quinta-feira, 10 de julho de 2014

MEMÓRIAS ESMERALDINAS: América 3x3 Sport em junho de 1946

Diário de Pernambuco: domingo, 02 de junho de 1946
Em 1946 nasciam o sambista carioca Almir Guineto (fundador do grupo Fundo de Quintal), o ex-guerrilheiro comunista brasileiro André Grabois (morto na Guerrilha do Araguaia), a ex-guerrilheira Aurora Furtado (morta durante a ditadura militar), a atriz norte-americana Candice Bergen (atriz do filme “Gandhi” de 1982), a cantora Beth Carvalho (conhecida como “madrinha do samba”), o ator clemente Viscaíno (ator na novela “A Máfia no Brasil” de 1984 e do filme “Carandiru” de 2003), o ator norte-americano Tim Curry (ator nos filmes “Esqueceram de Mim 2 – Perdido em Nova York” de 1992 e “As Panteras” de 2000) e o ex-jogador romeno Flavius Domide (defendeu a Seleção da Romênia na Copa de 1970). Morriam o ator norte-americano George Larkin (ator de filmes como “O Terror das Serras” de 1919 e “A Pista do Terror” de 1921), o grego Pantelis Karasevdas (atirador competidor nas Olimpíadas de 1896), o escritor britânico Hebert Wells (autor de livros como “A Guerra dos Mundos” de 1998 e “O Alimento dos Deuses” de 1904) e a atriz norte-americana Florence Turner (atriz em filmes como “Over the Garden Wall” de 1910 e “O Sinal da Cruz” de 1932). Na música faziam sucesso “Cortando Pano” com Luiz Gonzaga, “A Valsa do Vaqueiro” com Bob Nelson, “Não me Deixe Sozinho” com Orlando Silva, “Barqueiro do São Francisco” com Dick Farney e “Até Hoje Não Voltou” com Ciro Monteiro.

Destaque do Diário de Pernambuco a respeito do clássico América x Sport
O América do Recife havia começado muito bem o campeonato de 1946. A vitória dos alviverdes em cima do Flamengo por 9x0 foi bastante comemorada pelos americanos. O segundo compromisso do clube de Casa Amarela seria no domingo, dia 02 de junho contra os rubro-negros do Sport Club do Recife, um clássico do nosso esporte bretão, denominado de Clássico dos Campeões desde os tempos primórdios. O Sport vinha de vitória sobre o Great Western por 4x1, elevando a importância do confronto América x Sport, que valia a liderança. Aquele domingo no Recife amanheceu em meio a torrenciais pancadas de chuva que se continuaram durante todo o dia, deixando o Estádio dos Aflitos totalmente alagado e inapto para a prática futebolística. Acertadamente, a Federação Pernambucana de Desportos (FPD) adiou a partida para a terça dia 04, como forma de evitar o prejuízo técnico e financeiro que poderia acontecer. O futebol naquele domingo chuvoso se resumiu aos jogos do Torneio Suburbano (2ª divisão) com o clássico Água Fria x São Paulo no campo da Estrada Velha do bairro de Água Fria, Íbis x Atheniense no campo do Íbis em Santo Amaro, Fábrica Yolanda x Locomoção de Jaboatão no bairro do Jiquiá e Guararapes x Bahia no campo do Tacaruna em Santo Amaro.

Diário de Pernambuco da terça-feira elogiando o adiamento da partida
No Sport, do técnico paraguaio Aurélio Munt, a confiança maior residia na defesa formada pelo goleiro Manuelzinho e pelos defensores Zago e Chicão, todos titulares da
Seleção Pernambucana. O meio campo e o ataque ainda eram alvos de desconfiança com relação à qualidade pela torcida rubro-negra, que aguardava ansiosa a chegada dos contratados. No lado alviverde, o treinador Álvaro Barbosa não tinha qualquer desfalque para a partida e iria com carga máxima para cima dos leões, adversário contra quem os atletas americanos deveriam mostrar muito serviço, uma vez que, o Flamengo na rodada passada não exigiu muito esforço.

