domingo, 22 de janeiro de 2017

Adeus, Hexagonal do Título


Encerrou neste domingo qualquer chance do América de participar do Hexagonal do Título, que iniciará no próximo domingo. É bem verdade que as chances eram remotas, mas enquanto há chance, existe nos corações esmeraldinos um pingo de esperança. Mas infelizmente esta foi apagada, após um empate chocho e sem gols diante do Afogados da Ingazeira, lá no sertão do Pajeú.

O América de Toninho Cobra necessitava não apenas de uma vitória, mas secar também o Flamengo de Arcoverde e o Belo Jardim. E nada deu certo neste domingo... primeiro porque o time da Estrada do Arraial não fez sua parte. E segundo porque Belo Jardim e Flamengo venceram Serra Talhada e Atlético por 1x0, respectivamente. Mesmo que o Periquito vencesse, os outros resultados culminariam na desclassificação antecipada do Alviverde.

Voltando ao gramado do Vianão, o que se ouviu pela Rádio Pajeú foram duas equipes perdidas em campo e sem qualquer criatividade. Isso pelo menos até o primeiro tempo de jogo, já que no tempo complementar a transmissão da rádio foi pro beleléu... talvez pra combinar com a nossa desclassificação a cereja do bolo do Campeonato Pernambucano, que é o Hexagonal do Título. 

Menos mal que ainda há uma chance para este time que é terceira vaga pra Série D de 2018. Com Salgueiro entre os três classificados, a terceira vaga pra quarta divisão do Campeoanto Brasileiro da temporada que vem será decidida no Hexagonal da Permanência. Nele o primeiro colocado ganhará um prêmio de consolação, três clubes irão salvar sua pele e outros ultimos colocados irão cair no fogo do inferno da Série A2.

Sem tempo pra lamentar (e pra treinar), o América pegará os 378 quilômetros de estrada que separam Afogados da Ingazeira do Recife e volta a campo nesta quarta-feira (25) para enfrentar o Belo Jardim, às 20 horas, pela ultima rodada na primeira fase do Campeoanto Pernambucano, sem qualquer pretensão. Será um treino de luxo para que Toninho Cobra já comece a pensar em como dar liga a este time no famigerado Hexagonal da Permanência.

América em desafio no sertão



América já está em Afogados da Ingazeira para enfrentar um duelo que pode garantir uma sobrevida na luta pelo hexagonal do título.

Depois da derrota para o Salgueiro na última quarta-feira no Ademir Cunha, o América tem pela frente o Afogados no Vianão, em partida que começa as 15:00. A suas chances matemáticas só se manterão se o América conseguir uma vitória. Mas para isso Toninho Cobra vai ter que superar as limitações técnicas e táticas do time. Ainda machucado, Diego Serra segue sendo uma dúvida para partida. O interessante é que Algodão e Índio tiveram participação nos últimos jogos e podem ser opções para começar o jogo neste domingo.

O Afogados somou dois pontos até agora e vai buscar sua reabilitação no campeonato. Precisa somar pontos para melhorar sua participação nesta fase do certame e diante de sua torcida é certo que buscará impor seu jogo para o América. A esperança alviverde reside no fato de que a única vitória obtida até agora veio de um jogo fora de casa.

É torcer neste domingo e tentar acompanhar o América através das rádios de Afogados da Ingazeira, as rádios Transertaneja FM e a rádio Afogados FM.

Força América, ainda dá.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Ficou mais difícil

A expectativa para o jogo ontem era muito boa e já estava na conta um esforço adicional para se aproximar do G3. Mas não foi o que aconteceu. O Salgueiro dominou e saiu vitorioso.

