sábado, 2 de agosto de 2014

MEMÓRIAS ESMERALDINAS: América 1x0 Vitória/BA em janeiro de 1956


Jornal do Commercio de 22 de janeiro de 1956 destacando os jogos do
Torneio Bahia-Pernambuco daquele domingo em Recife
Em 1956 nasciam o russo Alexander Kaleri (cosmonauta e tripulante na estação orbital russa Mir em 2000), o produtor cinematográfico Walter Salles (dirigiu os filmes “Central do Brasil” de 1998 e “Abril Despedaçado” de 2001), a atriz norte-americana Carrie Fischer (atriz nos filmes “Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança” de 1977 e “Tem um Morto ao Meu Lado” de 1990), o também ator Tom Hanks (personagem de filmes como “A Viagem” de 2013 e “Jogos do Poder” de 2007), o ex-goleiro uruguaio Rodolfo Rodriguez (campeão do Mundial de Clubes em 1980 com Nacional/URU e campeão paulista de 1984 com o Santos), o ex-jogador Adílio (campeão Mundial de Clubes de 1981 com o Flamengo) e o músico Roger Moreira (vocalista da banda de rock Ultraje a Rigor). Faleciam o químico inglês Frederick Soddy (vencedor do prêmio Nobel de química em 1921 por estudos relacionados à radioatividade), o ator húngaro Béla Lugosi (ator em filmes como “Drácula” de 1931 e “O Filho de Frankenstein” de 1939), o ator norte-americano Jack Curtis (ator em filmes como “O Capitão Blood” de 1924 e “No Tempo das Diligências” de 1939), o cantor alagoano Augusto Calheiros (autor de músicas como “Flor do Mato” de 1933) e o ex-goleiro chileno Cesar Espinoza (defendeu a Seleção Chilena na Copa de 1930). O Brasil dançava ao som de músicas como “Conceição” com Cauby Peixoto, “Iracema” com Demônios da Garoa, “O Canto da Ema” com Jackson do Pandeiro, “Vermelho 27” com Nélson Gonçalves, “Para que Recordar” com Alcides Gerardi e “O Cheiro da Carolina” com Luiz Gonzaga.
Nota de destaque do Jornal do Commercio daquele dia
Sob a idealização de Rubem Moreira, então presidente da Federação pernambucana de Futebol (FPF), foi realizado no começo do ano de 1956, o Torneio Bahia-Pernambuco, do qual, participariam as quatro melhores equipes de cada estado. O América, quarto colocado no campeonato pernambucano de 1955, via o torneio como uma boa oportunidade de ser campeão de um torneio a nível interestadual contando com as duas federações mais fortes do Nordeste. O rubro-negro baiano foi o campeão estadual de 1955 derrotando o seu grande rival, o Esporte Clube Bahia, e possuía uma equipe mesclada entre os grandes atletas da Bahia com grandes figuras do futebol carioca. O torneio foi disputado em turno único, todos contra todos e ao campeão seria ofertado o Troféu Lóide Aéreo em homenagem a empresa de aviação comercial que também incentivou a realização da disputa entre os dois estados.
 
Ilustração de América x Vitória da Bahia no Estádio dos Aflitos em 22 de
janeiro de 1956 pelo Torneio Bahia-Pernambuco
Os americanos haviam estreado com uma derrota para o Santa Cruz por 2x1, enquanto que, o Esporte Clube Vitória havia perdido por 3x2 em Salvador Para o Sport Recife. O Náutico havia vencido os baianos do Galícia por 4x1 e por fim, o confronto baiano entre Bahia e Botafogo/BA terminou com vitória dos tricolores por 2x1. A segunda rodada aconteceu no dia 22 de janeiro de 1956 e foi aberta no Estádio dos Aflitos com o jogo América x Vitória/BA, que seria a preliminar do clássico Sport x Santa Cruz que ocorreria logo em seguida. No complemento da rodada o Botafogo/BA receberia o Náutico em Salvador e o Bahia faria o confronto baiano contra o Galícia. Com a arbitragem do Sr. Carlos Pratts da Federação Baiana de Futebol (FBF), auxiliado por Vicente Lobão e Heitor de Oliveira nas bandeirinhas, começou nos Aflitos América x Vitória/BA. No início, poucas oportunidades de gol surgiram em ambos os lados, o que deixou a partida monótona em algumas ocasiões. Aos 15 minutos o América atacou com Gilberto, que recebeu passe de Rosael e chutou por cima do goleiro Naldinho do Vitória.
 
