sábado, 30 de janeiro de 2016

AMERICA'S OLD PLAYERS: O LATERAL TIÃO.

Em mais uma edição de America’s Old Players vamos contar a história de um lateral-direito que vestiu a camisa do América nos anos 1970. Estamos falando do recifense Sebastião Romão Sobrinho, popularmente conhecido nas canchas esportivas como Tião.
O lateral Tião hoje.
Tião nasceu em 11 de setembro de 1956 na capital pernambucana, filho do paraibano Manoel Pedro Romão e da alagoana Maria José Romão e filho também da comunidade do Alto do Céu no bairro de Beberibe na Zona Norte.
Juvenis do América em 1976
Seu começo na vida futebolística deu-se aos 16 anos em 1973 quando integrou o quadro das categorias de base do Santa Cruz até o ano de 1975, ano em que o então atleta esmeraldino Vassil o levou para a base do América. Apenas três partidas na categoria juvenil foram suficientes para o lateral Tião conquistar a vaga na categoria de profissionais do time alviverde da Estrada do Arraial em 1976 comandado pelo então treinador Nereu Pinheiro. Em 1977, levou o time do bairro de Casa Amarela ao vice-campeonato do Torneio Incentivo. Nesta mesma época, costumava bater bola com os amigos do bairro defendendo as equipes amadora do Onze FC e do Farroupilha, ambas da comunidade do Alto do Céu (Beberibe).
América do Recife em 1977
Após quatro temporadas envergando o manto sagrado do América do Recife, o lateral-direito Tião acertou no começo do ano de 1979 com o Santo Amaro para a disputa do Campeonato Pernambucano. O bom futebol apresentado despertou o interesse do ASA de Arapiraca/AL do então treinador Alberto Meneses, equipe com a qual disputou o Campeonato Brasileiro de 1979, vindo a estrear no dia 15 de novembro com derrota no Estádio Almeidão em João Pessoa frente ao Botafogo/PB. O ASA despediu-se do certame após derrota por 1x0 frente ao Vasco da Gama. De volta à Veneza Brasileira, disputou as temporadas de 1980 e de 1981 vestindo a camisa alvirrubra suburbana do Santo Amaro.
América x Sport em 1977
No segundo semestre de 1981 foi contratado pelo Ferroviário Atlético Clube de Maceió para a disputa do Campeonato Alagoano, fazendo a sua estreia no empate em 0x0 contra o CRB no Estádio José Nivaldo do Nascimento na cidade de Porto Calvo (96 km de Maceió), onde o Ferroviário estava a mandar suas partidas. Veio a encerrar sua carreira profissional no Santo Amaro em 1982, vindo a partir de então a se dedicar à sua área de formação que é administração, ciência cursada na Escola Técnica Soares Dutra no Bairro de Santo Amaro quando ainda jogava no América.
Tião jogando pelo Danúbio do bairro de Porto da Madeira.
Tião pode ter saído do futebol, mas, o futebol não saiu dele. Em 1993 foi campeão na categoria de masters com o América e depois de largar os campos profissionais, o reconhecido lateral vestiu a camisa das equipes amadoras Danúbio do bairro de Porto da Madeira, Atlético do Alto do Deodato, Avenida FC de Alto do Pascoal (campeão na categoria veteranos), Sete de Setembro do Alto do Pascoal (tricampeão na categoria sub 40) e Ramezone de Santo Amaro (campeão em vários torneios realizados no Pina, na Torre, em Olinda e no Campo do Onze em Santo Amaro).
À esquerda: Santo Amaro em 1982; Meio: Campeão de masters em 1993; À direita: Ramezone sub 40.


sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

América na quadra: uma atração irreverente para a torcida Alviverde

Mantendo sua tradição momesca, Dornelas organiza um treino irreverente nesse sábado para descontrair e ainda convida a torcida Alviverde para participar.

Elenco da Uninassau/América se preparando para a festa de carnaval (Foto: http://www.uninassauamerica.com.br/)

O treino deste sábado (30) previsto para começar às 10hs da manhã no centro de treinamento da Uninassau/América promete ser descontraído e irreverente. A principal atração é ver as estrelas do Mequinha trajando fantasias de carnaval. Além disso, diversos mini-torneios estão programados e uma partida da comissão técnica também.

Vale a pena conferir, pois nesse fim de semana não teremos América em campo devido ao adiamento do jogo contra o Central. O treinamento especial ocorrerá no Colégio Salesiano e o público pode chegar para conferir.

Estamos de volta! Abram alas para o Campeão do Centenário!



América supera temporada complicada para voltar a caminhar rumo a um futuro promissor.

De candidato à ser extinto do futebol pernambucano devido ao processo da sede (isso quem disse foram os baluartes do jornalismo pernambucano) e sendo obrigado a disputar um campeonato deficitário e com um regulamento esdrúxulo e sem atrativos, jogo após jogo, o América teve que superar suas próprias limitações para cobiçar o seu ressurgimento no futebol pernambucano (o que não foi diferente com nenhum dos outros sete clubes que participaram do primeiro turno).

As complicações foram inúmeras. Dificuldades orçamentárias que reduziram a folha salarial para mais da metade do valor de 2015, iniciar um curto campeonato com portões fechados e, sobretudo, a desconfiança de muitos, inclusive de grande parcela da nossa torcida, que tinham um pé atrás antes de se entusiasmar com as vitórias, calejados por ver suas esperanças minadas ano a ano quando a bola rolava no futebol profissional.

A verdade é que o futuro do clube parecia sombrio após todo drama sofrido em 2015 e, como poucas vezes na história, o torcedor estava desconfiado. O heroísmo da campanha do Campeonato Pernambucano SUB-20 e a inédita participação do elenco de juniores na Copa São Paulo deixou o clube em evidência, mostrando que o caminho a ser perseguido era valorizando o futebol da base, mesclando com outros jogadores experientes e comprometidos com a missão que teríamos pela frente. Apenas o acesso a "cereja do bolo" poderia livrar o clube da ansiedade da torcida e daqueles que aprenderam a gostar do América da Estrada do Arraial. Em jogo, estava não apenas a participação do Hexagonal do Título, com os grandes clubes do futebol pernambucano... mas toda dignidade, autoestima e confiança do torcedor americano. Estava em jogo a tradição de um clube centenário e toda sua história vitoriosa, esquecida num passado longínquo e vivenciada recentemente apenas nos esportes olímpicos, tal qual vibramos recententemente com o Basquete Feminino. Estava mais do que na hora! Nós queríamos mais!


Pois é, Periquitada... Como diz o poeta popular, o mundo gira, o mundo é uma bola!

Depois de todo este drama, com um América com dificuldades orçamentárias e sem o apoio estatal do Todos Com a Nota, o Alviverde da Estrada do Arraial teve de se reinventar. Teve que esquecer também todos os egos entre as várias alas de liderança dentro do clube. Em prol do Periquito, vimos Alexandre Mirinda, João Moreira, Osmundo Bezerra, Augusto Moreira, Celso Muniz Filho e vários outros dirigentes americanos no mesmo barco, dividindo a mesma nau, sem qualquer oposição, enfim chegaram a conclusão que um América forte é um América onde todos trabalham juntos, em prol do clube. E o resultado veio, como nem o mais otimista esperasse que viria, em tão pouco tempo de pré-temporada. Um clube invicto e com um elenco que mesclou jogadores desconhecidos, com jovens valores da base alviverde e alguns veteranos conhecidos. Para alguns, o que poderia ser a receita do fracasso, foi uma fórmula de sucesso.