O Salgueiro começou pressionando a marcação e dificultando a saída de bola do América que já era limitada. O América com desfalques importantes demorou para se achar e equilibrar as forças. Com muita dificuldade na saída de bola o América quase não criava, enquanto o Salgueiro investia contra a permeável zaga americana. Mas foi numa tentativa de fora da área que o Salgueiro chegou ao gol. Depois de um rápido contra ataque, Willian Lira arriscou de fora da área e a bola desviaou na zaga e encobriu Waldisson. O América seguiu preso na marcação do Salgueiro e chegou poucas vezes ao ataque e no final do primeiro tempo após uma falha do sistema defensivo e uma bola mal espirrada por Glauber o Salgueiro empatou.

No segundo tempo o Salgueiro veio mais recuado e cedeu espaço ao América. Assim o América esboçou alguma pressão e levou perigo a meta Salgueirense. Mas não foi suficiente. Só Aos 41 minutos Diego Serra acertou uma bela cobrança de falta diminuindo para o América, trazendo alguma esperança. Mas para evitar surpresas o Salgueiro voltou a pressionar na marcação e em um contra-ataque fechou o placar aos 45 minutos.

Finalmente a torcida Alviverde reencontrou o time. Depois de tanta dificuldade para conseguir os laudos necessários, o Ademir Cunha voltou a receber público. Infelizmente a situação ficou mais difícil agora para o América. As três derrotas exigem que o América vença os próximos jogos e torça por uma combinação bem complicada de resultados para chegar ao hexagonal do título.

Mas a esperança seguirá até que não haja mais chances.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Eu confio no América!



O período sem ver o América em campo já está prestes a acabar. Com ingresso ao valor único de R$ 10 (dez reais), o velho Cunhão criticado enfim terá seus portões abertos para a torcida alviverde. E diante de um Salgueiro embalado, invicto e no qual necessitamos a qualquer custo superar todo este favoritismo que a estatística teima em esfregar em nossa cara. É assim que o América entra em campo logo mais. Não tem não, nem talvez! Com apenas três jogos restantes para definir um feliz 2018 ao América, a vitória é o único resultado que realmente importa.

Ao menos em questão de notícia e cobertura este talvez seja o melhor anos do América nos últimos trinta anos. É bem verdade que o campeonato é esdrúxulo, mas até aqui nunca se viu tanto jogo do América sendo transmitido. E depois de ver um América capengando nas duas primeiras partidas, a esperança voltou a reinar na Estrada do Arraial. Toninho Cobra chegou e em pouco tempo colocou sua filosofia em campo e o time deu conta do recado e mostrou ser um time bem diferente e com postura de equipe competitiva.

Campeonato bisonho, calendário mais ainda. A euforia da primeira vitória ainda corre em nosso sangue, mas a apreensão agora é diante do Salgueiro, que dispensa apresentações. É o líder isolado na classificação e com um elenco com um entrosamento que vem desde a temporada passada. Na história recente entre as duas equipes, o América jamais venceu os sertanejos. O ultimo confronto entre as duas equipes foi uma derrota por 3x0 no Cornélio de Barros. Mas isso fica apenas no campo estatístico e, mesmo que o Carcará tenha de certo modo um certo favoritismo, é nosso papel fazer o dever de casa e sair de Paulista vitoriosos.

Para a partida desta quarta-feira às 20 horas, Toninho Cobra só não terá à disposição o meia Diego Serra, lesionado na partida contra o Atlético e o zagueiro Vinicius, expulso no ultimo compromisso alviverde. Para a partida de logo mais, a FPF escalou Gleydson Leite no apito, aos lado dos assistentes Albert Júnior e Bruno Vieira e com Deborah Cecília sendo a árbitra reserva. 

Logo mais, meu caminho é rumo a Paulista. E espero que o seu seja também.

domingo, 15 de janeiro de 2017

O pulso ainda pulsa




Vencer é bom demais! E em um campeonato tiro curto como este Pernambuquinho, cada jogo é uma decisão. Vida de time intermediário não é fácil em Pernambuco. Em um campeonato maravilhoso como é este Campeonato Pernambucano, onde o Trio da Capital é imune de rebaixamento, os pobres clubes como o América se digladiam em seis pelejas para definir a sobrevivência para a temporada 2018 e ainda fazer um pé de meia para o prosseguimento da temporada 2017. No caso do Periquito, fazer umas economias para sua segunda participação na Série D e até mesmo no Pernambucano SUB-20. Não é fácil pro Mequinha e tudo se torna mais difícil quando meia duzia de americanos tenta fazer o impossível. Isso é a essência do América.

