quinta-feira, 23 de outubro de 2014

MEMÓRIAS ESMERALDINAS: América 3x1 Equador em julho de 1922

Nasceram o ex-jogador boliviano Vicente Arraya (defendeu a Seleção Boliviana na Copa de 1950), a atriz norte-americana Eleanor Parker (atriz nos filmes “A Fera do Forte Bravo” de 1953 e “O Homem do Braço de Ouro” de 1955), a atriz norte-americana Barbara Hale (atriz nos filmes “Aeroporto” de 1970 e “A Invasão das Aranhas Gigantes” de 1975), o ator Ênio Santos (ator nos filmes “Nunca Fomos Tão Felizes” de 1984 e “Copacabana Me Engana” de 1968), o físico russo Nicolay Basov (vencedor do prêmio Nobel de Química de 1964) e o físico dinamarquês Aage Niels Bohr (vencedor do prêmio Nobel de Física de 1975). Faleceram o ator britânico Teddy Arundell (ator nos filmes “The Four Just Men” de 1921 e “The Tavern Knight” de 1920) e o ator norte-americano William Miller (ator nos filmes “Pirate Gold” de 1913 e “The New Dress” de 1911). Alguns sucessos musicais foram “Espingarda” com Os Turunas e “Sai da Raia” com Sinhô.

O campeonato estadual de 1922 foi disputado por oito equipes em sistema de pontos corridos e em turno único. A quarta rodada do certame foi aberta no dia 23 de julho, com o grande e esperado confronto entre os alviverdes do América Futebol Clube e os auriverdes do Equador Futebol Clube do Recife no saudoso Estádio da Jaqueira. A rodada teria sua continuação nos dois fins de semanas seguintes com os confrontos Sport x Torre, Peres x Flamengo e Náutico x Santa Cruz, sendo que, o América, que vinha de vitória por dois a um contra o Náutico, dividia a liderança junto com o Santa Cruz, ambos com seis pontos ganhos, enquanto que, o Equador, que vinha de derrota para o Santa Cruz por um a zero, dividia a última colocação com o Centro Sportivo do Peres, ambos sem pontuar ainda no campeonato. Pela manhã, os terceiros quadros de América e Equador empataram com um gol para cada lado, sob a arbitragem do Sr. José Carneiro e às 14h20, foi a vez dos segundos quadros pisarem no gramado verde da Jaqueira e sob a arbitragem do Sr. Eugênio Silva, o clube verde e branco venceu pelo placar de dois gols a zero.

Ilustração de América x Equador no Estádio da Jaqueira em 23 de julho de
1922 pelo campeonato pernambucano de futebol.
Às 16h, as equipes principais vieram para o gramado, sendo então, prestigiadas por um grande público e com o Sr. Gastão Bittencourt no apito, a bola finalmente rolou para América e Equador. O apito inicial do árbitro foi seguido imediatamente por um belo passe de Licor para Zé Tasso no ataque do América e quando este atleta já se preparava para arrematar a bola para o gol, eis que surge a figura do zagueiro Pinheiro do Equador, que derrubou Zé Tasso na grande área e o árbitro atento ao lance, ocorrido com um minuto de bola rolando, marcou o pênalti para o América. Zé Tasso cobrou no canto esquerdo do goleiro Nô para abrir o marcador no Estádio da Jaqueira. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 1X0 EQUADOR. Talvez, tomados pela euforia da abertura do placar na primeira chance da partida, os defensores americanos não tenham se entendido e aos 5 minutos, o meio-campista Alves do Equador tocou a bola para o atacante Fraga do clube verde e amarelo e após passar por Cunha Lima e Rômulo, bateu no canto direito do guarda-meta Nozinho, que nada pôde fazer. AMÉRICA 1X1 EQUADOR e tudo igual no marcador. O ritmo da partida era eletrizante, com as duas equipes se empenhando ao máximo para ficar à frente de seu oponente, mas, foi o América que aos 10 minutos partiu para cima dos equatorianos  com o atleta Faustino, que avançou desde o meio campo e logo após passar pelo zagueiro Souto, cruzou a bola de forma rasteira nos pés de Zé Tasso, que a dominou e bateu sem chances para estufar mais uma vez as redes do goleiro Nô dos auriverdes. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 2X1 EQUADOR e festa da torcida esmeraldina.


Os equatorianos de Recife somente reagiram aos 21 minutos, quando o atleta Izídio cruzou a bola para João Dantas, mas este teve seu chute desviado pelo zagueiro Cunha Lima do América de forma parcial e no rebote, Jesus chutou forte, entretanto, a pelota passou por cima das traves, assustando o goleiro Nozinho. O clube auriverde queria o empate e quase conseguiu aos 34 minutos por meio da jogada de Santos, que encontrou o companheiro Ferreira livre de marcação dentro da grande área e lhe cedeu a bola, todavia, o chute de Ferreira foi interceptado por Nozinho no centro do gol. No último lance do primeiro tempo, o América subiu ao ataque com o atleta Zé Tasso, que enxergou o atacante Jujú livre de marcação e lhe tocou a bola para este, desferir um potente chute rasteiro no canto baixo do arqueiro adversário e ampliar a vantagem dos esmeraldinos. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 3X1 EQUADOR e final da primeira etapa.

Nota do Jornal Pequeno de 24 de julho de 1922
As duas equipes não modificaram seus elencos titulares para o segundo tempo e nele, quem teve a primeira boa chance de gol foi o Equador, que aproveitou um erro do alviverde Fabinho, para avançar por meio de Jesus e tocar para Fraga, que chutou forte e no canto, contudo, Nozinho saltou para desviar o torpedo para escanteio. Querendo mostrar que não iria apenas aceitar a pressão do Equador, o América subiu ao ataque com o meia Lindolfo aos 14 minutos e ele cruzou a bola na cabeça do atleta Meirinha, que por ter sido atrapalhado por Raphael do Equador, acabou errando o cabeceio. Aos 20 minutos, foi veio a oportunidade de Araújo aumentar a vantagem, depois de ter recebido belo passe de Jujú, e fora da área, ele mandou o míssil no canto de Nô, que se esticou como pôde e evitou o quarto gol americano. Como uma derrota significaria para o Equador, sua retirada da briga pelo título, os verde-amarelos investiram com Ízídio aos 36 minutos e este passou o balão de couro para Ferreira, que acabou chutando por fora. 

A última chance equatoriana de diminuir o placar ocorreu aos 41 minutos por meio do atleta João Dantas, que de fora da área, fez a bola raspar o travessão de Nozinho, que só ficou a observar. Pouco antes do árbitro Gastão Bittencourt apitar o final de jogo, o América subiu ao ataque em busca do quarto gol com a corrida do meia Licor, que entregou a bola para Zé Tasso chutar para mais uma grande defesa do goleiro Nô. A rodada foi completada com a vitória do Sport sobre o Torre por um a zero, do Peres sobre o Flamengo por dois a um e do Náutico por três a um contra o Santa Cruz.

AMÉRICA
Nozinho; 
Rômulo e Cunha Lima; 
Lindolfo, Licor e Faustino; 
Meirinha, Fabinho, Zé Tasso, Jujú e Araújo.


EQUADOR
Nô; 
Souto e Pinheiro; 
Alves, Raphael e Izídio;
Santos, Ferreira, João Dantas, Fraga e Jesus.

0 comentários:

Postar um comentário