E assim foi o Periquito, comendo pelas beiradas. De grão em grão Charles Muniz soube fechar o elenco e criar uma unidade com o mesmo pensamento. Em um campeonato curto, com seis rodadas, qualquer erro dentro ou fora de casa poderia custar a temporada. E foi desta forma, ganhando o respeito e comprometimento do elenco, que o resultado veio. Em seis jogos, foram três vitórias e três empates. Contra o Vitória e Serra Talhada, concorrentes diretos para vaga classificatória, três vitórias para dar moral e respeito a qualquer time.



O primeiro desta sequência, em Vitória de Santo Antão, um verdadeiro divisor de águas para o América na competição. A partir dessa vitória contra o Vitória, na ultima rodada dos jogos de ida, o América deslanchou de vez e simplesmente não perdeu mais no Ademir Cunha até o fim do turno, com 2 vitórias consecutivas e um empate nesse último jogo, além de outros resultados importantes, como foi o empate em Serra Talhada, pela segunda rodada.

Enfim...Não faltou drama, não faltou emoção, como manda o figurino da tradição americana, marcada pelo sofrimento, mas também pela superação. O que dizer do gol de Carlinhos Bala, aos 46 minutos quando somente os jogadores em campo acreditavam na vitória? E o gol de Gláuber diante do Serra Talhada, jogador da base, saindo do banco de reservas e chutando forte, quase sem ângulo para as redes adversárias?

Os deuses do futebol capricharam no roteiro desta incrível campanha, que assumiu contornos épicos desde as primeiras rodadas. O destino já estava traçado, mas não podia faltar emoção. Entre altos e baixos nestes últimos anos, uma campanha para levantar o astral de uma torcida apaixonada e que merecia muito mais do que somente lutar contra o rebaixamento. Esse é o espírito de resistência que desejamos para o nosso clube.

Porque o verde da esperança escrito em nosso hino nunca se apaga! Mais uma grande história de superação e resistência do nosso eterno Campeão do Centenário América Futebol Clube. Isso é ser América! As vitórias são conquistadas dentro de campo, contra tudo e contra todos.

Daqui pra frente não temos nada a perder, só a ganhar! Vamos ser valentes e fazer uma campanha digna, honrando sempre o nome e as cores do América. Acredita, América!



quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Passaporte carimbado! Estamos classificados!



Depois de seis jogos, o primeiro turno do Campeonato Pernambucano chegou ao seu fim, decidindo desta forma os classificados para a segunda fase do estadual. No Estádio Joaquim de Brito, o América entrou em campo necessitando apenas de um simples empate diante do Pesqueira, donos da casa. Sem chances de classificação, o Pesqueira trocou de técnico - agora é comandado por Cícero Monteiro - e sua única pretensão era atrapalhar a vida do América e mostrar serviço ao novo comandante da Águia.

Sem contar com Cesinha e Thiago Laranjeiras, lesionados ainda da partida contra o Vitória em Paulista, a partida iniciou com pelo menos dez minutos de atraso na falta de ambulância no estádio. Com a bola rolando, as duas equipes fizeram um jogo morno e poucos se agrediram no primeiro tempo. O ritmo da partida se perpetuou no tempo complementar de jogo, deixando o placar do jogo inalterado até o fim da partida. 

Com a outra partida do Grupo B empatada em 1x1 entre Serra Talhada e Vitória, o resultado recolocou o tradicional alviverde da Estrada do Arraial novamente em competição nacional após 25 anos, além de disputar o título do Campeonato Pernambucano no hexagonal da segunda fase, junto com Central (líder do Grupo A), Sport, Santa Cruz e Salgueiro. A primeira partida do América no segundo turno será neste domingo, às 16 horas, diante do Central, no Estádio Ademir Cunha, em Paulista.

NOTA DE AGRADECIMENTO AS AUTORIDADES

O AMÉRICA FUTEBOL CLUBE vem por meio desta agradecer a Polícia Militar de Pernambuco e ao Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco, na pessoa de seus comandantes, o Cel.PM D' Albuquerque e  o Cel.CBM Cunha pelo apoio e orientação dado ao nosso clube que foram fundamentais para nova conquista.

Graças a todos os esforços conseguimos fazer desta primeira fase do Campeonato Pernambucano um momento especial juntamente com a liberação do Estádio Ademir Cunha após os tramites que comprovaram a aptidão para receber jogos prezando pela qualidade técnica e total segurança por parte de quem frequenta essa importante praça esportiva.

Se hoje o torcedor esmeraldino pode ir tranquilo ver jogos do Mequinha em Paulista com segurança e comodidade foi porque ouve um trabalho importante cumprido com seriedade pela parte da direção alviverde juntamente com as autoridades responsáveis que a cima de qualquer coisa pensam no bem estar do povo pernambucano contribuindo assim para o desenvolvimento de uma das maiores paixões dos brasileiros, o futebol.



quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

É chegado o momento! Pra cima deles, AMÉRICA!




Agora... Agora... Agora... Chegou a nossa hora, América!

Esmeraldinos e esmeraldinas, Periquitos e Periquitas... Enfim é chegada a hora. Daqui a algumas horas, estaremos decidindo uma das vagas ao Hexagonal do Títulos. Somos líderes do Grupo B e só dependemos dos nossos esforços. Quem tem que correr são os outros lá no Estádio Nildo Pereira. Agora a meta é série D, quem sabe o título simbólico do primeiro turno e muito além.

Devemos acreditar, pois a hora é agora. Nunca tantos resultados nos favoreceram tanto. Em um campeonato fracassado como este, sem qualquer atrativos e sem a grande mídia cobrindo jogos decisivos, nós estamos ali, no topo da tabela, líder isolado e com os critérios de vantagem favorecendo o Alviverde da Estrada do Arraial. E graças a uma fórmula que vem dando certo até aqui: a cartolagem americana unida e sem oposições, comissão técnica concentrada nos jogadores, jogadores concentrados exclusivamente jogo e torcedores concentrados em tudo.

Se hoje nossas possibilidades são reais  foi porque o time deu aquela liga e entenderam a proposta do campeonato. A torcida americana, sofrida e calejada, começou a voltar, assistindo a jogos fora e em casa também. As torcida organizada vem esquecendo seus egos e maloqueiragem e estão dando apoio ao time do início ao fim da partida. Somos poucos nas arquibancadas, mas e daí? Nossos cantos, buzinaços e gritos de guerra ainda ecoam no bairro da Aurora e todos os curiosos ali presentes no Ademir Cunha sentem nossa forte presença.

E sim, amigos. Nossas camisas verdes ou brancas estão voltando a circular por ruas do Grande Recife. Estamos sim muito orgulhosos deste momento e querendo mais e mais. NÓS ACREDITAMOS. Aliás, muitos que nem torcem para o nosso time agora querem chegar junto e participar da nossa onda alviverde. Podem chegar! Em tempos de informação na velocidade da luz, tem gente de tudo o que é canto no País dizendo que tá torcendo por nós agora. ISSO É SER AMÉRICA!

Este sim é o momento, alviverde, americano, periquito. Esta noite seremos um só: SOMOS AMÉRICA! Que lá em Pesqueira, a 215 quilômetros do Recife nós possamos liquidar esta  fatura e sacramentarmos definitivamente nosso retorno a uma competição nacional no futebol masculino profissional. Que possamos selar a nossa participação na verdadeira Série A1 do Campeonato Pernambucano esta noite. 

CHEGOU A NOSSA HORA! ESTAMOS CONTIGO, AMÉRICA! 




terça-feira, 26 de janeiro de 2016

América na quadra: ela voltou e tem promoção

O América segue na sua preparação para  próximo desafio que definirá o líder da competição e com uma novidade muito boa: Erika, a rainha do garrafão está de volta. Além disso, vai ter promoção para o próximo jogo que acontecerá nas vésperas do carnaval.

