quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Chegou a hora da estreia


Depois de não jogar no fim de semana por conta de alterações na tabela feita pela FPF, o América vai finalmente estrear no hexagonal que define os candidatos ao título do estadual 2016. E o desafio é enorme.

Falar do adversário é desnecessário aqui. Um time milionário, infraestrutura de série A, um monte de nomes internacionais com experiências em grandes competições e um grande mentor por trás de tudo. Todos os clichês midiáticos com os quais esse blog não se ocupa muito. O resultado negativo do Sport no último jogo não necessariamente reflete a qualidade que o elenco tem. E certamente a necessidade de vencer depois desse resultado adverso faz o time ainda mais forte.

Mas chegamos aqui. E se estamos aqui é porque merecemos.

Com uma invencibilidade de seis jogos, Charles Muniz terá algumas dificuldades para montar o time que vai entrar em campo. Não poderá contar com Yuri e nem com o reforço de Jefferson Maranhão. Outras dúvidas ainda são com nossos principais atacantes Cesinha e Thiago Laranjeiras, os quais estão treinando mas ainda não foram confirmados para essa partida. Por outro lado, Gaibu e Bala estarão ainda mais descansados depois da maratona de jogos das últimas semanas. Sem o jogo do fim de semana Charles Muniz também teve tempo para ajustar o posicionamento dos jogadores e treinar bolas paradas. Esta pode ser uma arma Alviverde para o confronto desta quarta.

Nas últimas duas partidas do América na Ilha do Retiro o Sport teve seu quinhão de dificuldades. Em 2012 o América conseguiu arrancar um empate em noite inspirada de Adson que fechou o gol Alviverde e segurou o placar nulo até o fim. Talvez esse tenha sido o grande feito dessa péssima temporada. Já em 2011 o confronto entre América e Sport nos domínios leoninos foi o polêmico prelúdio daquele que viria a ser o campeonato mais agitado dos últimos anos. A arbitragem lamentável e atrapalhadamente inesquecível prejudicou o América dentro de campo e fora de campo o torcedor foi constrangido por erros bizarros da administração do estádio. A história está aí para que esses fatos não se repitam, mas de alguma maneira alguém sempre dá um jeitinho de tentar fazer as coisas erradas. O preço do ingresso para os visitantes foi anunciado pela bagatela de R$ 60,00, digna de jogos internacionais. Em tempos de crise e com um jogo começando às 21:30 fica difícil esperar uma grande audiência no estádio.

De qualquer forma, agora também é hora de festejar. O América conseguiu os objetivos que vinha perseguindo há dois anos: ter um calendário completo, voltar a uma competição nacional e disputar jogos com a cobertura da imprensa. Este último objetivo fundamental para tentar mostrar os valores conseguidos com o trabalho das categorias de base nos últimos quatro anos, que entre outras coisas rendeu um vice-campeonato estadual em 2016. Yuri, Márcio, Gláuber, Jackson, Nunes e outros terão a oportunidade de disputar uma competição em nível maior e mostrar seus potenciais. Para os mais experientes, talvez seja a hora de um novo desafio, daqueles que nos fazem respirar fundo e ter vontade de trabalhar ainda mais depois de tanto já ter feito.

Vamos torcer Americanos! Nosso título particular já conquistamos, agora é hora da volta triunfal.


2 comentários:

  1. boa tarde! Vcs tem o número total de confrontos de Sport x Mequinha? E quantos Sport ganhou, quantos o mequinha e empates?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 290 jogos
      194 vitórias Sport
      43 empates
      51 vitórias America
      2 resultados desconhecidos

      Primeiro jogo: Sport 2 x 3 América (09/04/1916, British Club)
      Último jogo: América 2 x 4 Sport (10/03/2012, Ademir Cunha)

      Excluir