domingo, 20 de julho de 2014

MEMÓRIAS ESMERALDINAS: América 3x0 Central em setembro de 1974

Nota do Diário de Pernambuco
um dia antes da partida
Foi o ano de nascimento de pessoas como o ator porto-riquenho Joaquim Phoenix (ator em filmes como “Hotel Ruanda” de 2004 e “Gladiador” de 2000), o ex-jogador nigeriano Taribo West (campeão da Copa da UEFA de 1998 com a Internazzionali de Milão e campeão olímpico de 1996 com a Seleção Nigeriana), o ex-jogador Lecheva (campeão brasileiro (série B) em 2001 com o Paysandu/PA), a cantora irlandesa Andrea Corr (vocalista na banda de rock The Corrs), a atriz norte-americana Jenna Fischer (atriz em filmes como “Seres Rastejantes” de 2006 e “Passe Livre” de 2011) e o jogador Giancarlo Dantas (campeão da Libertadores da América com o Vasco da Gama em 1998 e do Mundial Sub-20 de 1993 com a Seleção Brasileira). Vinha a falecer o físico soviético Vladimir Fock (destaque na área de mecânica quântica), a atriz norte-americana Agnes Moorehead (atriz em filmes como “A Árvore da Vida” de 1957 e “O Grande Pecador” de 1949) e as atrizes norte-americanas Betty Compson (atriz nos filmes “O Sargento Grischa” de 1930 e “Hotel Imperial” de 1939) e Neva Gerber (Atriz nos seriados “O Telefone da Morte” de 1917 e “A Caixa dos Mistérios” de 1925). Os sucessos musicais eram “Na Rua, Na Chuva, Na Fazenda” com Hyldon e “Na Hora do Almoço” com Belchior.

Página esportiva do Diário de Pernambuco no dia do jogo
No dia 08 de setembro de 1974 se iniciaram os jogos de volta do primeiro turno do campeonato pernambucano de futebol e como não poderia faltar, o América do Recife estaria em campo para enfrentar mais um adversário. Os americanos, que vinham de vitória em cima do Santo Amaro, enfrentariam o Central de Caruaru, do treinador Mauro Carvalho, que vinha de uma derrota em casa frente ao Sport. Os recifenses figuravam na sexta colocação com seis pontos, um a menos que o Ferroviário do Recife e o alvinegro caruaruense, seu oponente daquele domingo. O duelo aconteceria no Estádio dos Aflitos, como preliminar da partida de fundo envolvendo Sport e Santo Amaro. Na sexta feira os atletas do time esmeraldino, comandados pelo treinador Astrogildo Néri, fizeram um treinamento à tarde no Sítio da Trindade em Casa Amarela, como forma de dar os últimos retoques físicos à equipe que entraria em campo no domingo contra a Patativa do Agreste. O sábado foi dia de reunião. O dirigente Jurandir Bezerra, junto com restante da diretoria, se reuniu com o treinador para avaliarem o que estava acontecendo com o elenco, que não vinha produzindo um bom futebol até aquele momento. A vitória contra o Central em Caruaru na estreia, seguida de vitórias contra Íbis e Santo Amaro não foram suficientes para satisfazer os americanos, com relação à produção técnica da equipe nas quatro linhas, que ainda estava bem abaixo da que era esperada no inicio da temporada.

Ilustração de América x Central em 08 de setembro de 1974 no Estádio
dos Aflitos pelo campeonato pernambucano
Com a arbitragem de Manoel Amaro, auxiliado nas bandeirinhas por Lourinaldo Rodrigues e Ozéas Gomes, a partida foi iniciada e o que se viu foi um Central melhor em campo. Com apenas oito minutos de bola rolando, o time de Caruaru perdeu uma grande chance com o atacante Zito. Ele recebeu a bola livre de marcação, pois, a defesa do América parou, pensando haver impedimento, o que não havia, e o Central perdia um gol incrível. Aos 15 minutos, o mesmo Zito lançou a bola para Peteleco, mas, o goleiro Carlos do América surgiu na frente, desviando a bola para escanteio, evitando um gol certo centralino. Aos 25 minutos, o Central cobrou uma falta por meio de Baltazar, forçando Carlos a operar um novo milagre no Estádio dos Aflitos. Apenas o Central jogava. A liberdade que tinha em campo reforçou a tese folclórica, de que o Central sempre jogava mais em Recife do que em Caruaru. Antes de o primeiro tempo terminar, Zito ainda teve tempo de perder outra chance incrível de gol, frente a frente com o goleiro Carlos.

Destaque do Diário de Pernambuco de 09/09/1974 sobre a
vitória do América sobre os caruaruenses
O América muda no time e coloca Teco no lugar de Jaminho na lateral, além de Geraldo no lugar de Batoré no ataque e, por sua vez, o Central colocou João Luis no lugar de Valdecir na defesa, além de Careca no lugar de Hélio Lima no ataque. Com as orientações de Astrogildo Néri, o América voltou muito melhor para o segundo tempo, tanto que com apenas 4 minutos de bola rolando, o árbitro Manoel Amaro assinalou falta em dois lances para o time alviverde. Na cobrança forte de Valdir, o goleiro Félix do Central deu rebote nos pés do atacante Evandro que abriu o placar. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 1X0 CENTRAL nos Aflitos. Com um novo América no gramado as coisas começaram a fluir muito bem para o lado recifense. Aos 20 minutos num rápido contra-ataque, o atacante Valdir do América disparou rumo ao gol, driblando por fim o lateral Jorge do Central, bem como o goleiro Félix antes de tocar levemente para o fundo das redes. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 2X0 CENTRAL para a festa dos americanos que preenchiam as arquibancadas.
América deu muito trabalho à defesa do Central no segundo tempo

Os alvinegros de Caruaru já se encontravam atordoados em campo. Aos 37 minutos veio o gole final marcado por meio do atacante Elói, que havia recebido um belo passe de Vitor, antes de fuzilar as redes do goleiro Félix. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 3X0 CENTRAL e desta forma terminou mais uma grande vitória do clube verde e branco de Casa Amarela. As equipes em campo jogaram com as seguintes escalações:

AMÉRICA:
Carlos;
Vitor, Birunga, Antonino e Jaminho;
Otávio Souto e Paulo Roberto;
Valdir, Batoré, Evandro e Elói.

CENTRAL:
Félix;
Patota, Cláudio, Valdecir e Jorge;
Valdir e Tchau;
 Zito, Hélio Lima, Baltazar e Peteleco.



0 comentários:

Postar um comentário