segunda-feira, 8 de setembro de 2014

MEMÓRIAS ESMERALDINAS: Náutico 1x1 América em junho de 1969

Diário de Pernambuco de 21 de junho de 1969
Nasciam em 1969 a atriz norte-americana Jennifer Aniston (atriz nos filmes “Todo Poderoso” de 2003 e “Quero Matar Meu Chefe” de 2011), o ator Marcos Pasquim (ator na novela “Mandacaru” de 1997 e no filme “De Pernas pro Ar” de 2010), o ex-jogador argentino Gabriel Batistuta (campeão italiano em 2001 com a Roma e da Copa América de 1993 com a Seleção Argentina), o ex-jogador dinamarquês Brian Laudrup (campeão da Eurocopa de 1992 com a Seleção Dinamarquesa), o ex-zagueiro Lúcio Surubim (campeão pernambucano de 1989 com o Náutico), o ex-zagueiro Quinho (campeão pernambucano de 1993 com o Santa Cruz) e o também ex-zagueiro Edinan (campeão pernambucano de 1996 com o Sport). Faleciam o ator norte-americano Robert Taylor (ator nos filmes “Tesouro Enterrado” de 1935 e “Flor dos Trópicos” de 1939), o físico britânico Cecil Powell (vencedor do prêmio Nobel de física em 1950), o poeta Guilherme de Almeida (autor dos livros “A Dança das Horas” de 1919 e “O Anjo de Sal” de 1951), o guerrilheiro Carlos Marighella (ícone da resistência brasileira contra a ditadura militar) e o ex-presidente Costa e Silva (governou entre 1967 e 1969). O brasileiro dançava ao som de “As Flores do Jardim da Nossa Casa” com Roberto Carlos, “Levanta a Cabeça” com Osvaldo Nunes, “Sentinela” com Milton Nascimento e “Enquanto Eu Chorava, Você Ria” com Reginaldo Rossi.

Nota do Diário de Pernambuco de 21/06/1969 sobre o América
A quinta rodada do segundo turno do campeonato pernambucano de futebol foi aberta num sábado, 21 de junho de 1969 com a partida entre América e Náutico, o então hexacampeão pernambucano e dono de uma hegemonia até hoje nunca alcançada. Os americanos, que vinham de derrota para o Central em Caruaru, apareciam na quinta colocação com dois pontos ganhos, enquanto que os alvirrubros, que vinham de empate com o Sport na Ilha do Retiro, surgiam na terceira colocação com cinco pontos ganhos e necessitando da vitória para sonhar com um heptacampeonato, uma vez que, o primeiro turno já havia sido conquistado pelos rubro-negros da Praça da Bandeira. No domingo o Central receberia o Santo Amaro em Caruaru e o Sport faria o Clássico das Multidões contra o Santa Cruz. No Náutico, o treinador Paulinho buscando uma melhor performance do ataque, optaria pelas entradas de Elói, Nino e Lala, enquanto que, no América o treinador argentino Dante Bianchi teria dois desfalques para o clássico. Os atletas Ubirajara e Paulinho, ambos contundidos, não fariam parte do elenco titular e em seus lugares entrariam Dodó e Geraldo. Por fim, os jogadores alviverdes entrariam em regime de concentração na noite de sexta-feira no casarão da Estrada do Arraial após treino coletivo realizado no campo do Iolanda em Afogados, no qual, os titulares venceram os reservas por um gol a zero, gol de Geraldo.

Os alvirrubros Gena, Valter, Fraga e Limeira estavam confirmados
Um pouco mais cedo América e Náutico se enfrentaram pela categoria de aspirantes e o resultado deste confronto foi o empate com dois gols para cada lado, sendo o América formado com Santana no gol, Henrique, Ivan, Edson II e Brivaldo na defesa, Ideltônio e Draílton no meio campo, Miza, Edson I, Eduardo e Roberto no ataque e Zuca como treinador. Com a arbitragem do Sr. Sena Muniz a bola rolou para o Clássico da Técnica e da Disciplina em sua categoria de profissionais de forma equilibrada. Com 5 minutos o Náutico atacou com Rafael, que tocou para o rápido Nino e este chutou pelo lado de fora. Aos 10 minutos o América teve sua primeira boa chance através do meio-campista Marivaldo, que cruzou a bola rasteira para China e este chutou de fora da área para uma grande defesa do goleiro alvirrubro Valter.

