sexta-feira, 20 de março de 2015

AMÉRICA'S OLD PLAYERS: O meia Otávio Souto

Otávio José Souto Pongelupe, mais conhecido pelo nome de Otávio Souto, foi um grande meio-campista da história do América do Recife. Otávio Souto é descendentes de italianos e holandeses e nasceu no dia 6 de dezembro de 1952 em São Paulo, filho de um homem paulista e uma mãe cearense.
Ingressou nos juvenis da Sociedade Esportiva Palmeiras com 15 anos em 1967 e começou sua carreira de jogador de futebol profissional aos 19 anos em 1971 na Associação Pontagrossense de Desportos de Ponta Grossa no Paraná, equipe resultado da fusão entre as duas principais equipes da cidade, que eram o Guarani e o tradicional Operário Ferroviário. O bom futebol apresentado na equipe paranaense (sétima colocada no campeonato paranaense de 1971), o fez ser contratado pelo Grêmio de Porto Alegre para a disputa das competições do ano de 1972. Vice-campeão gaúcho em 1972 e 10° colocado no Campeonato Brasileiro pelo Grêmio, Otávio Souto foi no ano seguinte jogar no Colorado Esporte Clube de Curitiba, mas, não chegou a jogar todo o campeonato paranaense (certame que o Colorado terminou em 4° lugar) e se mandou para Santa Catarina para defender as cores do Esporte Clube Internacional de Lajes. Ao final do campeonato catarinense, Otávio Souto foi contratado pelo Figueirense Futebol Clube de Florianópolis para a disputa do Campeonato Brasileiro e antes mesmo do seu término, despertou o interesse do Sport Club Corinthians Paulista, que o trouxe de volta a sua terra natal.
Otávio Souto com a camisa do Botafogo/PB em 1975.
Depois de um ano bastante agitado, passando por quatro clubes, o jogador desembarcou em Recife no ano de 1974 para se tornar um jogador de destaque no meio campo do América durante o campeonato pernambucano (ver Memórias Esmeraldinas do referido ano). Com Otávio Souto no meio campo, o América Futebol Clube de Recife-PE encerrou o estadual de 1974 na quinta colocação, atrás do trio de ferro e do surpreendente Ferroviário do Recife, que fez uma das melhores campanhas de sua história. No ano seguinte, o jogador foi adquirido pelo Botafogo Futebol Clube de João Pessoa para a disputa do campeonato paraibano e foi aí que o atleta virou pela primeira vez, ídolo maior de sua equipe, sendo peça importante para a conquista do título do segundo turno do estadual. O jogador caiu tanto nos gostos da torcida botafoguense, que ao final do ano, quando o Fortaleza enviou um emissário a João Pessoa para tratar uma possível transferência do atleta para terras cearenses, um enorme grupo de torcedores fizeram uma passeata até a casa do presidente do Botafogo com cartazes e pedindo a permanência do jogador no clube. O atleta tinha passe livre e queria jogar na cidade da sua mãe e desta forma, por 40 mil cruzeiros, o Fortaleza Esporte Clube levou o Otávio Souto para jogar no Pici.

Otávio Souto com a camisa do Fortaleza em 1977.


O problema foi entrar na vaga do meia Chinesinho, que era bastante estimado pela torcida do leão cearense. Com a saída do treinador Laerte Dória e a chegada de Urubatão, Otávio Souto ganhou chance de entrar no time titular, mas, na posição de zagueiro e agarrou esta oportunidade, vindo a ter tanto destaque, que foi convocado a defender a Seleção Cearense. Defendeu o Fortaleza até 1978 e nestes três anos, foi três vezes vice-campeão cearense. Em 1979 foi contratado pelo Esporte Clube Vitória de Salvador e lá, voltou a atuar como meio-campista até o ano de 1981. No rubro-negro baiano, conquistou dois vice-campeonatos baianos (em 1979 e 1981), um título de campeão baiano em 1980 e um 8° lugar no Brasileirão de 1979. Depois de três anos no Vitória da Bahia, Otávio Souto acertou com o América Futebol Clube de Natal-RN do treinador Erandir Montenegro e ajudou a equipe a conquistar o tricampeonato potiguar em 1981, voltando a atuar no setor defensivo. Em 1982, foi a vez de Otávio Souto vestir a camisa do Esporte Clube Bahia, do treinador Carlos Froner, clube em que conquistou o titulo de campeão baiano tanto em 1982, quanto em 1983. Otávio Souto hoje mora em Guarulhos, São Paulo e é taxista.

0 comentários:

Postar um comentário