terça-feira, 18 de novembro de 2014

MEMÓRIAS ESMERALDINAS: América 1x0 CSA de Alagoas em dezembro de 1972

Nasciam o ator britânico Jude Law (ator nos filmes “A Invenção de Hugo Cabret” de 2011 e “Terapia de Risco” de 2013), a atriz norte-americana Cameron Diaz (atriz nos filmes “A Caixa” de 2009 e “Encontro Explosivo” de 2010), o ex-jogador alemão Christian Ziege (campeão da Copa da UEFA de 2006 com o Bayern de Munique/ALE e campeão da Eurocopa de 1996 com a Seleção Alemã), o ex-jogador português Rui Costa (campeão português de 1994 com o Benfica e campeão da Liga dos Campeões da UEFA de 2003 com o Milan/ITA) e o músico inglês Alex Kapranos (guitarrista da banda de rock Franz Ferdinand). Faleciam o cineasta norte-americano Hal Walker (diretor de filmes como “De Tanga e Sarongue” de 1952 e “O Filhinho do Papai” de 1951) e a física norte-americana Maria Goeppert-Mayer (vencedora do prêmio Nobel de Física em 1963). Alguns sucessos musicais foram “Bala com Bala” com Elis Regina, “Boêmio 72” com Nélson Gonçalves, “Casa e Comida” com Núbia Lafayette e “Nos Teus Braços” com Reginaldo Rossi.

O América em 1972 disputou o Campeonato Brasileiro da Série B e desempenhou um grande papel em sua primeira fase. O clube estava no grupo C e colheu resultados bastante expressivos, como a vitória em cima do CSA de Alagoas em 23 de setembro, a vitória em cima do Alecrim em Natal/RN no dia 10 de outubro, a vitória contra o Ferroviário do Recife no dia 21 e a vitória contra o Botafogo da Paraíba no dia 11 de novembro, sucessos estes, que fizeram o América terminar a primeira fase dividindo a liderança do grupo, com os mesmos dez pontos do Centro Sportivo Alagoano, entretanto, o clube azulino de Maceió tinha um melhor saldo de gols. O mais importante era que o clube esmeraldino, estava classificado para a disputa da segunda fase de um torneio nacional, fato que entusiasmou o torcedor mais apaixonado e o fez sonhar com conquistas ainda maiores. Na segunda fase, o América do Recife teria pela frente novamente o CSA de Maceió, além de ter como os outros adversários no quadrangular, o América de Natal e o Campinense da Paraíba. Infelizmente, o clube pernambucano não repetiu o mesmo desempenho de antes e perdeu os seus cinco primeiros jogos, o que fez com que a equipe chegasse a última rodada sem qualquer chance de classificação para a final. Esta última partida do América no ano de 1972, ocorreu no dia 13 de dezembro e teria como adversário o também já eliminado CSA de Maceió no Estádio dos Aflitos, sendo que, ambas as equipes chegaram a pedir a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o cancelamento do jogo, visando redução de custos, pedido este que não foi aceito pela respectiva entidade.

Naquela noite de quarta-feira no Estádio Eládio de Barros Carvalho nos Aflitos, o público que compareceu à partida foi muito pequeno, muito isso em virtude do fato de que poucas horas antes, não havia ainda a confirmação oficial de sua realização, além da eliminação prematura das duas agremiações. O desinteresse pela partia foi tão grande, que nem o juiz escalado para arbitrar o confronto apareceu. O Sr. Antônio Góis da Federação Sergipana de Futebol não compareceu ao Estádio dos Aflitos, cabendo ao bandeira Clayton Beltrão a  função de apitar a peleja, missão esta que aceitou sem delongas, porém, a partida só poderia ser iniciada com mais um bandeira em campo e como naquela época não existia a figura do árbitro reserva, o bandeira Hélio Ferreira chamou o radialista José Bezerra da Rádio Olinda 1030 AM, que após a permissão da chefia, desceu para a lateral do gramado para executar a tarefa que lhe foi entregue.

