sábado, 16 de julho de 2016

A hora da verdade



Mais uma vez este ano o América está diante de uma decisão que é histórica, o que nos deixa muito felizes. Histórica pelo adversário com uma linda tradição e pelo momento, a primeira vez que estamos em um campeonato nacional depois de tantos anos. Agora é hora de saber se seguimos na luta do sonho do acesso ou se ficamos no caminho.

Nosso adversário vem embalado por dois bons jogos, um que culminou com uma "surpreendente" vitória diante do Globo. Surpreendente para o distraído, pois mesmo perdendo para o Sousa o Galícia havia feito uma grande partida e diante do Globo, na semana passada, ratificou sua evolução e mais ainda, colocou fogo na disputa pela classificação no grupo A7. Mas o Galícia não tem mais chances de avançar para a segunda fase.

O América parece estar no caminho inverso. Perigosamente e assustadoramente para a torcida Alviverde. Depois de um começo fulminante e muito consistente o time sentiu a pressão contra o Globo e o Sousa. Mas o jogo do último sábado não pode ser tomado como referência. Os fatos lamentáveis durante a partida, não registrados pelo árbitro mas pelo Blog do Mequinha, tiveram sua influência crucial no resultado.

Sem grandes novidades Paulo Jr. deverá repetir o time básico dos últimos jogos e apostará suas fichas num esquema mais ofensivo, treinado ao longo da semana. Mas certamente as variações táticas não serão tão profundas assim. O América não pode pensar em outro resultado que não seja a vitória. Todos os esforços são necessários. Vencendo, o Alviverde torce para o Sousa não triunfar diante do Globo, em Ceará-Mirim.

O torcedor tem motivos de sobra para comparecer e alguns não relacionados com o jogo em si. Mas quem tem qualquer afinidade com o América  tem milhões de motivos para trazer sua esperança para as arquibancadas do Ademir Cunha nesta tarde-noite de domingo.


5 comentários:

  1. acho q povo de paulista nao gosta de futebol ou deve ser o horario concorrendo com jogos da primeira divisao?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é uma boa pergunta pro Depto de Marketing do América. Acho que falta uma divulgação mais 'agressiva' dos jogos nos arredores da cidade. Há várias maneiras de se divulgar um evento, desde carros de som, promoções a sorteio de ingressos por comerciantes locais em parceria com o clube

      Por outro lado concorrer com Sport x Grêmio complicou bastante, mas posso garantir que boa parte dos 325 mil residentes de Paulista respiram futebol

      .
      .

      Excluir
    2. Opa, Argel! Não sei se você acompanha o dia a dia do América aqui pelo blog e pelas suas mídias sociais, mas todas estas atividades citadas por você o América já fez.

      Na primeira partida onde o adversário foi o Sousa-PB, o clube bancou o preço do ingresso de R$ 5, abaixo do imposto pelo regulamento da CBF, onde o mínimo é R$ 10. Na segunda partida diante do Globo-RN em casa, o América colocou carros de som durante cinco dias pelas ruas do Paulista. E agora na ultima partida o clube fez sorteio de vários brindes (bolas, cestas de produtos, bicicleta e jantar com acompanhente no Spettus). O proprio banner publicado nesta postagem aborda isso!!! Sem contar que mais uma vez somado a divulgação com carro de som pela cidade, contando ainda com divulgação pela internet e imprensa de modo geral.

      Infelizmente mesmo com todo esta forma de chamar o publico, não mudou nem um pouco, pelo contrário, curiosamente o publico só diminuiu. Foram 300 pagantes contra o Sousa, 264 contra o Globo e 207 diante do Galicia.

      Excluir
    3. Washington, obrigado pelas informações. Leio alguns tópicos do Blog, mas não necessariamente todos. Mesmo assim, acompanho o Blog e o twitter quase todos os dias

      Se possível, gostaria que você me informasse caso saiba em detalhes, sobre as rotas que esses carros de som trafegaram

      Não sei se você conhece a fundo o mapa da cidade de Paulista, mas vou fazer uma análise rápida de como imagino essa divulgação por carros de som; No entorno do Ademir Cunha localiza-se o bairro da Aurora e centro da cidade, que tem poucos residentes e é uma área mais comercial. Não vejo muita vantagem em colocar carro de som nesse pequeno território

      A meu ver, o público alvo do América está nos bairros mais periféricos e populosos, a exemplo de Paratibe, Jardim Paulista, Arthur Lundgren e Maranguape. Não sei se os carros de som trafegaram por essas áreas. Moro no exterior, mas tenho parentes e amigos em Paulista, que sempre me informam tudo o que acontece e o que eles presenciam na cidade

      A 1º prospecção de novos torcedores, acredito que deve ser nessas áreas que citei, em seguida nas cidades vizinhas ao norte. Mais isso é uma etapa mais adiante

      Excluir
    4. Argel, desconheço a rota, mas passaram por boa parte destes bairros. Infelizmente o baixo publico do América se passa por dois cenários: a atual crise econômica e a falta de apoio por parte dos grandes veículos de imprensa. Quando havia um clube do trio de ferro na Série D a competição era divulgada diariamente pelos veículos, já as demais... O América ainda sofre ainda mais com isso porque é suprimido pelos outros três clubes da capital, diferentemente do Serra Talhada e o Central conta com imprensa própria em suas regiões.

      Excluir