Erika está de volta e integrará o time de pivôs da Uninassau/América | Foto: Robson Neves


























A Uninassau/América anunciou desde a semana passada a contratação da pivô Erika que retorna ao Recife para mais uma temporada. Segundo a própria jogadora pesou o fator pessoal para optar pelo retorno ao América, mesmo com propostas de clubes da Espanha e França. Ela iniciou essa semana os treinamentos e deverá estrear na próxima rodada. 

E por falar em rodada, essa será decisiva. O América enfrentará o Corinthians com quem divide a liderança da competição. Por isso os dois jogos são fundamentais e a presença do torcedor pernambucano é fundamental nesse momento. Conforme foi informado no último jogo haverá uma promoção especial: em alusão ao carnaval, o torcedor que chegar fantasiado não pagará ingresso.

O Blog do Mequinha antecipa a notícia e já começa a mobilizar a torcida para se fazer presente nos próximos jogos.  


Passos de um novo presente



É de fato que este Campeonato Pernambucano vem fazendo bem ao América, hoje vemos um Ademir Cunha, dentro de suas atuais proporções, recebendo cerca de 800 pessoas numa tarde de domingo que vão ao estádio na convicção de encontrar um time como poucas vezes foi visto nos últimos anos. Cabeça erguida, consciente e acreditando no seu próprio potencial deixando de lado a síndrome vira-lata adquirida em constantes insucessos durante parte de sua trajetória mais recente.

Ainda ser certo afirmar que nada foi ganho, vemos um espírito aguerrido contagiando todos aqueles que vivenciam o América desde o mais pessimista dos torcedores até mais cético dos dirigentes por enxergarem no atual conjunto esmeraldino uma real chance de conquistar alguma coisa dentro de campo. O tal processo de reconstrução levantada pelo clube vem sendo dado a passos lentos, se puxarmos pela memória talvez tenha dado seus primeiros sinais em 2010 e de lá para cá foram somados dificuldade, descenso, acesso, mas sempre com o nó no pescoço onde nunca se quer terminou nas melhores colocações e sim nas rabeiras das tabelas anos após ano, num futuro incerto.

De certo as cinco primeiras rodadas do Pernambucano 2016 trouxe boas alegrias para aqueles que por alguma razão escolheram o Alviverde como clube de coração ou mera curiosidade ao presenciar três vitórias seguidas mesmo nem sempre apresentando um futebol digno de reverencia, mas que vem dando para o gasto ao trazer pontos importantes, culminando como a única equipe invicta e de quebra possuindo liderança isolada do Grupo B somando 11 pontos, três a mais que o segundo colocado, Serra Talhada, derrotado pelo próprio América na última rodada.

Faz bem ter esse clima seguro, sentir que há esperança por dias melhores, principalmente após um enterro melancólico (porque não frustrado) dado por boa parte da imprensa em 2015 que em nenhum momento buscou levar a público notícias animadoras somente tragédia mesmo sabendo da existência de muita coisa louvável vinha acontecendo no cotidiano do clube. Não é fácil e nem será assim como nunca foi na longa história alviverde, mas a possibilidade de ir além, dar um novo passo vem valendo a alegria presente nas velhas arquibancadas amareladas do Ademir Cunha absorvida para dentro de campo.

O Mequinha já não é aquele clube vitorioso do início do século XX ou sua camisa possui peso equivalente aos demais times do Recife, mas é certo apesar da disparidade atual o fortalecimento vem acontecendo, vemos com mais frequência camisas alviverdes pelas ruas, pessoas conseguem identificar com facilidade o escudo sem imaginar se tratar de um clube de fora ou até mesmo amador, ainda não é o ideal pela grandeza americana de outrora, entretanto, aos poucos o diagnostico terminal dado por grande parte da imprensa vai ficando para trás, o América segue vivo, crescendo e semeando sementes para o bem de sua própria saúde.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Obrigado, Carlos Celso. E até breve.


Estatísticas, números, quem mais venceu, quem menos perdeu, a primeira ou última vitória diante do nosso maior rival. A data ou local daquela partida memorável. Nestes mais de oito anos do Blog do Mequinha, todas estas indagações seria algo complicado de responder se não existisse em vida Carlos Celso Cordeiro.

Alvirrubro confesso, nascido em Tabira e um verdadeiro apaixonado pelo futebol pernambucano. Às várias vezes que o Blog do Mequinha ousou resgatar a história do América nos arquivos públicos do Recife, não era difícil não encontrá-lo entre os acervos, sempre a procura de um fato perdidas em algum canto da história, seja na Rua do Imperador ou na Fundação Joaquim Nabuco. A verdade é que quem gosta de História ou mesmo pesquisou um texto apenas sobre futebol de Pernambuco quase sempre bebeu de suas pesquisas como fonte, confrontando dados como gols, arbitragens, escalações através das páginas amareladas do Diário de Pernambuco, Jornal Pequeno, Diária da Noite, Jornal do Commercio.

Não fosse a paixão de Carlos Celso Cordeiro, muito dificilmente não conseguiríamos resgatar a história do América. Trazer à tona os grandes clássicos realizados pelo América diante de Náutico, Santa Cruz e Sport. Criar o levantamento dos números de partidas entre América e Central. Mostrar a nosso público leitor que existia em um passado não muito distante, futebol no Recife além do Trio de Ferro. 

Foi com enorme tristeza que ficamos sabendo de sua despedida na Terra, no 24 de janeiro de 2016. Com 72 anos, Carlos Celso não conseguiu superar o tratamento de câncer, falecendo um dia antes, através de uma infecção respiratória. Perdemos nesta data um pedaço memorável do futebol de Pernambuco. Ficamos mais pobres, mas ainda sim, com a ciência e o dever de manter o seu legado, ao menos no que se diz ao respeito na História do América Futebol Clube.

O Blog do Mequinha se despede de Carlos Celso, na certeza que perdemos um amigo. Cinco minutos do seu lado era uma aula, sempre com atenção e zelo nas suas inúmeras estatísticas. Obrigado, Carlos Celso. E até breve.


Estamos pertos. Só falta uma decisão!




Mais uma vitória esmeraldina no Campeonato Pernambucano. Em cinco jogos disputados na primeira fase do estadual, o América mantem a liderança isolada no certame e agora, é o único invicto nos dois grupos classificatórios para o Hexagonal do Título. Mesmo jogando um futebol abaixo do esperado, não faltou raça e empenho do time liderado pelo técnico Charles Muniz. E é com essa raça e pés no chão que o Campeão do Centenário está a apenas um empate da classificação. E não apenas isso, a garantia de um calendário cheio nesta e na próxima temporada, garantindo participação na Série D do Campeonato Brasileiro de 2016 e 2017.

Antes mesmo da bola rolar no Cunhão, a torcida esmeraldina começava a ficar apreensiva ao ouvir os jogadores à disposição do técnico Charles Muniz. Fora de jogo o meio Thiago Laranjeiras e o atacante Cesinha, ambos destaques do Periquito nas últimas rodadas ficaram de fora dos atletas relacionados devido a lesões ainda da última partida contra o Vitória, quarta-feira no Ademir Cunha. No lugar dos dois o treinador optou pela entrada de Cajá trajando a camisa 11, atuando na linha de frente junto Jackson. Com a bola rolando, muito chutão e ligação direta do gol para o ataque esmeraldino foi a tônica do primeiro tempo. Jogando fora de suas características, Alex Gaibu foi peça nula no meio de campo esmeraldino, faltando criatividade na ligação a defesa com o ataque. As melhores jogadas do América no primeiro tempo partiram de contra-ataques iniciado por Jair na lateral esquerda e de Neto Bala buscando o jogo na defesa para que as bolas chegassem para Cajá e Jackson. Na defesa alviverde, muita atenção da dupla de zaga e, quando precisou, lá estava Delone, praticando boas defesas.