Só a vitória interessava ao América. Era tarde de estréia de Toninho Cobra, técnico paulista e que vinha com a dura missão de colocar novamente o Periquito nos trilhos. Não tinha outro resultado a não ser a vitória. E parece que o time entendeu bem a missão que teria no Paulo Petribu, pois aos dois minutos de jogo o time achou um gol. Em cobrança de escanteio, a bola encontrou o grandalhão Fabio Faquinha. O cara que é bom da cabeça apenas escorou a bola e correu pro abraço. Tava bom demais pra ser verdade! Gol do alviverde logo no primeiro ataque do jogo!

Outro esmeraldino que veio com a sorte brilhando pro seu lado foi o goleiro Waldson. Por volta dos 20 minutos de jogo o o arqueiro alviverde que sofreu com as criticas e a desconfiança da torcida após o terceiro gol do Central se redimiu contra o Atlético. O goleiro esmeraldino se esticou todo e tirou da jogada uma bola do atacante Edmilson, que parecia ter destino certo. Não bastou apenas este lance e lá esteve novamente Waldson defendendo um pênalti aos 42 minutos de jogo. Cheio de marra e muito migué, o meia Allan do Atlético chutou, mas a bola encontrou o goleiro do Mequinha. A sorte estava com o Mequinha neste domingo, que fechou o primeiro tempo com vitória parcial de 1x0 no Paulo Petribu.

No tempo complementar mais emoção esperava pelo América. Querendo buscar o empate, o o Atlético partiu com vontade pra cima do Periquito. E aos dois minutos do segundo tempo, o zagueiro Vinicius foi expulso com cartão vermelho direto. Mas o que parecia que seria uma chance para o Atlético ganhar mais espaços, o jogo tomou outro caminho. Logo após a expulsão Toninho Cobra não demorou muito e tirou o atacante Índio que fez a sua estreia na partida para dar lugar ao zagueiro Alemão. E mesmo com um atleta a menos em campo era o América que tinha mais posse de bola e criava a todo instante a chance de marcar o segundo gol na partida. O problema na vida do América que "quase gol" não é gol e, assim como no primeiro tempo, o Atlético teve novamente a oportunidade de buscar o empate em nova cobrança de pênalti. Mas a tarde era do América. E quem acredita em sorte, pode dizer também que a sorte estava com o time da Estrada do Arraial. Nova penalidade a favor do Atlético e que foi desperdiçada, arremessando a bola pra fora do gol de Waldson.

Se o Atlético não foi competente em empatar a partida com dois pênaltis a seu favor, o sistema ofensivo do América surpreendente na tarde deste domingo. E o caixão do Atlético foi fechado aos 39 minutos, quando Wallacy ganhou a disputa de uma bola na altura do meio de campo e, em contra-ataque veloz acreditou na jogada e cruzou para para Danyel. O volante esmeraldino atento na jogada e viu Fábio Faquinha em condição favorável e com inteligência, lançou para o artilheiro do Campeão do Centenário fazer o segundo gol na partida e o terceiro gol no estadual. Era o gol da vitória do Alviverde da Estrada do Arraial e os primeiros três pontos no certame!

Euforia a parte, agora é hora de pensar na próxima decisão do América neste Campeonato Pernambucano. O Periquito segue vivo em busca da classificação para segunda fase e tem pela frente o Salgueiro, quarta-feira, às 20h no Estádio Ademir Cunha, em Paulista, pela quinta rodada. Páreo duro onde o Periquito de Toninho Cobra terá que fazer ainda mais para passar pelo até aqui, invicto Carcará.

