavam marcados para aquele domingo dia 07 de maio de 1922 válidos pela primeira rodada do certame estadual, que eram América x Sport e Náutico x Peres (O Peres não compareceu e o Náutico venceu por WO). O sistema de disputa seria o de pontos corridos com jogos realizados em apenas um turno.O público compareceu em bom número ao Estádio da Jaqueira (América Park) para presenciar aquela partida que daria início ao ano futebolístico em Pernambuco e logo depois do apito do Sr. Gastão Bittencourt, árbitro da partida, as duas equipes procuraram o gol com bastante disposição, entretanto, o América foi a equipe que levou mais perigo ao gol do seu adversário. A melhor desenvoltura em campo rendeu bons frutos ao clube de Casa Amarela, pois quando o relógio do árbitro chegou perto de acusar a metade do primeiro tempo, surge a estrela do atacante Araújo, que logo depois de receber a pelota, se desvencilhou da defensiva rubro-negra e chutou forte contra o gol do goleiro Marcio Franco para abrir o marcador. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 1X0 SPORT.

Ilustração de América x Sport pelo campeonato pernambucano de 1922
no Estádio do Parque da Jaqueira. A partida que começou em março e
terminou em novembro. América campeão!
Mesmo com o gol sofrido, os leões não acordaram na partida e o América continuou a exercer certa pressão e chegar com mais frequência perto do gol adversário, enquanto que o Sport tinha como grande destaque a atuação esforçada da sua dupla defensiva formada por Chalmers e Alarcon. Perto do final do primeiro tempo numa grande jogada do atacante esmeraldino Araujo, este escapou da marcação do oponente e chutou no canto indefensável de Marcio Franco para aumentar a vantagem. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 2X0 SPORT e as comemorações no Estádio da Jaqueira estavam tingidas pelas cores alviverdes.Com dois gols de Araujo, o América encaminhava-se no sentido da vitória, todavia, sabia-se que o Sport viria com outra postura em campo para tentar reverter o resultado parcial de derrota. A cerca da metade do segundo tempo o rubro negro da Avenida Malaquias (local do antigo campo do Sport no bairro das Graças) reagiu no jogo e num belo chute cruzado o atacante rubro negro Péricles faziam o gol que descontava a vantagem americana no América Park. AMÉRICA 2X1 SPORT e a torcida do leão ansiava por um empate, o que poderia vir em qualquer momento, em virtude da melhor disposição em campo por parte de seus atletas.

Página esportiva do Jornal Pequeno de 20/11/1922
destacando os dois maiores lazeres dos recifenses na época
Aos 37 minutos do segundo tempo, o árbitro Gastão Bittencourt (jogador do Flamengo) interrompeu a partida e avisou aos atletas de ambas as equipes que não havia mais condições de dar prosseguimento ao jogo, em virtude da falta de iluminação natural necessária, muito provocada pelo fato de que chovia razoavelmente naquela tarde de domingo e o tempo nublado fez escurecer mais cedo na capital pernambucana (não haviam refletores na época). Os jogadores concordaram e a partida foi dada por encerrada com placar de 2x1 para o América. De acordo com o Jornal Pequeno de 9 de maio de 1922, Rômulo, Lindolfo, Zé Tasso e Araujo foram os destaques do América, enquanto que os destaques do Sport foram Alarcon e Péricles. O Sport seguiu no campeonato empatando com o Náutico e vencendo o Peres, o Torre, o Equador, o Flamengo e o Santa Cruz, enquanto que o América venceu todos os adversários, excetuando-se uma derrota para o Torre no dia seis de agosto. O que ninguém poderia previr, era que os oito minutos que não foram jogados entre Sport e América no dia 7 de maio fariam toda a diferença no fim do campeonato em novembro. O América encerrou suas partidas com 12 pontos contra 11 do Sport (América campeão), entretanto, se o Sport tivesse empatado nos minutos restantes do jogo da longíssima primeira rodada, a situação se inverteria e o Sport seria o campeão e em função disto, o time rubro-negro solicitou à Liga Pernambucana de Desportos Terrestres (LPDT) que o restante da partida contra o “Mequinha” deveria ser jogado e a LPDT acatou o pedido. Ficou decidido que no domingo 19 de novembro o Estádio da Jaqueira receberia a realização de três atrações que foram Náutico x Flamengo (terceiros times e com a arbitragem de Moreira, jogador do América) as 14h, os oito minutos restante de América x Sport às 15:30h e por fim, Equador x Torre (times principais) as 16h. 

Trecho do Jornal Pequeno de 20 de novembro de 1922 enaltecendo
a estrondosa vitória do América. Os jogadores comemoraram o título no
ainda hoje ativo Restaurante Leite, localizado na Pça. Joaquim Nabuco, 147
Naquele 19 de novembro, os oito minutos restantes foram jogados e o que se viu foi um Sport partindo para o tudo ou nada, praticamente atacando com todos os jogadores em busca do empate que lhe daria o título e um América com os 11 atletas na defesa para segurar a vitória iniciada em maio e confirmar o título. Apesar da maciça pressão rubro-negra, não houve gols nestes últimos oito minutos e o América Futebol Clube sagrava-se não somente bicampeão pernambucano pela segunda vez, mas também, campeão do centenário. Os terceiros quadros de Náutico e Flamengo terminaram o jogo com vitória do Náutico por 3x1, enquanto que o Torre goleou o Equador por três a zero. Alguns atletas que jogaram grande parte da partida América x Sport em maio não jogaram em novembro como, por exemplo, o goleiro Nozinho, o zagueiro Cunha Lima e o atacante Araujo, entrando em seus lugares Leça, Zizi e Matuto respectivamente, enquanto que no Sport não jogaram os meio campistas Jack e Paranhos e o atacante Geraldo, que foram trocados por Baltar, Hardy e Walker nas respectivas posições. As equipes da maior parte do jogo América 2x1 Sport realizado em 7 de maio foram as seguintes:





AMÉRICA:
Nozinho;
Rômulo e Cunha Lima;
Lindolfo, Licor e Faustino;
Meirinha, Fabinho, Zé Tasso, Jujú a Araujo.

SPORT:
Mário Franco;
Alarcon e Chalmers;
Paranhos, Jack e Pedro Sá;
Mathias, Benedito, Geraldo, Péricles e Aluízio.







0 comentários:

Postar um comentário