quinta-feira, 12 de junho de 2014

MEMÓRIAS ESMERALDINAS: Treze-PB 0x0 América em janeiro de 1981

Trecho do Diário de Pernambuco
destacando a partida Treze x América
em 14 de janeiro de 1981
Em 1981 nasciam o ator canadense Patrick Adams (ator nas séries “Lost” de 2007 e “Em Contato” de 2009), o goleiro Alexandre Negri (revelado pela Ponte Preta/SP e atualmente no futebol do Chipre), o jogador espanhol Xabi Alonso (campeão da UEFA Champions League em 2014 com o Real Madrid), o meio campista Pinga (revelação do Ceará/CE e atualmente no América/MG), a patinadora japonesa Shizuka Arakawa (medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Inverno de Turim-ITA em 2006), o jogador argentino Nicoláz Burdisso (campeão da Taça Libertadores de América em 2003 com o Boca Juniors/ARG), o jogador Eduardo Teles (campeão pernambucano com o Sport em 2003), o jogador Andrade (campeão pernambucano com o Santa Cruz em 2005), a ex-tenista russa Elena Dementieva (medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Sydney em 2000), o jogador Joseílson (atleta do Náutico em 2006 quando subiu à Série A) e o jogador Éder Richartz (campeão alagoano de 2014 com o Coruripe).  Faleciam o guitarrista norte-americano Bill Haley (músico da extinta banda de rock Bill Haley & His Comets), o ex-jogador Najdanovic (defendeu a Iugoslávia na Copa de 1930 no Uruguai), o cantor sambista Mário Reis (conhecido por sucessos como “A Tua Vida é Um Segredo” de 1932 e “Uma Andorinha Não Faz Verão” de 1933), o ator Rafael de Carvalho (atuou no filme “Fogo Morto” de 1976 e na novela “Cavalo Amarelo” de 1980), o diretor de cinema Watson Macedo (trabalhou nos filmes “Samba em Brasília” de 1961 e “Depois eu Conto” de 1956) e o químico norte-americano Harold Urey (vencedor do Prêmio Nobel de química de 1934). Músicas como “Palco” de Gilberto Gil, “Lua e Estrela” de Caetano Veloso, “Eternas Ondas” de Fagner e “Daquilo Que Eu Sei” de Ivan Lins faziam sucesso neste referido ano.

Ilustração de Treze - PB x América no Estádio Ernani Sátyro em Campina
Grande pelo Campeonato Brasileiro de 1981 (Taça de Prata)
No dia 14 de janeiro de 1981, o América viajou até Campina Grande no estado da Paraíba para enfrentar os alvinegros do Treze Futebol Clube, em jogo válido pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão (Taça de Prata). Se por um lado os pernambucanos estavam animados pela vitória obtida em Caruaru contra o Central Sport Club por um gol a zero, do outro, o Treze havia na rodada de estreia amargado uma derrota frente ao Botafogo-PB, num clássico paraibano realizado em João Pessoa, por dois gols a zero. A meta do América era vencer e liderar o grupo, enquanto que o “Galo da Borborema” queria vencer para não ver suas chances de avançar de fase serem diminuídas.

Elenco do Treze de Campina Grande no ano de 1981
Um ponto positivo em favor do América do Recife era o fato do treinador Jalber Carvalho conhecer muito bem o grupo de jogadores do clube paraibano, uma vez que, havia sido seu treinador há pouco tempo atrás e havia saído de forma não amistosa, devido a alguns desentendimentos com alguns dirigentes do Treze. Jalber Carvalho se encontrava ansioso pela possibilidade de fazer as estreias do meio campista Pedrinho e do zagueiro Geraílton, cujos documentos de transferência já estavam nas mãos dos dirigentes esmeraldinos e também pela possibilidade de colocar em campo o jogador Rivaldo, que não havia jogado em Caruaru por não estar apto fisicamente, e que era atleta fundamental ao esquema de Jalber, devido ao fato de poder usá-lo em vários setores do gramado, habilidade esta que já havia sido mostrada quando atuou no Sport no ano de 1979, que tinha Vail Mota como técnico.

Destaque do Diário de Pernambuco de 15/01/1981 sobre o América
A bola começou a rolar no Estádio Governador Ernani Sátyro (Estádio Amigão) às 21h daquela noite de quarta-feira em Campina Grande-PB, cidade conhecida por seus festejos juninos, e o que se viu no primeiro tempo foi o Treze atacando o América, impulsionado por sua torcida que comparecia em bom número, porém, sem conseguir vencer o goleiro Batista do time recifense. Recuado, o América passou grande parte da primeira etapa de jogo sendo sufocado pelo ataque alvinegro paraibano, que ora parava na boa atuação de Nilo, ora parava na eficiência defensiva de Geraílton. As poucas jogadas de gol que o América realizou na intenção da marcar o primeiro gol nos primeiros quarenta e cinco minutos de jogo foram jogadas finalizadas por meio do atacante Régis, que assim como os atacantes paraibanos, também não conseguia vencer o goleiro adversário.

O América chegou perto da vitória
No intervalo Jalber Carvalho percebeu que seu time poderia vencer o adversário no segundo tempo e promoveu as entradas de Edson e Eduardo nas vagas de Valdir e Agnaldo respectivamente, para dar melhor poder ofensivo à equipe. No Treze, do treinador Danilo Menezes, houve a entrada de Hélio Alagoano na vaga deixada por Dão no meio campo. A segunda etapa de jogo transcorreu com o América melhor em campo, chegando em sua maior parte, até a dominar o meio campo do Treze e levando em várias ocasiões, perigo ao gol defendido pelo goleiro Hélio Show do clube paraibano.

Gonçalves e Marcos Costa: os melhores da partida







Apesar da melhor desenvoltura apresentada pelo América no segundo tempo e das atuações destacadas do zagueiro Gonçalves e do meia Marcos Costa, a equipe alviverde de Casa Amarela não conseguiu marcar, tampouco, a equipe do Treze da Paraíba e a partida terminou com um empate de 0x0, que terminou sendo benéfico ao clube pernambucano, que agora faria seus preparativos para fazer seu primeiro jogo em casa e tal partida seria no sábado, contra o Botafogo da Paraíba no Estádio Jefferson de Freitas em Jaboatão. O empate sem gols entre Treze e América foi arbitrado por Antônio Vieira de Góis e proporcionou uma renda de aproximadamente 264 mil cruzeiros. Os jogadores que estiveram em campo naquele dia para defender suas respectivas agremiações foram os seguintes:





TREZE FUTEBOL CLUBE (PB):
Hélio Show;
Levi, Jotabê, Hermes e Eliomar;
Lula, Dão e Mozart;
Puma, Nilson e Valmir


AMÉRICA FUTEBOL CLUBE (PE):
Batista;
Gonçalves, Nilo, Geraílton e Escada;
Givaldo, Pedrinho e Marcos Costa;
Valdir, Agnaldo e Régis.





0 comentários:

Postar um comentário