terça-feira, 12 de abril de 2016

AMERICA'S OLD PLAYERS: O ATACANTE OSEAS

Em mais uma edição da coluna America’s Old Players do Blog do Mequinha, vamos contar a história de mais um grande jogador da história do América. Trata-se do célebre Oseas, grande artilheiro dos anos 1940 e que ajudou o clube a conquistar o seu último título de campeão pernambucano.
Oseas e seus colegas de América/PE na década de 1940.
Oseas José dos Santos nasceu em 21 de fevereiro de 1923 na cidade de Correntes (na microrregião de Garanhuns e a 258 km do Recife), sendo filho do Sr. Francisco José dos Santos e da Sra. Amélia Calado de Melo. Aos 16 anos de idade se mudou junto com a família para a cidade de Garanhuns, onde ajudou o pai num estabelecimento comercial na Rua 15 de novembro em frente à conhecida Praça Dom Moura no centro da cidade. Nesta época, mesmo contra a vontade do pai, Oseas mostrava seu talento com a camisa da AGA (Associação Garanhuense de Atletismo) em amistosos e em jogos da Liga Municipal de Futebol. A história conta que em algumas ocasiões, seu avô o trancava no quarto para impedir que o neto “corresse atrás de bola”, pois, sabemos muito bem que a prática de futebol era marginalizada por um setor mais conservador da sociedade, entretanto, Oseas costumava escapar por uma saída que dava nas galerias e chegava a tempo de defender a AGA contra seus maiores adversários, que eram o IAC do bairro Heliópolis, o União e claro, o Sete de Setembro.
Casa em Garanhuns onde Oseas ajudava o pai comerciante em fins dos anos 1930.
Em 1940, um amigo chamado Agenor o convidou para vir a Recife jogar profissionalmente pelo Sport Club Flamengo, primeiro campeão pernambucano em 1915, mas, depois de algumas partidas, resolveu voltar a Garanhuns, pois o clube “Quartel de Chuteiras” do Tenente Alberto Colares não conseguia saldar suas dívidas com os atletas. Dois anos mais tarde, Oseas foi contratado pelo América do então presidente Rubem Moreira, onde se constituiu como um dos maiores jogadores de todos os tempos.
O América de 1949. Álvaro Barbosa (treinador), Pedrinho, Capuco, Astrogildo, Lucas, Leça, Deusdedith e Rubem Moreira (presidente). Zezinho, Julinho, Valdeque, Edgar e Oseas.
            Dentre os inúmeros gols marcados por Oseas vestindo o manto alviverde, podemos destacar dez daqueles que ficaram por muito tempo na mente do torcedor:
O 2° gol do América na vitória por 4x2 sobre o Portela/PE em 20/08/1944.
O 1° e o 3° gols marcados na final do campeonato de 1944 contra o Náutico (3x0 para o América, que se tornou campeão) em 18/02/1945.
O 1° gol marcado na vitória por 2x1 contra o Fortaleza/CE no dia 15/07/1945.
O 5° gol na vitória por 6x2 contra o Maranhão/MA em 24/07/1945.
O 1° e 2° gols na vitória por 3x2 contra o Sampaio Corrêa/MA em 26/07/1945.
O 2° gol na vitória sobre o Portela/PE por 3x2 em 13/09/1945.
O 1° gol no empate em 2x2 contra a Portuguesa/SP em 10/06/1946.
O 2° gol na vitória por 4x2 sobre o Sport em 07/07/1946.
Oseas, então aposentado, em Garanhuns.
            A Portuguesa/SP, o Botafogo/RJ e o Bahia/BA se interessaram pelo jogador, mas, a falta de acordo financeiro entre os clubes interessados e o presidente Rubem Moreira, causaram a frustração do atacante alviverde, que resolveu voltar ao amadorismo em 1949, voltando a defender a camisa da AGA de Garanhuns até 1960, salvo o ano de 1952, quando jogou o Campeonato Alagoano pelo CSE de Palmeira dos Índios.
CSE/AL em 1952. Foca, Dirceu, Paulo, Índio, Bené e Lolô. Baiano, Netinho, Moraes, Tonheiro e Oseas.
            O ídolo Oseas faleceu aos 84 anos de idade no dia 1 de fevereiro de 2008 e seu corpo foi sepultado no Cemitério São Miguel em Garanhuns, enlutando o verde do clube da Estrada do Arraial.
O ex-jogador do América, Oseas.



0 comentários:

Postar um comentário