quinta-feira, 30 de outubro de 2014

MEMÓRIAS ESMERALDINAS: América 4x2 Santa Cruz em julho de 1945

Nasciam o músico britânico John McVie (baixista da banda de rock Fleetwood Mac), o ator norte-americano Everett McGill (ator nos filmes “A Hora do Lobisomem” de 1985 e “007 – Permissão Para Matar” de 1989) e a atriz norte-americana Marta Kristen (atriz nos filmes “Folias na Praia” de 1965 e “Na Trilha dos Apaches” de 1963). Faleciam a atriz britânica Annie Esmond (atriz nos filmes “The Yellow Claw” de 1921 e “Save a Little Sunshine” de 1938) e o ator britânico Fred Rains (ator nos filmes “Névoa no Vale” de 1923 e “Chick” de 1936). Alguns sucessos musicais foram “Não Diga a Minha Residência” com Carlos Galhardo, “Haja Carnaval ou Não” com Francisco Alves e “Fica Doido Varrido” com Silvio Caldas.

Mais uma edição do tradicional clássico da amizade entre América e Santa Cruz foi realizada pelo campeonato pernambucano de futebol e esta em especial, ocorreu no dia 01 de julho de 1945 no Estádio dos Aflitos. A partida foi válida pelo turno eliminatório do campeonato, no qual, as duas equipe últimas colocadas não prosseguiriam no certame e o América, que faria sua última partida no turno eliminatório, era o vice-líder com seis pontos, dois a menos que o líder Sport, enquanto que, o Santa Cruz, que ainda faria um clássico contra o Náutico, estava na terceira colocação com cinco pontos ganhos. Ambos já estavam classificados para a disputa do primeiro turno e a expectativa era de boa presença de público, uma vez que, o Santa Cruz vinha de uma grande vitória por cinco a zero contra o Flamengo e o América vinha de um duro empate por três a três contra o time dos trabalhadores da empresa ferroviária Great Western.

O clássico da amizade foi a preliminar da partida Náutico x Flamengo do Recife que se realizaria um pouco mais tarde e na hora correta o árbitro, o Sr. Argemiro Felix (Sherlock) chamou as agremiações para o gramado, com a finalidade de dar início à peleja. Quando a bola rolou no tapete verde dos Aflitos, foi o América quem partiu para cima logo no começo e aos 5 minutos de bola rolando, o meio-campista Astrogildo fez um ótimo lançamento para o atacante Valdeque e este chutou no canto indefensável do arqueiro Estênio do tricolor. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 1X0 SANTA CRUZ.

Ilustração de América x Santa Cruz no Estádio dos Aflitos pelo
campeonato pernambucano em 1 de julho de 1945.
Atrás no marcador, os corais tentaram reagir e perderam uma grande chance de empatar, quando o atleta Procópio cruzou a bola na grande área para o atacante Edinaldo, que a dominou, ajeitou para o pé direito e aos 12 minutos mandou forte por cima do goleiro Leça do América. O torcedor percebia que os alviverdes da Estrada do Arraial tinham uma melhor desenvoltura nas quatro linhas e aos 20 minutos o atacante Elói driblou o zagueiro Sidinho do Santa Cruz e tocou para trás nos pés de Valdeque, que fez o giro de corpo e tocou rasteiro no canto de Estênio para ampliar a vantagem no Eládio de Barros Carvalho. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 2X0 SANTA CRUZ. Os torcedores e simpatizantes mais pessimistas do clube das três cores, já supunham que viria uma goleada, entretanto, num eficaz ataque armado pelo atacante Toinho, que pegou a bola no meio campo e entrou pela defesa esmeraldina, lançou a pelota nos pés do companheiro Roldan, que ganhou na corrida do zagueiro Deusdedith do América e chutou no canto de Leça para diminuir a vantagem. AMÉRICA 2X1 SANTA CRUZ.


Jornal Pequeno de 3 de julho de 1945.
Os americanos tentaram levar o resultado de vitória para o intervalo, mas, um vacilo de Pedrinho no meio campo, gerou um contrataque puxado com rapidez pelo atleta Amauri aos 34 minutos e este tocou a bola para o atacante Guaberinha, sobrevivente da fatídica excursão tricolor à Belém do Pará, e ele chutou forte para empatar a partida. AMÉRICA 2X2 SANTA CRUZ e tudo igual de novo nos Aflitos. O clássico estava eletrizante e aos 40 minutos, o atleta Oséas tocou para o alviverde Zezinho, que ganhou em velocidade de Pedrinho do Santa Cruz e tocou no meio da zaga adversária para Edgard, que puxou para o pé esquerdo e mandou na rede do goleiro Estênio. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 3X2 SANTA CRUZ e assim terminou o primeiro tempo de jogo. Os grupos de jogadores para o segundo tempo foram os mesmos da etapa inicial, todavia, não houve o mesmo brilhantismo de ambas as equipes, o que tornou a partida eletrizante. O América tomou conta do jogo e aos 8 minutos, o atleta Capuco recebeu a bola de Galego e cruzou na área grande para Elói, que passou pelo tricolor Rubinho e chutou para uma excepcional defesa do goleiro Estênio. Com 13 minutos de bola rolando, o Santa Cruz tentou o empate numa jogada começada pelo meia Rui, que serviu a Edinaldo  e este em velocidade, passou por Galego do América e chutou no canto de Leça, que defendeu com bastante categoria. Os tricolores caíram de produção e os esmeraldinos subiam ao ataque com facilidade e numa destas descidas, o meia Astrogildo correu até a linha de fundo aos 27 minutos e cruzou a bola nos pés de Edgard, que se livrou da marcação de Sidinho e chutou por cima das traves defendidas pelo goleiro do time do Arruda. A pressão americana era grande e aos 32 minutos, o atleta Valdeque se livrou da marcação de Rui e levantou a bola para a pequena área e Zezinho, numa cabeça fulminante, marcou o quarto gol dos alviverdes, então campeões pernambucanos. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 4X2 SANTA CRUZ.

Nota do Jornal Pequeno de 3 de julho de 1945.
Os corais tentaram diminuir a vantagem aos 39 minutos, quando Toinho avançou e tocou a bola para Guaberinha, que passou por Pedrinho e chutou para fora, raspando a trave do goleiro Leça. A vantagem podia ter sido ampliada se o atleta Oséas não tivesse, aos 44 minutos, chutado por cima de Estênio, uma ótima bola que lhe foi dada livre de marcação, pelo meio-campista Capuco. Fim de jogo nos Aflitos e o América saiu vencedor em mais um clássico, partida esta que somou uma renda de 5.554 cruzeiros. Na partida principal, o Náutico derrotou o Flamengo do Recife por vinte e um a três, a maior goleada da história do campeonato.

AMÉRICA:
Leça; 
Deusdedith e Galego; 
Pedrinho, Capuco e Astrogildo; 
Zezinho, Valdeque, Elói, Edgard e Oséas.

SANTA CRUZ
Estênio; 
Sidinho e Pedrinho; 
Rubinho, Procópio e Rui; 
Toinho, Amauri, Guaberinha, Roldan e Edinaldo.


0 comentários:

Postar um comentário