O jogo

Amanhã o América entra em campo para disputar sua terceira partida. Metade da primeira fase será traçada amanhã e o resultado deverá definir o destino do Verdão na competição.

Uma hora antes de o América jogar com o Atlético em Carpina, o Serra Talhada entra em campo contra o Vitória no Carneirão e essa pode ser uma partida muito importante para o Alviverde. O Serra Talhada está na briga para atingir o líder Flamengo junto com o América e dependendo do resultado amanhã o América pode tomar a posição do time de Serra Talhada.

Mas para isso o América vai ter que superar a apatia e desorganização demonstradas nas duas primeiras partidas, o que levou a diretoria a tomar medidas urgentes e substituir o comando técnico e contratar alguns reforços. Toninho Cobra chegou para dirigir a equipe e desde terça-feira trabalhou com o elenco em dois horários buscando aprimorar todos os setores da equipe. Um dos reforços pretendidos já treinou com o elenco e está a disposição para estrear no ataque do Alviverde, o nome dele é Índio. Foi formado na base do Náutico, teve passagem pelo Salgueiro e pelo futebol do Ceará e Piauí. O outro é um velho conhecido nosso: Algodão. Esteve com o América em diversas ocasiões e vem para reforçar o meio-campo.

O nosso adversário Atlético vem de três empates e é uma equipe forte em casa. Com um reconhecido trabalho de base que gerou equipes competitivas, leves e ágeis, é uma equipe que sempre trava duelos equilibrados com o América.

Infelizmente o jogo será de portões fechados em Carpina. A nossa torcida mesmo que quisesse não poderia acompanhar o América das arquibancadas. Mas toda a torcida vale para acompanhar essa partida que tem cara de decisão para o América.


terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Novo treinador e trabalho pesado



A semana começou com mudanças para o América. Um novo treinador foi anunciado e os trabalhos serão intensificados com duas seções diárias de treino.

Toninho Cobra é o novo treinador Alviverde desde ontem quando a diretoria chegou a um acordo com Zezinho Costa e este fechou sua passagem pelo América. Toninho Cobra tem muito experiência no futebol do Sul e Sudeste do Brasil e é uma tentativa de inovação do América para tentar se recuperar no estadual que é de tiro curto. Toninho Cobra terá quase uma semana de trabalho para tentar mudar a postura e efetividade do time, pois o América só volta a campo no domingo para enfrentar o Atlético Pernambucano no Paulo Petribu.

Para ter tempo de fazer os ajustes necessários a diretoria anunciou que essa semana os trabalhos serão em dois turnos. Além disso, estão em avaliação reforços para setores específicos como o meio-campo e as laterais.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Mais uma derrota no certame



Domingão foi dia de jogo do Periquito. E quem queria acompanhar o Mecasso no Ademir Cunha, acabou tendo que se contentar por assistir pela internet ou ouvir através do radio. Estádio pintado de verde, gramado longe do ideal e sem a sua torcida, o América novamente desapontou e saiu derrotado de campo, desta vez, diante do Central Caruaru, que nada tem a ver com nossas limitações e sapecou em Paulista três gols na meta alviverde.

Verdade seja dita, o time mostrou uma certa evolução se comparado com a péssima partida realizada na estreia, mas ainda sim, ficou bem abaixo do esperado. Apesar da defesa apresentar uma atenção maior e o meio de campo mais compacto, o grande volume de jogo demonstrado no primeiro tempo de partida não resultou lá em grandes oportunidades para abrir o placar. 

Chance mesmo das boas, só com Jonatas Rei, que entrou no segundo tempo e perdeu um gol incrível. E a bola puniu. O Central que fazia a sua estréia no certame conseguiu achar três gols na meta do arqueiro esmeraldino, duas vezes com Lessa aos 18 e 32 minutos da etapa complementar. Faquinha, com seus quase dois metros de altura, conseguiu criar alguma esperança do empate aos 43 minutos, mas logo em seguida, de falta, Altemar colocou mais água no chope do Periquito e de quebra, deixou a lanterna com o América.