Com o primeiro tempo morno e o América necessitando da vitória diante de um concorrente direto, Charles Muniz realizou duas alterações ainda no intervalo, colocando o experiente Carlinhos Bala no lugar de Cajá e o volante Gláuber, cria da base alviverde assumindo o meio-campo. O inicio do tempo complementar favorecia a equipe sertaneja, com a defesa esmeraldina sendo vazada em algumas oportunidades com o avanço de Jaime, ex-lateral do Mequinha, buscando jogo na linha de fundo para Thomas Anderson e Paulista, dupla de ataque do Serra Talhada. O meio de campo alviverde continuava sem criatividade e, quando a bola chegava nos pés de Carlinhos Bala ou Jackson, continuava sendo na base da ligação direta, através de um tiro de meta de Delone ou de um chutão vindo da grande área alviverde. A torcida já estava impaciente pedindo reação e postura do Campeão do Centenário como equipe mandante e, antes dos 15 minutos de jogo, Charles realizou sua terceira e última substituição no jogo, colocando Nunes no lugar de Alex Gaibu.



A mudança de Gaibu para Nunes mudou consideravelmente a postura da equipe esmeraldina, dando mais velocidade e ânimo do time em campo. O gol alviverde  veio minutos depois em jogada de muita briga e valentia dos jogadores esmeraldinos. A bola foi lançada do meio de campo para Carlinhos Bala, na intermediária da grande área, que tocou a bola para Jackson na direita de campo. O atacante esmeraldino cruzou a bola para esquerda. No bate e rebate na pequena área a bola sobrou para Gláuber, que quase sem ângulo chutou forte, estufando as redes adversárias! Delírio e festa da torcida esmeraldina e de toda a comissão técnica.

Depois do gol alviverde, o América conseguiu manter a calma e o trabalho de posse de bola. Praticamente impecável na partida, quando foi necessário a zaga esmeraldina não sentiu vergonha em dar chutão para tirar qualquer perigo de gol nos minutos finais. O apito do fim de jogo ecoou no Ademir Cunha e depois disso o que sobrou foi a festa do time e torcida juntos na lateral do Ademir Cunha comemorando o excelente resultado diante de um concorrente direto a uma das vagas do hexagonal do título e isolando o Mequinha na liderança do grupo, deixando o Periquito a um empate de garantir vaga no hexagonal do título e na Série D. E mesmo que venha a ser superado na última partida, para tirar a vantagem do América, o Serra Talhada necessita vencer o Vitória e torcer para o Pesqueira vencer o América, além de tirar três gols de saldo.

Falta pouco, Periquito. Com humildade e pés no chão, conquistaremos o primeiro objetivo do ano. Quarta-feira às 20h30 no Joaquim de Brito veremos o Periquito voltar a dar vôos mais altos nos gramados.

sábado, 23 de janeiro de 2016

Mais uma DECISÃO estará em jogo


Domingo é dia de mais uma decisão no Ademir Cunha. E não uma decisão que vale mais uma taça na galeria de troféus do Campeão do Centenário, mas que valerá com um, pois muito estará em jogo. Líderes com pontos no Grupo B da primeira fase do Campeonato Pernambucano, América e Serra Talhada se encontram às 16 horas em Paulista, buscando um único resultado, que é a vitória. Quem vencer, jogará por um empate para carimbar a classificação na fase final na ultima rodada da primeira fase. Além da classificação para o Hexagonal do Título, uma das vagas a Série D do Campeonato Brasileiro em 2016 e 2017 também estarão em jogo.

Sem desfalques por expulsão ou jogadores lesionados, o técnico Charles Muniz terá à disposição todos os seus atletas para esta partida importante para o América nesta e na próxima temporada. E aqui colocamos na conta inclusive o Carlinhos Bala, protagonista na última partida no Cunhão por marcar o gol da vitória diante do Vitória nos acréscimos e do paredão Delone, que durante a partida, sofreu uma dividida com um dos atacantes taboquitos, no qual durante a partida, evitava cobrar o tiro de meta. No primeiro encontro entre as duas equipes pela segunda rodada do Grupo B, Serra Talhada e América empataram em 1x1, no Estádio Nildo Pereira, em Serra Talhada.


Para a partida a Federação Pernambucana de Futebol escalou o árbitro Giorgio Wilton, que será auxiliado pelos assistentes Clóvis Amaral e Cleberson  Nascimento. O quarto árbitro será Silvio Cavalcante. A partida entre América e Serra Talhada inicia às 16 horas no Estádio Ademir Cunha, em Paulista. Os ingressos serão vendidos ao preço único de R$ 10,00 horas antes do inicio do jogo, nas bilheterias do estádio.

A partir das 15 horas a Rádio RCE FM estará transmitindo a partida através do seu site (http://rcefmnet.wix.com/rcefm) ou através do aplicativo RadiosNet, disponível para tablets Smartphones Android ou IOS.

UNINASSAU/América garante sua sétima vitória na LBF



Único representante pernambucano na temporada 2015/2016 da Liga de Basquete Feminino (LBF), o UNINASSAU conseguiu mais uma vitória na noite desta sexta­-feira (22), no Ginásio Wilson Campos, no SESC de Santo Amaro. Diante do Maranhão Basquete, lanterna da competição, o América foi dominante do inicio ao fim da partida, fazendo as maranhenses sofrer com as jogadas de ataque do time de Dornelas, que com uma postura completamente diferente do dia anterior, quando começou mal os dois periodos, as alviverdes entraram no jogo com todo gás e abrindo vantagem nos dois primeiros períodos para vencer o jogo por 72 a 55.

Com um ritmo avassalador no primeiro período, o América começou apostando no jogo corrido para dominar o Maranhão Basquete e não dar qualquer chance de reação, deixando a equipe adversária perdida no SESC Santo Amaro. O placar do primeiro quarto de jogo terminou com 19×9 para as Periquitas, abrindo dez pontos de vantagem. Antes do intervalo de jogo, o UNINASSAU/América seguiu dominando a partida e abrindo ainda mais vantagem, para praticamente definir a vitória no segundo quarto, vencendo por 42×27 (23×18 na parcial).


Os últimos dois períodos praticamente serviram para as esmeraldinas administrarem a partida, enquanto que o Maranhão Basquete buscava forças para encostar no placar, passando a utilizar as jogadas de infiltração como referência. Mesmo assim, o América venceu o terceiro período por 18x11 (68x13 na parcial).

O quarto período, o técnico Roberto Dornelas colocou as "meninas" para entrar em quadra. No último quarto de jogo a pivô Nicolle (19 anos), a ala Raphaella (20) e armadora Carol (21) entrou em quadra, apenas para equilibrar as ações e asseguraram a sexta vitória sair com a sétima vitória em oito jogos disputados.

Inspirada, a experiente pivô alviverde Kelly foi absoluta nos rebotes e não deu chance para as visitantes. Abusando das cestas, a jogadora também ajudou a conduzir o UNINASSAU/América para mais uma vitória na LBF.  Outrou destaque na partida foi a ala/pivô norte-americana Jennifer Lacy, A cestinha do jogo partida com 19 pontos. 

O UNINASSAU/América volta a jogar pela LBF nos próximos dias 4 e 5 de fevereiro, novamente no SESC Santo Amaro. Fechando o primeiro turno, Mequinha e Americana duelam pela liderança isolada da competição nacional. As duas partidas serão às 20h (do Recife). Para estas duas partidas, as americanas prepararam uma promoção: quem for fantasiado na partida em ritmo de carnaval entrará de graça!
Nova vitória diante do Maranhão Basquete e a manutenção da liderança | Foto: Robson Neves

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

UNINASSAU/América vence a primeira de dois jogos contra Maranhão Basquete


UNINASSAU/América e Maranhão fizeram um bom jogo no SESC Santo Amaro | Foto: Robson Neves


O América segue aumentando sua sequência de vitórias na temporada 2015/2016 da Liga de Basquete Feminino (LBF). Em partida disputada na noite desta ultima quinta-feira (21), no Ginásio Wilson Campos, no Recife, a equipe do UNINASSAU/América enfrentou o Maranhão Basquete, que começou bem e esboçou dificuldades nos primeiros dois quartos ao time de Dornelas, mas não conseguiu manter o ritmo dois tempos complementares, dando os números finais de 82 a 61 para o UNINASSAU/América.