Diário de Pernambuco de 04/06/1946 sobre a partida
O jogo seria arbitrado pelo Sr. Leon Markman (auxiliado por José Gaioso e Batista da Conceição nas bandeirinhas). Com o relógio anotando 15:20h e com  a presença do presidente do América, o Sr. Rubem Moreira, começou mais um Clássico dos Campeões no Estádio dos Aflitos e logo aos 9 minutos de bola rolando, o Sport cobrou uma falta por meio do seu defensor Zago. O goleiro Leça do América subiu na bola para agarrar, mas, em um lance extremamente infeliz, soltou fácil a pelota nos pés do atacante rubro-negro Luiz, que anotou o primeiro gol do jogo. AMÉRICA 0X1 SPORT nos Aflitos. Aos 15 minutos, o meio-campista Alheiros do Sport sentiu fortes dores na coxa e deixou o gramado provisoriamente, deixando o Leão da Ilha com um atleta a menos. Dez minutos mais tarde, Aurélio Munt pediu que Alheiros fosse para o ataque no lugar de Zé Pequeno, que foi para a posição de Luiz. Luiz por sua vez ocupou a vaga de J. Vitor no meio campo, que foi recuado para a defesa no lugar de Alheiros.

A reação americana não tardou e aos 35 minutos numa grande arrancada de Djalma, a bola foi cruzada pela direita sobre a grande área e encontrou o atacante Zezinho que tocou para o fundo das redes de Manuelzinho. Apesar do protesto rubro-negro sobre um possível impedimento, o árbitro confirmou o gol de empate. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 1X1 SPORT e desta forma, terminou o primeiro tempo de partida.

Ilustração de América x Sport em 04 de junho de 1946 no Estádio dos Aflitos
pelo campeonato pernambucano: a busca pela liderança.
Melhor em campo no começo do segundo tempo, o Periquito da Estrada do Arraial parecia perto da virada, principalmente quando aos 3 minutos, Julinho soltou a bomba que explodiu de forma violenta na trave de Manuelzinho. A pressão americana era grande e aos 15 minutos o atacante Valdeque chutou fraco nas mãos do goleiro do Sport que deu rebote, indo a bola para Janjoca que estufou a redes rubro-negras. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 2X1 SPORT. O Sport caiu de produção e a exibição ruim de seu meio campo expôs sua defesa a ataques sucessivos. Aos 35 minutos, o célebre Djalma correu pela esquerda e lançou Julinho, que avançou em velocidade e já dentro da área, deu um toque com categoria no canto de Manuelzinho que se resumiu em ver a bola balançar suas redes. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 3X1 SPORT e a vitória americana parecia garantida.

Diário de Pernambuco de 05/06/1946 destacando o feito
do Sport em ter empatado com o América
O Sport foi para cima e aos 40 minutos, Zé Pequeno disparou pela esquerda, fortemente marcado pelo americano Arnaldo, mas, chutou forte e rasteiro contra o gol de Leça de forma indefensável. AMÉRICA 3X2 SPORT. Vendo a possibilidade de empatar, o leão foi todo para cima e aos 43 minutos o goleiro Leça ao tentar agarrar a bola chutada por Luiz do Sport, falhou de forma horrível (um “frangaço” futebolístico) e estava o jogo novamente empatado. Dois minutos mais tarde, o Sr. Leon Markman apitou o final da partida com empate em 3x3. Na preliminar (categoria de amadores), o América de Couto; Seixas I e Darcy; Quincas, Paulo e Bartô; Nazaré, Seixas II, Adolfo, Henrique e Aílton venceu o Sport por 4x0. Nazaré e Adolfo marcaram para o América e no segundo tempo surgiram dois gols de Henrique. Os atletas Nelson e Mimi do Sport foram expulsos depois de ofender de forma bárbara o juiz depois de ser anotado pênalti contra seu clube.


As equipes na categoria de profissionais estiveram assim escaladas:





AMÉRICA: 
Leça; 
Galego e Lucas; 
Pedrinho, Edgard e Arnaldo; 
Janjoca, Julinho, Djalma, Zezinho e Valdeque.


SPORT: 
Manuelzinho; 
Chicão e Zago; 
J. Vitor, Alheiros e Arnaldo; 
Zildo, Baby, Luiz, Paulo Ramos e Zé Pequeno.

0 comentários:

Postar um comentário