quinta-feira, 19 de março de 2015

Fatos e reflexões sobre 2014-2015 IV



Agora é hora de falar sobre a escolha do técnico.

A temporada 2014-2015 foi marcada por algo inusitado e positivo. O América priorizou mudanças no elenco em detrimento de mudanças na comissão técnica. Foi feita apenas uma mudança, expressiva e significativa no contexto do campeonato, ao contrário do ano anterior, quando o América teve pelo menos três treinadores (principais!) diferentes e mais uma organização da comissão técnica um tanto confusa.

Nesse ano a escolha da comissão técnica foi feita de forma planejada. Maurílio foi escolhido o treinador da equipe e seu auxiliar assumiria as categorias de base. Mas a fórmula e o desempenho da comissão não agradou a diretoria e os torcedores. Embora Maurílio tenha uma bonita trajetória como jogador e tenha conseguido subir o Vitória em 2013, sua história como treinador em Pernambuco não é muito convincente. E a aposta inicial da diretoria se mostrou errada, assim como em 2013-2014, quando Edson Miolo praticamente abandonou o clube ainda na terceira rodada e jogou por terra todo um planejamento.

Curiosamente, tanto Maurílio, nessa temporada, quanto Edson, na passada, antes da saída questionaram as condições de trabalho e de jogo. Sintomas similares são provas da existência de um problema.

Ao menos o acordo com Humberto foi positivo. Humberto trouxe mais estabilidade ao time, embora não tenha conseguido emplacar uma sequência vitoriosa como se precisava. Mas com Humberto o time se tornou mais organizado e seguro, e com a chegada de reforços no meio e no ataque como Bala, Mauro, Gaibu e Maycon o time ficou mais eficiente ofensivamente. Pecou na organização da zaga e cometeu alguns erros, principalmente no jogo contra o Ypiranga no hexagonal do rebaixamento.

De qualquer form fica o aprendizado na hora de selecionar o nome para o comando. Todos sabem como o mercado é complicado e competitivo. E como a dificuldade financeira dos clubes de Pernambuco tem afastado alguns técnicos. Mas não custa nada um investimento em um bom técnico com compromisso. E inclusive tentar sair da mesmice. Antes da contratação de Humberto esse ano, o nome de Birigui foi aventado como uma possibilidade. Um técnico com um currículo efetivo que pode ser uma opção para o futuro.

A finalidade dessas reflexões é justamente elencar esses fatos para tentar evitar a repetição de erros.

Um comentário:

  1. o treinador pode ser até outro, não sei se Birigui seja ideal. Na realidade tem que ter critérios: Maurílio ficou com o time quase 3 meses, fez a pré temporada, conheceu os atletas que tinha.
    O time não evoluía ....um treinador deve conhecer o que tem em mãos, dispensar atletas que não v~~ao ser utilizados e sugerir reforços.

    ResponderExcluir