Enfrentando o lanterna da Liga de Basquete Feminino, as esmeraldinas entraram no primeiro periodo do jogo alinhando Adrianinha, Ariadna, Tati Pacheco, Jennifer Lacy e Kelly. Pressionado pela série de derrotas na LBF, a equipe maranhense surpreendeu o time esmeraldino, chegando a abrir 13 pontos de vantagem, fechando o primeiro período no placar de 22 a 17.

No segundo período de jogo, o UNINASSAU/América apresentou reação diante do Maranhão Basquete, que tentava a todo custo manter a mesma pegada do primeiro quarto. Com as Periquitas errando menos e aproveitando as jogadas de contra-ataque, o América fechou o primeiro de tempo atrás do placar, mas conseguiu encostar, entrando para o intervalo com a diferença de apenas dois pontos no marcador (36 a 34).

Na volta para o segundo tempo,o UNINASSAU/América retornou a quadra mais atento e não foi necessário muito tempo para passar à frente do placar. Logo no primeiro lance do terceiro período, a ala-pivô norte-americana Jennifer Lacy arremessou uma bela bola de três. Com um excelente aproveitamento nos arremessos e melhor jogo coletivo, as alviverdes fizeram 34 pontos no terceiro quarto, mesmo numero de pontos que fez no primeiro tempo de jogo, fechando o período com o placar de 72x44.

Com a vitória encaminhada, o América apenas administrou o resultado no último período, enquanto o Maranhão Basquete tentava, sem sucesso, reverter o placar. Mesmo as maranhenses vencendo o período por 17 a 14, o UNINASSAU/América venceu a partida pelo placar de 82 a 61. A maior pontuadora foi a ala­-pivô americana Jennifer Lacy, que fez 16 pontos e pegou seis rebotes. Outro destaque esmeraldino em quadra foi a cubana Ariadna, com 15 pontos, seis rebotes e quatro roubadas de bola, também teve participação decisiva na vitória pernambucana, enquanto a pivô Kelly fez um duplo-duplo: 11 pontos e 13 rebotes. 

Com a vitória em casa, o América reassumiu a liderança da Liga de Basquete Feminino, ao lado do Corinthians/Americana, com 85,7% de aproveitamento. América e Maranhão voltam a se enfrentar na noite desta sexta-feira (22), às 20h (horário local), no Ginásio Wilson Campos.

UNINASSAU/América e Maranhão voltam a se enfrentar nesta sexta (22) | Foto: Paulo Uchoa

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

UNINASSAU/América volta a quadra na LBF


Depois de quase um mês longe das quadras, enfim a bola vai quicar no SESC Santo Amaro. Sem ver a bola laranja dar o ar de sua graça desde o o ultimo dia 22 de dezembro, a equipe do UNINASSAU/América volta a quadra nesta quinta-feira às 20 horas contra o Maranhão Basquete. Com um terço da fase de classificação já realizada, a América divide a liderança da tabela de classificação do campeonato com o Corinthians.

A equipe comandada pelo técnico Roberto Dornelas fechou o ano de 2015 com a moral muito alta. Os atuais vice-campeões do principal campeonato de basquete do Brasil engataram uma sequência de quatro vitórias seguidas na competição e contou com o tropeço de seu rival para alcançar o topo da tabela. A última vez que o América jogou em casa com o apoio de sua torcedor foi na estréia da competição diante do  e com uma equipe bem diferente. Se agora Dornelas conta com 100% do elenco à disposição, naquela oportunidade o treinador alviverde estava desfalcado de Adrianinha e Jennifer Lacy, ambas lesionadas. 

Erika (à esquerda)  voltará a defender as cores do UNINASSAU/América nesta temporada.

Durante a pausa para as festas de fim de ano e também para o evento-teste dos Jogos Olímpicos Rio 2016, o UNINASSAU/América não parou, disputando dois amistosos preparatórios, nos dias 07 e 08 de janeiro. A novidade para esta partida é a contratação da pivô Erika de Souza, voltando a vestir a camisa do América após passagens pela liga norte-americana e turca.

Este será o terceiro encontro de América e Maranhão Basquete. Na temporada 2015/16, vitórias alviverdes por 93x53 no SESC Santo Amaro e 93x61, no Ginásio Castelinho. O UNINASSAU/América e o Maranhão Basquete voltam a se enfrentar na sexta-feira (22), novamente às 20h. Os ingressos estão sendo vendidos nas bilheterias do SESC Santo Amaro a R$ 10 e R$ 15 a casadinha. Estudante e idoso pagam meia.

Ultima partida diante das maranhenses, vitoria por 93x61, no Ginásio Castelinho.

A primeira decisão foi vencida



Mais uma vitória, em um jogo emblemático no Ademir Cunha, o América começou bem, abriu o placar, voltou para segundo tempo de jogo sem a mesma postura tática, tomou o empate e, quando tudo parecia decretado, surge um milagre. Um enredo de jogo dramático, que recolocou novamente o Alviverde na Estrada do Arraial na liderança do grupo B.

Nesta quarta-feira a noite, americanos e vitorienses voltavam a se encontrar novamente pelo Campeonato Pernambucano, após a vitória esmeraldina por 2x1 no Carneirão. Com uma tabela embolada e ambos com chances de alcançar a liderança na rodada, as duas equipes buscavam nos minutos iniciais abrir o marcador. Dez minutos passados, o América começou a apresentar o domínio do jogo, enquanto que o Vitória apresentava um futebol irregular, fazendo com que ainda no inicio de jogo o técnico Laelson. Com o América dando ritmo ao jogo, o primeiro gol da partida veio depois de uma cobrança de falta de Alex Gaibu. A bola sobrou para o lateral Jair dar apenas um toquinho balançando as redes para delírio dos mais de 500 torcedores presentes apoiando o América




Mesmo o Alviverde da Estrada do Arraial com vantagem no marcador, depois do tento marcado o América criou outras boas jogadas, mas pecava pela afobação e pelo gramado pesado do Ademir Cunha devido às chuvas nos últimos dias. Antes do final do primeiro tempo o América teve a chance de ampliar o marcador novamente através de bola parada, desta vez em uma cobrança quase perfeita realizada por Yuri.

No tempo complementar de jogo, esperava-se que o América voltasse ao gramado com a mesma atitude do primeiro tempo, mas para a surpresa da torcida, foram os visitantes que foram pra cima e criaram várias chances de empatar a partida nos minutos iniciais. A mais clara delas partiu o arqueiro Delone fez uma bela defesa, após forte chute do vitoriense Alex.  Precisando chegar ao empate e virar o jogo, o Vitória foi para cima do Mequinha e numa bobeada da defesa alviverde, a insistência dos visitantes acabou sendo recompensada com um gol de Jefferson Baiano, logo aos seis minutos, depois que Vassoura bateu cruzado e deixando o atacante do Vitória livre para empurrar para as redes de Delone.