Ilustração de América x Náutico no Estádio dos Aflitos em 21 de junho de
1969 pelo campeonato pernambucano
O América teve aos 20 minutos mais uma boa chance quando Geraldo tocou a bola para o talentoso Manuelzinho, que driblou o zagueiro Fraga do Náutico, antes de tocar por cima da meta. Os garotos de Rosa e Silva aos 25 minutos tramaram um belo ataque que começou com o lateral Gena, que cruzou a bola na cabeça de Elói, porém, o goleiro Jagunço agarrou a bola com firmeza. Aos 30 minutos, o lateral alviverde Necão resolveu chutar ao gol e depois da rebatida do defensor Limeira, China acertou um balaço, todavia, Valter jogou para escanteio. O time de Casa Amarela estava melhor em campo e com 35 minutos de bola rolando nos Aflitos, o lateral Jaminho tocou para Marivaldo, que avançou em velocidade antes de tocar para Toinho I e desvencilhando-se da marcação de Edson, chutou para abrir o placar da partida. É GOL DO AMÉRICA! NÁUTICO 0X1 AMÉRICA e festa na casa adversária. O Náutico foi para cima e cinco minutos antes do término do primeiro tempo, o zagueiro Fraga lançou Lala, que chutou forte para ótima defesa de Jagunço e a primeira etapa findou com os esmeraldinos em vantagem.

Diário de Pernambuco de 22 de junho de 1969
Veio o segundo tempo e precisando reverter o resultado, o treinador alvirrubro Paulinho mexeu na equipe e tirou os atacantes Elói e Lala e providenciou as entradas de Bita e Ramos. O time timbu foi para o ataque e aos 5 minutos, Gena cruzou para Nino, que de frente para o gol chutou por cima de Jagunço. Aos 15 minutos nova jogada alvirrubra, desta vez, com Nilsinho avançando em velocidade pela esquerda até tocar a pelota para Bita, que driblou Dodó do América e chutou no canto, porém, Jagunço pulou certo e impediu o empate com bastante trabalho. Num contrataque bem organizado pelo América aos 20 minutos o atacante China cedeu a bola para Geraldo, que disparou um forte chute para uma ótima defesa de Valter. Na pressão, o Náutico conseguiu o empate aos 30 minutos numa jogada iniciada com o meio-campista Nilsinho que avançou e deu bom passe para Toninho encher o pé para alterar o placar. NÁUTICO 1X1 AMÉRICA. Para acordar o time do América, o técnico Dante Bianchi resolveu colocar no ataque Batista no lugar de Manuelzinho e no meio campo Edinho no lugar de Marivaldo, que foi para o ataque na posição de China, que foi sacado. O desempenho melhorou e aos 35 minutos, o meia Toinho II lançou Marivaldo que de fora da área chutou perto das traves de Valter. Faltando poucos minutos para o fim, o Náutico perdeu uma grande chance com Bita, que após receber bom cruzamento de Rafael, chutou em cima de Jagunço que agarrou a bola sem dar rebote. Fim de jogo nos Aflitos e a partida terminou empatada com um gol para cada lado. A renda da partida foi de 6.675 cruzeiros novos para um público de 2.229 torcedores e os atletas foras os seguintes:

AMÉRICA:
Jagunço;
Jaminho, Fernando, Dodó e Necão;
Toinho II e Marivaldo;
Manuelzinho, Toinho I, China e Geraldo.

NÁUTICO:
Valter;
Gena, Limeira, Fraga e Edson;
Rafael e Nilsinho;
Elói, Toninho, Nino e Lala. 

Um comentário:

  1. Eita time arretado, sou amigo de um dos jogadores que fizeram historia nesse time, trata-se de Zé Miruca ponta direita que estava machucado e não participou da final.Ele costuma recordar dos momentos em que estava concentrado na sede, que escutava o som das festas no morro doido pra fugir e ir pra farra...

    ResponderExcluir