domingo, 5 de outubro de 2014

MEMÓRIAS ESMERALDINAS: América 2x1 Ferroviário (CE) em julho de 1945

Nasciam a atriz norte-americana Adrienne Barbeau (atriz nos filmes “Fuga de Nova York” de 1981 e “De Volta às Aulas” de 1986), a atriz Ana Lúcia Torre (atriz nos filmes “Através da Janela” de 2000 e “Primo Basílio” de 2007), o ex-jogador pernambucano Alberi (campeão potiguar com o ABC em 1983), o ex-jogador Alcindo (Campeão paulista de 1973 com o Santos) e o ex-jogador belga Frans Janssens (defendeu a Seleção Belga na Copa de 1970). Faleciam o químico alemão Hans Fischer (vencedor do prêmio Nobel de Química em 1930), o cineasta britânico Sinclair Hill (diretor dos filmes “Greek Street” de 1930 e “Take a Chance” de 1937) e a atriz russa Alla Nazimova (atriz nos filmes “A Garota” de 1931 e “Desde que Partiste” de 1944). Alguns sucessos musicais foram “Ao Cair de uma Estrela” com Léo Albano e “Pela Luz Divina” com Ataúlfo Alves.

Ilustração de América x Ferroviário (CE) no Estádio Presidente Vargas em
Fortaleza no dia 18 de julho de 1945 em excursão aos estados do Nordeste.
Em excursão pelo estado do Ceará, o América do Recife enfrentaria três dias depois da brilhante vitória contra o Fortaleza Esporte Clube no Estádio Presidente Vargas na capital cearense, o Ferroviário Atlético Clube (terceiro colocado no campeonato cearense de 1944 e que vinha liderando o certame de 1945). Um dia antes do confronto contra o Tricolor da Barra, que tinha como um de seus grandes destaque o atleta Chinês, campeão pernambucano com o Tramways em 1937, os atletas esmeraldinos deixaram o Fortaleza Hotel as sete da amanhã, com destino às areias da Praia de Iracema, local onde houve um treino individual sob os olhares do massagista Moacir Machado e do presidente Anésio Silva. Poucos minutos antes do início da partida, o público ainda não era um dos melhores, muito em virtude das torrenciais chuvas que caíram na Região Metropolitana de Fortaleza no dia 18 de julho de 1945, dia do amistoso Ferroviário (CE) x América (PE), duelo este, em que o treinador alviverde Álvaro Barbosa não poderia contar com o zagueiro Deusdedith, que ainda não havia se recuperado da lesão no braço, entrando Barbosa em seu lugar.

Após o apito inicial dado pelo Sr. Rolinha, árbitro da partida, a bola rolou no gramado encharcado do Estádio PV e o América foi quem teve a primeira grande oportunidade de abrir o marcador, quando o meia Rubens aos 3 minutos ganhou em velocidade do tricolor Chinês e fez ótimo lançamento para o atacante Oséas, que chutou por cima do arco defendido pelo goleiro Zé Dias. Nitidamente superior em campo, os pernambucanos voltaram a atacar, mas, desta vez com o atleta Djalma, que cruzou a bola pela esquerda aos 14 minutos nos pés de Edgar, para este chutar forte e forçar Zé Dias a intervir com dificuldade, salvando o clube tricolor da Barra.

Diário de Pernambuco de 19 de julho de 1945 informando sobre mais
uma vitória do América em sua excursão ao Ceará.
Tentando tomar as rédeas da partida, o Ferroviário avançou aos 20 minutos com o meia Bombeiro fazendo longo lançamento para o atacante Aracati, que driblou o zagueiro Galego e chutou no canto direito de Leça, para este fazer a sua primeira grande defesa do dia. O melhor futebol apresentado pelos recifenses deu resultado aos 27 minutos, quando Julinho entregou a bola para Zezinho, que passou pelo zagueiro Caranguejo e soltou o petardo para inaugurar o placar do Presidente Vargas. É GOL DO AMÉRICA! FERROVIÁRIO (CE) 0X1 AMÉRICA. Aproveitando a desorganização do adversário em campo, o América voltou a subir ao ataque aos 30 minutos com Edgar entregando a bola para Djalma, que passou por Benedito e soltou o míssil no canto baixo de Zé Dias, que nada pôde fazer. É GOL DO AMÉRICA! FERROVIÁRIO (CE) 0X2 AMÉRICA em pleno Estádio Presidente Vargas em Fortaleza. Faltando três minutos para o encerramento do primeiro tempo, os tricolores cearenses tentaram descontar a vantagem pernambucana no passe de Pipi para Duó, que chutou com perigo à direita do gol defendido por Leça.

No intervalo, os cearenses fizeram todas as alterações possíveis e entraram em campo o goleiro Alderi no lugar do titular Zé Dias, Pedro no lugar de Bandoca no meio campo, e Jombrega e Estênio nos lugares de Toinho e Aracati no setor ofensivo. As alterações deram resultado, melhorando o Ferroviário a ponto se encurralar o América, que voltou com Janjoca no lugar de Julinho, em seu campo defensivo em grande parte do segundo tempo. Aos 2 minutos surgiu uma boa jogada dos pés de Bombeiro, que cruzou a bola no peito de Estênio e este chutou colocado, porém, Leça saltou com categoria para evitar o gol cearense. O “Peixe da Barra” teve nova chance de diminuir a vantagem do adversário aos 10 minutos, quando o atleta Chinês (ex-Tramways do Recife) chutou em cima do zagueiro Barbosa e no rebote, Charuto soltou a bomba de longe, para mais uma grande defesa de Leça. Aproveitando um contrataque, o América foi ao ataque com Capuco aos 18 minutos, que passou a pelota para o atacante Janjoca e este bateu por cima do goleiro Alderi do Ferroviário.

Nota de destaque do Diário de Pernambuco de 19/07/1945
Os corais cearenses insistiram aos 26 minutos numa jogada do atleta Pipi, que ao entrar na grande área foi derrubado pelo zagueiro Galego e o árbitro Sr. Rolinha não teve dúvida. Pipi caiu na área e Rolinha marcou pênalti. O cearense Jombrega bateu e anotou o gol do clube do bairro da Barra. FERROVIÁRIO (CE) 1X2 AMÉRICA e festa da torcida local. O Ferroviário do Ceará teve a chance de empatar a partida aos 33 minutos, quando Charuto entregou a bola para Duó e este tocou no canto superior e mais uma vez, Leça salvou os pernambucanos. Aos 43 minutos, o América avançou com Pedrinho entregando o balão de couro para Oséas, mas na hora do chute final, Caranguejo chegou “rasgando” e afastou o perigo contra os fortalezenses. A renda da partida chegou aos 10 mil cruzeiros e cada jogador recebeu um prêmio de 200 cruzeiros pelo bom desempenho em campo. Os pernambucanos fariam mais um amistoso em Fortaleza durante o aguardo pelo Navio Itapé, que levaria a delegação verde e branca para o Maranhão, onde continuaria a sua sequencia de amistosos interestaduais.


AMÉRICA:
Leça; 
Barbosa e Galego; 
Pedrinho, Capuco e Rubens; 
Zezinho, Julinho, Djalma, Edgar e Oséas.


FERROVIÁRIO/CE
Zé Dias; 
Caranguejo e Benedito; 
Bombeiro, Chinês e Bandoca; 
Toinho, Aracati, Charuto, Duó e Pipi. 

0 comentários:

Postar um comentário