Ilustração de América x CSA de Alagoas pelo Campeonato Brasileiro de 1972
no Estádio dos Aflitos
Aos 2 minutos do primeiro tempo aconteceu a primeira boa chance de gol para o time americano e esta foi armada pelo meio do meio-campista Jaílson, que avançou em velocidade pelo meio da defesa alagoana e cedeu a bola para o atacante Sérgio e este após de livrar da marcação de Teco, chutou para uma grande defesa do goleiro Zé Luis. O jogo começou morno e aos 10 minutos, o atacante Otávio cruzou a bola pela esquerda nos pés do atleta Manuelzinho, que passou por Djair e bateu por cima da meta, assustando a pequeníssima torcida que se acomodava nos Aflitos. O Centro Sportivo Alagoano teve uma nova chance de abrir o marcador, quando aos 25 minutos o lateral Jaminho correu pelo lado esquerdo e cruzou bola rasteira nos pés de Beto, que bateu colocado no canto direito, forçando o arqueiro Paulo do América a executar uma grande defesa. Apesar de desclassificado, a vitória faria o América encerrar o campeonato com mais honra e nesta intenção foi que o atacante Sérgio aos 33 minutos bateu falta e a bola encontrou o atacante Everaldo, que bateu forte, todavia, longe do gol defendido por Zé Luis. Os alagoanos, aos 37 minutos, avançaram para o ataque como o atleta Teco correndo pelo lado direito até fazer um belo cruzamento para a entrada da grande área, local onde estava o atacante Giraldo, que se livrou de Ivan e bateu rasteiro, raspando a trava do goleiro Paulo. Aos 42 minutos foi a vez do América atacar e fez isto por intermédio do meia Duca, que entregou a bola na pequena área para o atleta Pedrinho e este desperdiçou uma grande oportunidade e desta forma, o primeiro tempo encerrou-se sem alterações no placar.


Nota do Diário de Pernambuco de 14 de dezembro de 1972. Para a mídia
era mais importante enaltecer vitória do outros do que do América. Use uma
lupa e veja no 2º parágrafo "América vence CSA".
Para o segundo tempo, o CSA de Alagoas voltou com Jairo no ataque no lugar de Beto e logo aos 5 minutos ele deu um grande passe de bola para o meia Batoré, que de primeira, bateu com força, contudo, por cima do travessão do goleiro Paulo. O clube da Estrada do Arraial apareceu apenas aos 12 minutos, momento em que, o jogador Pedrinho recebeu um ótimo passe de bola do lateral Duquinha, mas, o guarda-meta Zé Luis do CSA agigantou-se em sua frente e impediu a marcação do gol pernambucano. Seis minutos mais tarde o defensor Ivan do América falhou e Robledo de cara com o goleiro americano bateu em cima dele e Djair apareceu para afastar o perigo, fazendo o arqueiro Paulo cobrar mais atenção do setor defensivo. Aos 30 minutos, Duquinha entregou a bola para o atacante Geraldo, que correu livrando-se dos marcadores Gilvan e Bibiu e tocou forte e rasteiro no canto de Zé Luis para abrir o marcador nos Aflitos. É GOL DO AMÉRICA! AMÉRICA 1X0 CSA/AL. O Centro Sportivo Alagoano tentou o empate cinco minutos depois na jogada bem trabalhada do jogador Batoré, que se desvencilhou da marcação de Djair e bateu por cima da meta, sem muito perigo ao gol esmeraldino. 

O Periquito do bairro de Casa Amarela quase chegou ao segundo gol, quando o atleta Jaílson serviu Everaldo aos 43 minutos, mas na hora do arremate final, já quase na pequena área, o jogador Gilvan chutou para longe, impedindo a marcação do tento. Após o apito final do árbitro Clayton Beltrão e ao belo trabalho desempenhado pelo jornalista José Bezerra como bandeirinha, o América comemorou mais uma grande vitória, apesar do público de apenas 29 pagantes e uma renda de apenas 145 cruzeiros. No outro jogo do grupo, o Campinense derrotou o América de Natal em Campina Grande e se garantiu na decisão contra o Sampaio Corrêa do Maranhão, que tornou-se campeão após bater nos pênaltis o rubro-negro paraibano.

AMÉRICA
Paulo; 
Assis, Ivan, Djair e Duquinha; 
Duca e Jaílson; 
Everaldo, Geraldo, Pedrinho e Sérgio.

CSA DE MACEIÓ
Zé Luis; 
Teco, Bibiu, Gilvan e Jaminho; 
Robledo e Batoré; 
Manuelzinho, Giraldo, Otávio e Beto. 

0 comentários:

Postar um comentário