domingo, 20 de março de 2016

O que passa, América?

Nova goleada no Arruda. Sem mais | Foto: Bobby Fabisak /JC Imagem

Faltou de tudo um pouco: confiança, qualidade, sorte, calma, paciência e gols. Bom, na verdade gols não faltaram, mas infelizmente não entraram nas redes adversárias e sim nas nossas. E isso nas ultimas três rodadas vem sendo a tônica das partidas do Alviverde da Estrada do Arraial. Da primeira partida diante do Salgueiro até aqui sofremos quinze gols e marcamos apenas um. Resultado que mostra a fragilidade do time ou a falta de confiança dos que vestem a camisa do esmeraldina.

Diante do Sport no Arruda, vimos novamente um time limitado e com muitos desfalques. Infelizmente a derrota diante da equipe rubro negra foi questão de tempo. E nem precisou muito pois assim como nas últimas partidas o primeiro gol adversário saiu com menos de três minutos de jogo. Detalhar os 90 minutos da partida é cair no mesmice das ultimas três rodadas.

O pior é pensar que a derrota contra o Sport, mesmo de goleada, não assusta. Assusta o quão comum virou ser goleado e quanto isso não causa mais surpresa. E isso não é bom. No Arruda, o Periquito entrou na roda criada pelo Leão e de lá não saiu. De equipe sensação no Hexagonal do Título, transformou-se num bobo eterno deste Pernambucano, uma piada de mal gosto para quem esperava mais do América. Deixou para trás um time que jogava pensando no coletivo e agora mostra a todos um futebol inconsistente e pouco produtivo.

Será que muda? Será que tem jeito? Respondendo e restringindo apenas no Campeonato Pernambucano tudo dependerá do Clássico das Emoções. Uma derrota tricolor no Arruda neste domingo ainda deixa o América em igualdade para a próxima sábado diante do Santa Cruz na Ilha do Retiro e, pelo menos matematicamente, as chances continuarão existindo sem realizar qualquer façanha do outro mundo para garantir a classificação para semifinal. Resta saber o que os nossos representantes que entram no gramado querem para o clube e, particularmente para cada um deles, para os seus currículos. 

E ainda nos dois questionamentos acima, ampliando a  resposta para algo maior que está por vir que é a Série D do Brasileirão: pra que este time não vire "café com leite" no campeonato brasileiro, há muito o que fazer. Talvez seja por isso que a diretoria do América mudou o comando do time, tirando o comando de Charles Muniz  para o já conhecido técnico Paulo Junior. Como justiça e futebol são palavras que nem sempre cabe no mesmo contexto, vamos torcer pra que esta mudança sirva como algo positivo e mude a forma do elenco nestas ultimas rodadas restantes no segundo turno.

A grande tarefa, agora, é aproveitar a mudança de comando e buscar dias melhores na Estrada do Arraial. E principalmente, não escurecer nas dificuldades que com toda certeza irão aparecer. Quem sabe assim o América consegue acordar para a vida e dar um pouco de alegria para o torcedor. Um América forte é bom para todos.

FICHA DO JOGO
AMERICA: Delone; Da Silva, Danilo Cirqueira, Carioca e João Victor (Thiago Laranjeira); Danyel, Kletinho, Ewerton Bala e Alex Gaibu; Nunes (Márcio) e Cajá | Técnico: Charles Muniz.

SPORT: Danilo Fernandes; Samuel Xavier, Henríquez, Durval e Renê; Rithely, Serginho, Luiz Antônio, Lenis (Everton Felipe) e Gabriel Xavier (Maicon); Túlio de Melo (Vinícius Araújo) | Técnico: Paulo Roberto Falcão. 

Local: Estádio do Arruda | Árbitro: Deborah Cecília. Assistentes: Albert Júnior e Marcelino Casto. 
Gols: Durval (2"1T), Túlio de Melo (8"2T), Henríquez (22"2T), Serginho (25"2T) | Cartões amarelos: Nunes e Carioca (América); Rithely (Sport)

0 comentários:

Postar um comentário