Com uma primeira fase de tiro curtíssimo, o América agora tem quatro rodadas para continuar sonhando com o Hexagonal do Título. Algo complicado, mas não impossível. Sorte a do Periquito que nesta terceira rodada que será realizada na quarta-feira o time folga e só voltará a campo no domingo (11), às 16h, no estádio Paulo Petribu, na cidade de Carpina, pra enfrentar o Atlético. Zezinho vai ter que mostrar serviço, ou a situação do Periquito ser de tempestade na Estrada do Arraial.

sábado, 7 de janeiro de 2017

De portas fechadas



O América entra em campo em busca de se reabilitar diante do Central neste domingo. O jogo vai ser no Cunhão, mas não vamos poder assistir.

Infelizmente os últimos laudos do corpo de Bombeiros não saíram em tempo para a realização dessa partida e como medida de segurança a torcida Alviverde vai ter que esperar mais um pouquinho para ver seu time jogar. Uma decisão da diretoria para evitar maiores transtornos para a praça e para o clube. Mas a torcida vai ter o privilégio de ver o jogo ao vivo pela internet.

O América vai enfrentar o estreante Central, o único que não jogou até agora. Com um time que recebeu mais investimento e vem se preparando firme, o Central vem empolgado para sua estreia sob o comando de Laelson Lima. O América por seu lado tenta se rearrumar com baixas vindas da última partida. Tanto Diego quanto o treinador Zezinho Costa foram expulsos e não estarão entre os escalados. Por outro lado, alguns jogadores foram regularizados e poderão estrear reforçando a equipe.

O América buscou se reorganizar no seu padrão de jogo para enfrentar o Central. A partida em casa traz uma esperança maior, pois o peso do mando é mais óbvio devido às dificuldades geradas pelo campo de jogo, como foi contra o Vitória. Porém, a partida promete ser muito equilibrada.

Vamos torcer, mesmo que atrás de uma tela de computador.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

A velha perseguição com o Cunhão

Se não está perfeito, o Cunhão tem condições de jogo comparado a outros estádio de Pernambuco. Melhor seria uma avaliação mais profunda sobre a infraestrura do futebol pernambucano

A novela se repete: a imprensa marrom de Pernambuco vai ao ataque, mas contra o velho Ademir Cunha. O Cunhão tá cansado de tanta pancada e tá na hora de dar nomes aos bois.

Em 2016 o América disputou a primeira fase do campeonato pernambucano no Ademir Cunha, que na época apresentava condições ruins mas que foram consideradas suficientes pela FPF. O América avançou e estreou no hexagonal do título contra o Central no Ademir Cunha, vencendo. Veio a segunda partida e outra vitória diante do Sport, na Ilha. Estava tudo certo para o retorno ao Ademir Cunha para a terceira rodada, agora contra o Náutico. Foi aquele desespero. A imprensa foi até lá, tirou fotos de outros lugares e plantou que o Ademir Cunha não tinha condições para nada. Em uma matéria veiculada na TV, foi feita até uma chamada e imagens do antigo Olindão anunciando como o Ademir Cunha! A FPF pressionada resolveu intervir. Desconsiderou sua decisão anterior e interditou o estádio. O América ficou sem casa!

Em 2016 a FPF não se eximiu e financiou uma reforma do gramado. O Ademir Cunha recebeu também reforma estrutural bancada pela diretoria Esmeraldina e antes da metade da segunda fase do pernambucano tudo estava pronto. Mas a FPF bateu o pé e o América só voltou a entrar no estádio para jogar a série D.

Quatro... repetindo, quatro jogos da série D, o América disputou depois da reforma no Ademir Cunha em 2016. Depois disso, usou mais algumas vezes o estádio para disputa do sub20: 3 jogos na primeira fase e mais 3 jogos na segunda fase. Em todo esse tempo, sem direito a usar o campo para treinar.