O lance do gol do América. Dimas bate o pênalti e a bola morre no fundo do
gol (canto esquerdo) defendido por Naldinho que quase não saía na foto
Os baianos responderam aos 25 minutos quando Eloy lançou Eraldo pela direita, que fez cruzamento rasteiro para Joãozinho chutando a pelota nas mãos do lendário goleiro Leça. Aos 40 minutos veio a real oportunidade de gol para os pernambucanos, quando Moacir tocou a bola para Zezinho, que dentro da área foi derrubado pelo zagueiro baiano Walvir. O árbitro Carlos Pratts atento ao lance não teve dúvidas. Pênalti para o América. Na cobrança do atacante Dimas, ele chutou rasteiro no canto esquerdo do goleiro adversário, que não teve tempo hábil para pular em direção à bola, que balançou as redes dos Aflitos. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 1X0 VITÓRIA/BA no Eládio de Barros Carvalho e festa geral da torcida pernambucana. Sem mais situações perigosas de gol, terminou o primeiro tempo da partida.
Jornal destaca como o América desbancou o campeão baiano
Com o placar lhe desfavorecendo, o Vitória resolveu realizar três alterações, que foram as entradas de Agnaldo no meio campo no lugar de Jaminho, e de Alaor e Fiúza nos lugares de Aducci e Eraldo, respectivamente, ambos no ataque. As alterações fizeram o leão baiano melhorar e aos 20 minutos Fiúza se livrou da marcação alviverde e tocou para Vermelho, que chutou forte e fez Leça se esticar para evitar o gol de empate. Aos 30 minutos foi a vez de Alaor cabecear para fora uma bola cruzada por Fiúza assustando a torcida do América. Animados pelo público, o América atacou com Claudionor, que tocou a bola para Zezinho, que num forte arremate, forçou o goleiro Naldinho a se esforçar para evitar o segundo gol.
 
Jornal do Commercio de 24/01/1956 relata a vitória
do clube pernambucano sobre o Vitória da Bahia
Poucos minutos antes do final, Rubinho do América livre de marcação dentro da grande área tocou na saída do goleiro baiano e a bola foi mansamente em direção ao gol, entretanto, o atleta Eloy do Vitória, se jogou na bola e deitado tirou a bola de dentro do gol com a mão. O bandeira Vicente Lobão assinalou o gol, mas, Heitor de Oliveira em concordância com o árbitro Carlos Pratts alegou que nada irregular aconteceu e ignorou a reclamação dos pernambucanos. Sem mais jogadas de destaque, terminou a partida com vitória do América, que agora se prepararia para viajar a Salvador, onde enfrentaria o time do Bahia. A rodada foi encerrada com a vitória do Sport sobre o Santa Cruz por 2x1, a vitória do Botafogo de Salvador por 4x2 em cima do Náutico e a vitória do Bahia por 3x1 sobre o Galícia. As equipes de América x Vitória estavam escaladas em campo da seguinte forma:
AMÉRICA:
Leça;
Geroldo e Cido;
Claudionor, Rosael e Mourão;
Zezinho, Rubinho, Dimas, Moacir e Gilberto.
VITÓRIA:
Nadinho;
Walvir e Hélio;
Pinguela, Eloy e Jaminho;
Eraldo, Alencar, Aducci, Vermelho e Joãozinho.
 

0 comentários:

Postar um comentário