domingo, 27 de março de 2016

Seguimos vivos e fortes

Empate que vale muito na ultima rodada | Foto: Andre Nery/JC Imagem

Jogue a primeira pedra aquele jornalista, cronista, radialista ou o que quer que seja que acreditava que o América chegaria tão longe neste Campeonato Pernambucano. O Alviverde da Estrada do Arraial empatou na Ilha do Retiro, conquistou um ponto, mas, ganhou mais que isso. Ao enfrentar o atual campeão estadual, o time esmeraldino entrou em campo com a proposta de não sair derrotado. E tinha justificativas para isso. 

Arrisco dizer que uns 70% dos que "trabalham" comentando futebol não ligaram para isso, mas a partida entre América e Santa Cruz era um confronto direto pela quarta vaga da semifinal. Arrisco porque só vieram a comentar ou lembrar do fato no intervalo de jogo, quando o Clássico da Amizade terminou com um empate sem gols. Nada fora do comum de uma imprensa que vive a serviço dos outros três clubes da capital.

Fazendo a sua reestreia a frente do América, o técnico Paulo Junior ousou e modificou praticamente todo o time base que vinha sendo trabalhado com Charles Muniz. A defesa não sofreu grandes alterações, com exceção do trio de zaga formado por Yuri, Marcio e Danilo Cirqueira, sendo apoiados por Ricardinho e João Victor nas laterais. No meio de campo Gaibú deu lugar a Nunes e que junto com Laranjeiras e Danyel, formaram o meio de campo. E no ataque, Carlinhos Bala entrou de frente e segurou a barra até os 30 minutos do segundo tempo, ao lado de Odair.

Diferentemente dos últimos jogos, o time voltou a ser aquele time forte da defesa e com espírito de luta. E melhor do que isso: o time veio com uma marcação mais encorpada com o meio campo marcando e atacando, tentando forçar erros na saída de bola do Santa Cruz e evitando deixá-los criando oportunidades próximo a meta de Delone. Mesmo com esta atenção, o Periquito pode contar com a sorte aos 20 minutos de jogo. No vacilo na esquerda com Nunes, Wallyson cruzou a bola na medida e Grafite furou finalização com a perna esquerda. Na sequência do lance, o Santa Cruz teve outra oportunidade novamente pela esquerda, em um lance praticamente idêntico ao primeiro. No lance, Keno furou mas a sobra ficou novamente para Grafite, que chutou em cima de Delone. Ainda no primeiro tempo o América também criou algumas oportunidades de abrir o placar. Aos 34 minutos em cobrança de falta Marcio bateu falta com perigo e, aos 45 minutos, Odair recebeu belo passe, ficando cara a cara com Tiago Cardoso, mas arbitragem marcou impedimento inexistente.

Veio o segundo tempo e o América voltou melhor e mais ofensivo. Na volta do intervalo, Nunes deu lugar para Gaibu. A mudança deu ao América mais velocidade na armação dos contra-ataques, sem perder o empenho na marcação. E por muito pouco o América não abria o placar com Odair. Aos 21  segundos do tempo complementar, Danyel achou Odair livre no meio da defesa coral e o atacante só não abriu o placar porque faltou calma. O Santa Cruz tentou responder a altura, sempre procurando Grafite, mas neste jogo a sua sombra era Marcio, que estava praticamente impecável, sem dar chance ao centroavante coral e, quando superava o trio de zaga esmeraldino, esbarrava nas mãos de Delone, responsável por evitar que o placar fosse aberto por Daniel Costa e Raniel na ultima chance do Santa Cruz.

Com a mesma quantidade de vitórias que o Santa Cruz, o América agora necessita vencer o Central lá em Caruaru e torcer pela derrota dos tricolores diante do Sport na ultima rodada. A vitória diante da Patativa na Capital do Forró e um eventual tropeço tricolor no Clássico das Multidões coloca o América o Periquito com os mesmos dez pontos que a Cobra Coral, mas com a vantagem de uma vitória a mais. Algo imprevisível para muitos, mas palpável para quem crê e segue acreditando no América. É verdade que falta muito para voltarmos a brigar pelo topo, principalmente na estrutura e financeiramente comparando com os clubes có-irmãos,  mas dentro de nossas reais necessidades, mostramos que com vontade e organização o Davi pode derrotar o Golias. Se manter essa pegada a gente chega. Caruaru nos espera e a semifinal é logo ali.


FICHA TECNICA: América 0x0 Santa Cruz
Estádio: Ilha do Retiro, Recife | Público: 1.148 | Renda: R$ 13.500,00
Árbitro: Émerson Sobral. Assistentes: Elan Vieira e Francisco Chaves. 

AMÉRICA: Delone; Ricardinho (Dentinho), Yuri, Paulo Márcio e João Victor; Danilo, Danyel, Nunes (Gaibu) e Thiago Laranjeira; Odair Silva e Carlinhos Bala (Victor). | Técnico: Paulo Júnior.

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; Vítor, Alemão, Leonardo e Allan Vieira; Wellington, Uillian Correia e João Paulo; Wallyson (Leandrinho), Keno (Raniel) e Grafite. | Técnico: Adriano Félix

CARTÕES AMARELOS: João Victor, Delone e Odair (Améria); Wellington, Uilliam Correia (Santa Cruz)


Um comentário:

  1. Gostaria de saber porque não estão dando oportunidade ao lateral esquerdo WESLLEY? O mesmo foi titular absoluto e campeão na copa Pernambuco de novos talentos em Itaquitinga.titular absoluto e vice_ campeão pernambucano sub 20 e titular absoluto na copa SÃO PAULO de juniores!!. Sr.Paulo Jr.e Sr.Presidente olhe mais um pouco pra base.coloquem o garoto WESLLEY pra jogar que é 10 vezes melhor do que esse JOÃO VITOR. Esse é muito fraco!!.

    ResponderExcluir