quarta-feira, 14 de março de 2018

Um dia perfeito pra fazer história



É consenso amplo que chegamos muito longe. Superamos pelo menos três objetivos: manter-se na A1, ficar entre os oito primeiros e conseguir uma vaga na série D. É muito? Não para os Americanos e seu time.

Superamos muitos desafios e soubemos aproveitar os momentos certos para conseguir essas superações. Nos bastidores isso foi conseguido com sangue, suor e lágrimas. Jogadores individualmente importantes foram desligados do time, como Bia e Tiago Bagagem. Mas suas saídas, ao invés de abalar o time o fortaleceram. O América deu um arranque forte em direção aos seus objetivos e se consolidou como um time competitivo. Nos últimos três jogos foram duas vitórias e um empate. Para este jogo, inclusive, alguns jogadores que se destacaram recentemente não entrarão em campo desfalcando consideravelmente o time. Entre esses estão Walter e Alemão. Os dois autores dos gols que garantiram nossa vaga na série D em 2019.

Vai ser difícil. Todo o favoritismo é do Central. Parte considerável desse favoritismo foi conquistada dentro de campo durante o certame. A outra parte vem do peso histórico de números de vitórias sobre o América e a última parte, a vulnerável, vem da cabeça limitada de nossa imprensa que já apresenta como certa a disputa entre Central e Sport na semifinal. Além disso, o Central joga em casa. O peso do mando de campo é fundamental nessa fase de disputa de apenas uma partida.

Mas, somos Americanos. Temos uma paixão gigantesca por esse time. E nas paixões não há espaço para a frieza da racionalidade dos números. Uma cruel verdade para o dia de hoje. Porém, essa é a mais pura realidade que serve de motor para os torcedores do América acreditarem sempre. 

E assim, contra qualquer prognóstico nós acreditamos.

0 comentários:

Postar um comentário