quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Empate com o Ypiranga



O jogo foi bom, movimentando e com muitas chances para os dois lados. Mas o resultado não foi nada bom para o América.

O primeiro tempo começou com Mauro dando trabalho ao goleiro alvi-azulino que fez uma grande defesa e impediu o primeiro gol Alviverde no comecinho do jogo. O Ypiranga respondeu com um chute perigoso. O América tinha mais posse de bola e buscava o gol, até que aos 11 minutos Carlinhos Bala fez grande lançamento para Deyzinho que dominou no peito, entrou na área e fuzilou a meta de Elias. Daí em diante o América controlou as investidas do time de Santa Cruz e quase chegou ao gol logo em seguida com Carlinhos Bala depois de bonita jogada de Felipe Almeida. Mas aos 35 minutos veio o empate do Ypiranga como consequência de uma falta mal marcada pela arbitragem. Willians chutou de fora da área e Gil levou um gol que não está acostumado a levar.

Veio o segundo tempo e o Ypiranga mostrava muito mais vontade. Humberto tirou Carioca e colocou Marcelinho, para tentar ter mais posse no meio, mas o resultado não foi como esperava. Mesmo assim, o América conseguia se defender bem e atacava com perigo. O segundo gol veio de cobrança de falta de Carlinhos Bala, que jogou a bola por cima da barreira fazendo quicar na frente do goleiro e Elias nada pode fazer. Mesmo com o segundo gol o Ypiranga continuou aceso na marcação, lutando e conseguindo espaços no meio. O empate veio faltando cinco minutos quando depois de uma boa jogada trabalhada Tiago Lima cabeceou sozinho sem marcação só para conferir o gol.

O jogo foi bom e bem disputado. O América criou várias oportunidades e poderia ter mudado o resultado, mas o Ypiranga também poderia ter construído um placar melhor. Motivado pela mudança de técnico e pela necessidade de sair da situação de lanterna o time de Santa Cruz se mostrou muito mais disposto e com vontade do que o América. Sozinho, Gabriel tomou conta do meio campo desarmando o ataque Alviverde e ainda ajudando na criação. Humberto dessa vez errou na substituição tirando Carioca, expôs o sistema defensivo e sobrecarregou principalmente Misso que joga improvisado.

A falta de vontade ficou evidente quando comparada à disposição do Ypiranga, não todos, mas claramente alguns jogadores foram bem menos combativos, principalmente no segundo tempo. Sem motivo aparente Jackson estava distante do atacante brigador e marcador que estamos acostumados e Marcelinho, sem cacoete para marcação acabava expondo a zaga que já não podia conta com o primeiro combate de Deyzinho, machucado, e Bala, cansado.

Agora uma pausa prolongada por causa do carnaval e a expectativa que Humberto conserte as falhas e voltemos prontos para escapar do rebaixamento de vez.

0 comentários:

Postar um comentário