Nunca nos cansaremos de repetir: o América bancou corajosamente, o retorno do Ademir Cunha como praça esportiva de Pernambuco em 2010. Disputou o PE2011 e depois disso o estádio serviu ao Salgueiro na sua passagem pela série B. Em todos os anos a mesma história se repete. O América banca limpeza, reformas, atende exigências e no final sai prejudicado. Mais de uma equipe usou o Ademir Cunha para disputar a A2 em 2016, o campo era usado como centro de treinamento de outras equipes e no apagar das horas do fatídico ano passado, peladas estavam sendo disputadas no Ademir Cunha. Enquanto isso, o América passou boa parte do ano impedido de usar o gramado sequer para treinar. Agora a imprensa com seu velho ranço, vem expor uma história parcial cujo o único resultado será prejudicar o América.

Em tempo e como a própria imprensa pernambucana noticiou, o Cunhão está recebendo um trato especial para atender as demandas desse campeonato pernambucano. Americanos que se entregam de corpo e alma vem tentando junto com a prefeitura do Paulista arrumar a casa para receber a pequena, porém corajosa, teimosa e esperançosa torcida Alviverde.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Estreia amarga

América de Zezinho Costa sofre primeira derrota no estadual |  Foto: Luciano Abreu/Vitoria

O América entrou em campo nessa tarde para enfrentar o Vitória na sua primeira partida pelo campeonato pernambuco 2017. O resultado foi muito ruim. Saímos derrotados por 3 a 0 e agora as desconfianças começam a pesar.

O time se defendeu relativamente bem no primeiro tempo. Mas não foi o suficiente para evitar o placar desfavorável antes intervalo. No retorno, tentou de todas as formas chegar ao gol do Vitória. O goleiro adversário fez duas boas intervenções antes de que o Vitória ampliasse o placar após um contra-ataque. O América continuou indo para cima, mas sem muita coordenação e dando espaço para as investidas rápidas e objetivas dos donos da casa. Numa dessas levou o terceiro gol.

A derrota preocupa. Nesse sistema quanto menos perder melhor, uma vez que não haverá a possibilidade de confrontos diretos com os outros candidatos do mesmo grupo. Além da derrota o América viu o Flamengo de Arcoverde vencer e abrir a dianteira.

Agora é corrigir os erros, controlar a ansiedade e correr atrás de uma vitória em casa no próximo domingo.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

América estreará mais cedo

O horário da partida de estreia do América no Carneirão foi adiantado para as 15:00 hs à pedido da direção do mandante. A diretoria do Vitória também anunciou o valor dos ingressos que custarão R$ 10,00. A partida entre as duas equipes será arbitrada por Gilberto Castro com o auxílio de Charles Rosa e Cleberson Nascimento.

Em breve traremos a prévia desta partida.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Feliz 2017!

Elenco Alviverde em concentração na fase preparatória. Créditos: @americafcpe

O novo ano começou e com ele mais esperança de um ano bom. Mas as pedras no caminho são velhas conhecidas.

Zezinho Costa trabalhou duro com seus comandados nos últimos dias. As seções de treinamento se estenderam até o feriado e três jogos-treino foram disputados. Nos três, contra os times sub20 de Santa Cruz, Náutico e Sport, o América se saiu vencedor. Placares magros, mas suficiente para observar a movimentação do elenco e para Zezinho Costa definir sua estratégia de estreia.

O trabalho da diretoria é pesado. Diante da crise tenta-se administrar o máximo possível para colocar o time em campo e ser competitivo. A lição de 2016 foi mais do que positiva. Esperamos que ela se repita em 2017. Fora isso, parece que mais uma vez a novela Ademir Cunha vai se repetir. Mesmo com a reforma que privou o América até de treinar no campo que vem utilizando desde 2010, o gramado se deteriorou pela administração equivocada do espaço. Agora, novamente o clube da Estrada do Arraial vai pagar o pato.

Esse é o nosso cenário. Vamos retomar com mais frequência as postagens já que a bronca começa quarta-feira. E que comecemos com o pé direito.