Depois do gol de empate do Vitória, os ânimos da partida ficaram à flor da pele. A postura ofensiva esmeraldina no toque de bola acabou mudando totalmente para ligação direta e apostando na velocidade de Cesinha. Outro ponto negativo foi a queda de desempenho de Alex Gaibu, diminuindo a criação das jogadas, fazendo Carlinhos Bala, que havia entrado no lugar de Jair buscar o jogo no meio de campo. Com o rumo da partida mostrando o América inferior ao Vitória e com o tempo de jogo cada vez mais escasso, o rumo do jogo dava a igualdade no placar, surge a estrela de Bala. Assim como na sua estreia na temporada anterior, o meia-atacante de 36 anos entrou no segundo tempo de jogo e fez o suficiente para arrancar os três pontos: o gol. Quando Déborah Cecília levantava a placa de 4 minutos de acréscimos, o América sofreu uma falta próximo ao escanteio.  O atacante não decepcionou. Em cobrança de falta, aos 46, bateu uma falta cruzada que teve destino certo no ângulo do goleiro Walber Góis, dando a vitória ao América que até ali, poucos acreditavam.

O resultado no Ademir Cunha deixou novamente o América líder do Grupo B, desta vez somando 8 pontos, mesma pontuação do Serra Talhada que também venceu na noite, todavia, o Periquito leva vantagem por ter um gol a mais que os sertanejos. No próximo domingo América e Serra Talhada se encontram no Ademir Cunha. Uma vitória alviverde diante da equipe Vale do Pajeú colocará o Campeão do Centenário com um pé na Série D e no Hexagonal do Título.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Augusto Moreira é o novo Presidente



Na ultima segunda-feira (18) foi definida a nova gestão do América para o biênio 2016/2017. Na sede social do clube, localizada no bairro de Casa Amarela, na Estrada do Arraial, foi empossado José Augusto Moreira como novo presidente do Campeão do Centenário e que terá ao seu lado como vice-presidente Celso Muniz Filho, ultimo presidente executivo no biênio 2014/2015.

De forma simples, Augusto Moreira foi escolhido por aclamação entre os conselheiros do América. Além de Augusto Moreira como Presidente do Executivo, Roberto Zaidan Gama também aclamado o novo Presidente do Conselho Deliberativo do clube. Ao seu lado como vice-presidente do Conselho Deliberativo estará Sergio Serpa, ex-presidente do executivo de 2006 a 2009 e ex-presidente do Conselho Deliberativo nos anos de 2010 a 2013.

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

O fim de uma gestão histórica

Celso Muniz, ladeado pelo seu antecessor João Moreira (esq.) e Evandro Carvalho (dir.)

Nesta segunda-feira chegou ao fim a gestão Celso Muniz Filho, embora ele tenha se mantido na diretoria como vice-presidente do Clube Esmeraldino que agora será presidido por Augusto Moreira.

O grande fato é que entre erros e acertos, eu me arrisco (a primeira pessoa aqui é proposital) a dizer que esta foi a melhor gestão do América nos últimos trinta anos ou mais. E eu não me pauto em meros argumentos opinativos, mas em fatos.

O primeiro fato foi a entrada de Celso no América. O criador da AFC/SA resolveu assumir o clube Esmeraldino em 2013 em todas as suas categorias, ainda na gestão João Moreira. Nem todo mundo mundo sabe, mas o América não iria disputar a competição de acesso à série A1. E depois de um começo fulminante da AFC/SA formando bons jogadores e conseguindo chegar a semi-final do Pernambucano sub-20, Celso deu condições para a formação de um time que mesclava grandes jogadores do cenário pernambucano, como Kássio, Branquinho e Danilo Lins com jogadores da base como Maurício, Márcio e Palitinho. O acesso foi relativamente fácil e os sustos ficaram justamente por conta de erros fora de campo. Depois disso o futebol profissional não conseguiu grandes resultados, mas também não correu tão grandes riscos de queda para a famigerada A2.

Já como presidente do clube Celso se deparou com uma herança preocupante. A sede passou por um leilão que consistiu em acelerar um processo quase morto e de forma ilegal. Contando principalmente com o apoio de Mirinda e seu pai, Celso enfrentou a questão e conseguiu reverter a situação praticamente tirando a bola na linha do gol, quando para muitos a sede já havia sido perdida. Articulações com a Prefeitura do Recife e a entrada em um processo de tombamento no Conselho Municipal de Urbanismo também contribuíram para frear o processo. E ao contrário do que foi dito, não foi na sua gestão que a sede do América se transformou em colégio.

O outro feito grandioso da gestão Muniz foi a expressividade que a categoria de base tomou nos três anos em que Celso esteve a frente do clube. Como dito, em 2013 já começou ficando honradamente entre os quatro melhores do estado e repetindo o mesmo feito em 2014. Já 2015 a consagração veio com uma final, o vice-campeonato pernambucano e uma participação honrada na Copa São Paulo onde o América chegou a figurar como líder num dos grupos mais fortes da competição. Desta base vieram jogadores que prestam serviços valiosos para o América, como Márcio, Gláuber, Yuri e Jackson. E ainda tiveram Palitinho e Maurício, que infelizmente por erros de ambos os lados e má-intenção de terceiros acabaram saindo pelas portas dos fundos.

Mas sem dúvidas, a grande marca da gestão Celso Muniz Filho foi a permissão para exploração da imagem do América em outras modalidades. Isso fez o América aparecer como um clube vencedor em nível estadual e nacional! Campanhas vitoriosas no futebol feminino e vôlei feminino, no handebol masculino e a fantástica aparição do América em nível nacional via basquete feminino projetaram a imagem alvi-verde além do tradicional futebol, com parcerias que eram vantajosas para os dois lados. Enumerar os títulos aqui é quase desnecessário, mas principalmente tomaria muito espaço nesta postagem! Algo raro na vida do América e só visto pela última vez nos longínquos anos 1960. E aqui convém citar alguns nomes fundamentais, Fernando Galvão que foi o principal pivô dessa agitação nas modalidades amadoras no início da gestão; Fábio França que enfrentou uma série de dificuldades e levou o América a dois honrosos terceiros lugares no estadual feminino, além de ter formado uma atleta convocada para a seleção nacional; e obviamente Dornelas, quem apostou na marca do América e tem dado muitas alegrias ao coração sofredor dos Alviverdes.

Erros houveram e não foram poucos. Principalmente nos casos Palitinho e Maurício. Alguns erros provocados pelas circunstâncias, outros por forças externas. Poderia ter se investido mais na infraestrutura do clube para formação de jogadores e para até a própria evolução da AFC/SA; poderiam ter contratado melhor em alguns momentos; poderiam ter ousado mais em captação de recursos; poderiam ter construído parcerias mais organizadas e ainda mais eficientes. Mas isso não são fatos que inviabilizaram o saldo positivo e muito menos que obliteraram a passagem histórica de Celso Muniz Filho como presidente do América.

Fica aqui o registro histórico verdadeiro e definitivo.

A primeira de três decisões pela frente



Finalmente a torcida esmeraldina e clube voltarão a se reencontrar, aqui claro considerando a condição de clube mandante... Depois da frustrante estréia de portões fechados, o Campeão do Centenário e sua torcida pequena, mas fiel às suas tradições estarão lado a lado nesta quarta-feira no Ademir Cunha. E por falar no Cunhão, será sim uma noite de reencontros! Não só entre a ligação clube-torcida, mas a volta do América ao Ademir Cunha, que não levava seu mando de jogo ao estádio municipal de Paulista desde 2014. O terceiro reencontro será entre América e Vitória, dando inicio aos jogos de volta no primeiro turno do Campeonato Pernambucano.

Quarta de reencontros: Torcida, América, Ademir Cunha e Vitória.

Será com este clima de reencontro e bastante ansiedade que o América fará a primeira de três decisões que terá ao longo destas próximas duas semanas. Ainda invicto no Grupo B com dois empates e uma vitória, o Alviverde da Estrada do Arraial passou pelo caminho mais difícil do estadual, com sua tabela iniciando com dois jogos fora de casa diante de duas equipes consideras favoritas. Agora líder com cinco pontos, o Periquito vê o Serra Talhada ao seu lado com mesma pontuação, mas com um gol a menos e o Vitória, seu ultimo e próximo adversário com um ponto a menos. São três equipes buscando o mesmo objetivo, que é a liderança do grupo para galgar uma temporada com mais visibilidade e durante todo o ano de 2016.

O América vai para esta guerra sem quaisquer desfalques no elenco e podendo contar com uma novidade no sistema ofensivo. É que na noite desta ultima segunda-feira a diretoria esmeraldina anunciou o retorno de Carlinhos Bala e, dependendo da agilidade burocrática da CBF, o atleta de 36 anos poderá ser relacionado por Charles Muniz já neste compromisso diante do Vitória.

Com melhor condicionamento que em 2015, Bala retorna ao América e pode ser a surpresa desta partida.
Para esta partida válida pela quarta rodada do Grupo B, a Federação Pernambucana de Futebol escalou o árbitro Gleydson Leite, que será auxiliado pelos assistentes Marlon Rafael e Francisco Chaves. A quarta árbitra será Déborah Cecília. A partida entre América e Vitória inicia às 20h30 no Estádio Ademir Cunha, em Paulista. Os ingressos serão vendidos ao preço único de R$ 10,00 horas antes do inicio do jogo, nas bilheterias do estádio.

A partir das 20 horas a Rádio RCE FM estará transmitindo a partida através do seu site (http://rcefmnet.wix.com/rcefm) ou através do aplicativo RadiosNet, disponível para tablets Smartphones Android ou IOS.




domingo, 17 de janeiro de 2016

Vitória pra dar moral



O América amanheceu líder isolado do Grupo B neste domingo! Em partida válida pela terceira rodada do Campeonato Pernambucano, o América visitou  Vitória de Santo Antão neste ultimo sábado (16) e conseguiu um importante resultado diante do Vitória, saindo vitorioso do Carneirão, pelo placar de 2x1.

Faltando apenas três jogos para o fim do primeiro turno, América e Vitória entraram em campo com a disposição e a consciência de que a vitória era essencial para abrir vantagem em um campeonato curtíssimo, onde apenas uma equipe em cada grupo terá o direito de sorrir na temporada. E foi com este pensamento que o América entrou no Carneirão buscando o abrir o marcador a todo instante. Em uma destas oportunidades, a história do jogo começou a ser desenhada logo aos 21 minutos de partida. Em contra-ataque veloz iniciado por Cesinha, o artilheiro esmeraldino conseguiu se livrar do zagueiro Cláudio, ficando na sequência frente a frente com David. Ultimo homem do Vitória, ex-xerifão esmeraldino não tinha outra opção a não ser matar a jogada com um empurrão e acabou sofrendo cartão vermelho direto do árbitro Gilberto Castro Júnior. Foi o suficiente para Thiago Laranjeiras, em cobrança de falta na meia lua da grande área jogar a bola com categoria no ângulo direito para delírio da torcida esmeraldina presente no Carneirão.



Com um jogador a menos, dava a entender que o América teria mais espaços para trabalhar a bola e pressionar ainda mais a equipe mandante. Ledo engano. Aguerrido, o Vitório demonstrou um poder de reação de disposição, mesmo com homem a menos. Em uma destas jogadas ofensivas, saiu o gol vitoriense, em jogada na direita criada por Vassoura, a defesa esmeraldina bobeou, deixando a bola cair nos pés do atacante Jefferson Baiano, que apenas deu um toquinho para as de Delone, empatando a partida aos 28 minutos.

Mesmo com o placar em igualdade, o América continuou sendo o dono do jogo. O trio Cesinha, Ewerton Bala e Alex Gaibu continuava aprontando das suas contra a defesa do Vitória. Com um a menos e demonstrando preocupação em levar o segundo gol, os donos da casa se viram obrigado a apostar no contra-ataque durante todo o restante de partida, deixando muitas vezes o atacante Jefferson Baiano do Vitória com chances claras de virar o placar. Em um destes lances, no segundo tempo, o atacante do Vitória conseguiu espaço na defesa esmeraldina pra fazer uma de suas jogadas individuais. Aos 13 minutos da etapa complementar, o atacante vitoriense foi derrubado dentro da área e o árbitro marcou a penalidade máxima. Foi quando brilhou a estrela de Delone. Em cobrança a meia altura bem realizada por Vassoura, o arqueiro esmeraldino conseguiu alcançar a bola no canto direito de sua meta o suficiente para espalmar a bola, que beijou a sua trave e saiu para escanteio. Nova festa alviverde nas arquibancadas do Carneirão, que vibrou com defesa de Delone como se fosse um gol!

A defesa de Delone deu um novo gás ao time do América. Durante o decorrer da partida o atacante Jackson entrou, mas não acompanhou o ritmo intenso do jogo, não contribuindo tanto quanto é esperado dele pela torcida. O América continuava dono da partida, mas faltava calma ao ataque esmeraldino naquele chamado "ultimo toque". Depois de bolas no travessão, impedimentos assinalados e algumas boas defesas do goleiro Walber, o América aos 42 minutos acertou um belo contra-golpe no meio de campo. A bola sobrou pra Jackson que viu Cesinha livre na esquerda e, com tranquilidade, tocou no canto esquerdo de Walber. Foi o gol da vitória em cima do Vitória!



Com o resultado, o América assume a liderança do grupo B, com cinco pontos. Com os jogos de volta do primeiro turno iniciando nesta próxima quarta-feira (20), o América contará agora com o "fator casa" a seu favor, pois terá pela frente dois jogos seguidos em casa, o primeiro dele agora, novamente contra o Vitória, no estádio Ademir Cunha, às 20h30, pela quarta rodada do Campeonato Pernambucano.



sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Valendo mais que três pontos



Sábado com rodada do Campeonato Pernambucano. E jogo importantíssimo para as pretensões do América, valendo bem mais que simples três pontos a quem sair vencedor no Carneirão. Vindo de dois empates nas duas primeiras rodadas, o América necessita a todo custo não sair derrotado de Vitória de Santo Antão para não distanciar do Vitória, que está na liderança do Grupo B com quatro pontos. Isso porque depois desta rodada, o Campeão do Centenário terá apenas mais três jogos para lutar pela liderança e, consequentemente, conquistar uma vaga a Série D do Campeonato Brasileiro e garantir sua participação ao Hexagonal do Título, junto com Sport, Santa Cruz, Náutico e Salgueiro.

Inicialmente marcado para o domingo, o confronto entre Vitória e América foi alterado para o sábado, às 16h, devido às comemorações ao padroeiro da cidade, no dia seguinte. A antecipação da partida válida pela terceira rodada do Grupo B foi confirmada pela Federação Pernambucana de Futebol. Sem desfalques vindos de cartões ou lesões, o técnico Charles Muniz contará com todos os atletas do plantel, principalmente aqueles que estavam defendendo o Alviverde da Estrada do Arraial pela Copa São Paulo de Juniores. Na ultima partida diante do Serra Talhada, o América contou com alguns deles, inclusive atuando como titular na partida, como o goleiro Rhuan, que substituiu Delone a altura.

Para a partida de hoje, a Federação Pernambucana de Futebol escalou o árbitro Gilberto Castro Junior (CBF) para apitar a partida neste sábado, às 16 horas no Carneirão. Junto com o árbitro de 35 anos, estarão os assistentes Cleberson Leite (CBF) e Gilson Braz (FPF). O quarto árbitro será Anderson Freitas (FPF).

A partir das 15 horas a Rádio RCE FM iniciará a transmissão da partida através do seu site (http://rcefmnet.wix.com/rcefm) ou através do aplicativo RadiosNet, disponível para tablets Smartphones Android ou IOS.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Mais um empate


Segunda rodada do Campeonato Pernambucano e o América arrancou mais um empate. Desta vez, fora de seus domínios, no Estádio Nildo Pereira, em Serra Talhada. Diante dos "Lampiões", o América até jogou bem, foi mais incisivo durante boa parte do jogo, mas não conseguiu superar o Serra Talhada e perdeu três pontos importantes nesse primeiro turno do Pernambucano. O jogo terminou com o placar em 1 x 1.

Com as duas equipes vindo de um empate na primeira rodada e com um campeonato curtíssimo, de apenas seis jogos para decidir o planejamento de um ano, ambas as equipes entreram em campo partindo pra cima e buscando abrir o marcador. Com as duas equipes jogando um futebol bem ofensivo, foram os donos da casa que inauguraram o marcador logo aos 28 minutos de jogo, com jogada partindo do ex-lateral esmeraldino Jaime fazendo o cruzamento para o atacante Azul escorar de cabeça e fazer a festa dos mais de 800 sertanejos presentes no estádio. 



Com o gol marcado, o Serra Talhada ficou mais comedido e dando espaços e mais posse de bola ao América. Sem alterações na volta para o segundo tempo de jogo, a partida seguiu com o América jogando em velocidade e no contra-ataque, até que aos 12 minutos da etapa complementar, Cezinha empatou a partida, em um lance de muita disputa pela bola dentro da grande área. Foi o suficiente para dar os números finais ao placar. 

Em um campeonato normal com 10 a 12 rodadas seria um excelente resultado, contudo, o sinal amarelo já toma conta da Estrada do Arraial. Na outra partida válida pelo Grupo B, o Vitória venceu o Pesqueira fora de casa e assumiu a liderança isolada do grupo com 4 pontos. Se há preocupação pelo curto tempo para encontrar os resultados, ao menos há esperança que este time possa corresponder. Mesmo jogando sempre atrás do placar, a equipe esmeraldina demonstrou poder de reação nestes dois primeiros compromissos do estadual e por muito pouco não saiu vitorioso, criando várias chances de converter o placar, mas desperdiçando-as logo em seguida.

Na próxima rodada o América visita este mesmo Vitória e necessitará no pior das hipóteses de um empate para continuar com chances de abocanhar a liderança do grupo nos jogos de volta, onde terá dois jogos como mandante. Uma derrota no Carneirão praticamente liquida as pretensões alviverdes de avançar de fase e, consequentemente, disputar a Série D do Campeonato Brasileirão. Domingo será um divisor de águas.


quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Buscando a primeira vitória do certame



Quarta-feira tem América em campo pelo Campeonato Pernambucano. Pela segunda rodada na primeira fase do certame, o América viajou nesta terça-feira rumo a Serra Talhada para enfrentar a equipe de mesmo nome, no Estádio Nildo Pereira, às 20h30. Com empate em todos os jogos, o América busca nesta rodada sua primeira vitória em um certame tiro-curto, com seis jogos para decidir o rumo de toda a temporada de 2016.

Contra o Serra Talhada a torcida esmeraldina espera contar com alguns atletas que estavam defendendo o América pelo Campeonato Pernambucano SUB-20, que fizeram sua reapresentação ao elenco profissional nesta última segunda-feira (11), no Estádio Ademir Cunha. Na ltima rodada apenas o goleiro Rhuan figurou no banco de reservas do técnico Charles Muniz. Outra dúvida ainda é o atacante Jackson que durante a pré-temporada sofreu uma lesão no joelho, mas nada grave.

Para a partida de hoje, a Federação Pernambucana de Futebol escalou o árbitro Giorgio Wilton (FPF) para apitar a partida no Nildo Pereira. Junto com o árbitro de 39 anos, estará a assistente Fernanda Colombo (Aspirante FIFA) e Charles Rosa (FPF). O quarto árbitro será Alexsandro Rodrigues (FPF).

A partir das 20 horas a Rádio RCE FM estará transmitindo a partida através do seu site (http://rcefmnet.wix.com/rcefm) ou através do aplicativo RadiosNet, disponível para tablets e Smartphones Android ou IOS.



segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Só deu empate na estréia do Pernambucano



"Por um fio de cabelo de sapo" o América não saiu vitorioso no Ademir Cunha, em uma partida atípica, com o Estádio Municipal de Paulista aos ecos e gritos dos jogadores e comissão técnica de América e Pesqueira somada aos apitos e vozes da RCE FM, que transmitia a partida da cabine de imprensa do estádio. Depois de um começo fulminante, com o time apresentando um futebol convincente, o time esmeraldino vacilou em duas oportunidades e por muito pouco não saiu do Cunhão com três pontos. Com tanta oportunidade criada pelo Campeão do Centenário, perdendo inclusive uma penalidade ao final do tempo complementar, ficou a sensação de que há muito o que melhorar, principalmente num campeonato meia-boca como este Campeonato Pernambucano, onde os clubes farão seis jogos para decidir a temporada.

A ducha de água fria veio logo aos 19 minutos da primeira etapa. Tomando as rédeas da partida, o América sofreu o primeiro baque com um gol assinalado após cobrança de falta. Após o tento, coube o América buscar uma reação ainda no primeiro tempo de jogo e ela veio também em bola parada, após rebote na cobrança de falta, com gol marcado por Márcio, aos 26 minutos da etapa inicial. O que parecia que viria a virada alviverde ainda no primeiro tempo, foi lêdo engano, porque a Águia voltou a ficar novamente à frente do placar em um novo lance de bola parada. Desta vez, aos 38 minutos, o Pesqueira voltou a ficar à frente do placar com um gol originado em cobrança de escanteio. 

Veio o intervalo e Charles Muniz realizou algumas alterações no elenco. Marcio que havia marcado o único gol esmeraldino até aquele momento foi substituído por Danyel e Nunes no lugar de Jair, logo no inicio da etapa complementar, tentando corrigir as falhas de posicionamento cometidas no primeiro tempo. Melhor em campo, o América buscava criar as jogadas com através do experiente Gaibú e de Thiago Laranjeiras. A entrada de Neto Imperador no lugar de Cajá aos 26 minutos do tempo complementar também deu mais velocidade as jogadas de contra-ataque, tanto é que, na primeira jogada de Neto, o América teve a primeira oportunidade de empatar o jogo, com um penalti assinalado por Deborah Cecilia a favor do Periquito. Eufórico com a oportunidade, o atacante chamou a responsabilidade na conversão da penalidade, mas cobrou muito mal e viu o goleiro do Pesqueira defender a cobrança.

Mesmo com a cobrança de pênalti não convertida em gol, o América foi valente e tentou a todo custo o empate com bolas na trave adversária e ótimas chances de alterar o placar. A busca do empate também deixou a meta esmeraldina vulnerável, com o Delone salvando a meta esmeraldina em várias oportunidades. Em mais um novo contra-ataque, aos o América conseguiu o empate aos 36 minutos do tempo complementar. Desta vez, através de um novo pênalti marcado pela arbitragem, com Cesinha convertendo e dando os números finais da partida.

Em um campeonato com apenas três jogos como mandante, ficou a sensação do América perder dois pontos ao invés de ter conquistado um. Pra complicar um pouco a vida severina do América, o time liderado pelo Charles Muniz terá pela frente dois jogos fora de casa. O primeiro deles na próxima quarta-feira (13), encarando o Serra Talhada, às 20h30, no Nildo Pereira... e no próximo domingo (17), às 16 horas, visitando o Carneirão para pegar o Vitória. Menos mal que na outra partida do Grupo B as equipes do Vitória e Serra Talhada também terminaram empatadas em 1x1.