domingo, 5 de agosto de 2018

AMERICA'S OLD PLAYERS: O ATACANTE MARCOS PINTADO


Voltamos com a seção America’s Old Players e desta vez vamos falar sobre um atacante que se destacou com o manto verde do América de Recife. Estamos falando de Máximo Marcos Pereira Pontes, ou Marcos Pintado como era popularmente conhecido. Nascido em 03 de setembro de 1950 na cidade de pernambucana de Barreiros (distante 107 km de Recife) e filho dos Srs. Manoel Pontes da Silva e Maria Pereira da Silva, Marcos Pintado começou sua vida futebolística aos 16 anos atuando pelo time amador Central Barreiros.
Em 1968, aos 18 anos, assinou seu primeiro contrato como jogador profissional no Clube Náutico Capibaribe e fez parte do elenco que naquele ano conquistaria o hexacampeonato pernambucano. O Rio Negro de Manaus o chamou para a disputa do Campeonato Amazonense de 1970, competição na qual o alvinegro manauara encerrou na 4ª colocação, atrás apenas da Associação Atlética Rodoviária (já extinta), do Nacional e do campeão Fast Clube. Com a camisa do Rio Negro, destaca-se a vitória sobre o São Raimundo por 1x0 no dia 20/09/1970.
O Fast Clube queria o bicampeonato amazonense em 1971 e para isto, chamou Marcos Pintado para fazer parte do time. O Fast foi campeão do 1° turno e decidiu o título contra o Rodoviária, campeão do 2° turno. Depois de dois jogos, ambos, terminados em 0x0, o Fast Clube venceu o 3º jogo por 4x1 e faturou o bicampeonato. Em 1972, apesar da liderança de Marcos Pintado no meio campo, o Fast não conseguiu o tricampeonato. Chegou a final ao vencer o 1° turno, mas, contra o Nacional, campeão do 2° turno, a derrota por 1x0 em 05/07/72 barrou a conquista de mais um troféu.
Em 1973, foi contratado pelo Moto Clube de São Luís do Maranhão e com a camisa do rubro-negro maranhense chegou até o triangular final, mas, não conseguiu ajudar a equipe a superar o Ferroviário de São Luís e o campeão Sampaio Correa. O Alecrim de Natal o chamou para a disputa do Campeonato Potiguar de 1974, porém, apesar de vitórias como a de 3x1 sobre o Riachuelo em 13/11/74, o alviverde encerrou na 6ª colocação e teve que se contentar em ver o América de Natal levantar o título. No ano seguinte, o Alecrim foi melhor, mas, viu novamente o América/RN conquistar a taça.
Alecrim FC de 1974. Marcos Pintado é o segundo agachado. 
O Galícia de Salvador/BA o chamou para a disputa do Campeonato Baiano de 1976 e os “Granadeiros da Cruz de Santiago” encerraram o certame na 6ª colocação. Destaque para a vitória por 2x0 do Galícia sobre o Fluminense de Feira de Santana em 07/07/1976 com Marcos Pintado fazendo o primeiro e Luisinho o segundo gol. O Bahia naquele ano conquistou o tetracampeonato. De volta ao Alecrim em 1977, Marcos conseguiu levar o “Verdão Maravilha” à 5ª colocação, campanha marcada por vitórias como a de 3x1 sobre o Corinthians de Caicó em 17/08/77. Em 1978, trocou o Alecrim pelo Baraúnas de Mossoró e vestindo a camisa do time interiorano, conseguiu 6 vitórias em 19 jogos, entre elas a de 2x0 sobre o Força e Luz no dia 25/05/78.
Em 1979, foi contratado pelo Guarani de Juazeiro do Norte para a disputa do Campeonato Cearense. Com a camisa do “Leão do Mercado” obteve 21 vitórias em 48 jogos, com destaque para a de 3x2 sobre o Fortaleza em 22/04/79. Para o “Cearense-80”, o Icasa (rival do Guarani) o contratou e no “Verdão do Cariri” ajudou o time a conquistar 13 vitórias em 37 jogos, entre elas, a de 3x2 sobre o Ceará em Fortaleza em 08/10/1980.
O América do Recife, em 1981, o chamou. No time pernambucano, Marcos Pintado teve a oportunidade de jogar uma competição de nível nacional, a Taça de Prata, equivalente à segunda divisão do Campeonato Brasileiro. Em 21/01/81, o América do Recife empatou com o Náutico em 1x1 no Arruda com Marcos Pintado anotando o gol esmeraldino e uma semana depois, o América vencia o Confiança/SE num abarrotado Estádio Jefferson de Freitas em Jaboatão por 2x1, mais uma vez, Marcos Pintado fazendo o primeiro gol americano. A derrota em Arapiraca/AL para o ASA impediu que o América/PE passasse para a 2ª fase, na qual, enfrentaria grandes equipes do Brasil.
Gol de Marcos Pintado, o primeiro na vitória do América/PE contra o Confiança/SE no Estádio Jefferson de Freitas em Jaboatão dos Guararapes em 28 de janeiro de 1981
Em 1982 saiu do América/PE para o Sete de Setembro que disputaria o Campeonato Pernambucano. No time de Garanhuns, ajudou a equipe a conquistar 5 vitórias em 27 jogos, com destaque para a de 5x0 sobre o Íbis em 05/06/82. O CSE de Palmeira dos Índios o chamou para a disputa do Campeonato Alagoano de 1983 e lá fez parte do elenco que alcançou o 4° lugar, atrás apenas do ASA, do CSA e do campeão CRB. Em 1985 iniciou a sua vida de treinador no próprio CSE, porém, no comando do time de Palmeira dos Índios, Marcos Pintado alcançou apenas a 7ª colocação. Treinou ainda o Clube Atlético Potiguar no Campeonato Potiguar de 1985, o ASSU nos Campeonatos Potiguares de 1986 e 1987, o Alecrim de 1989 a 1991, o Corinthians de Caicó em 1996 e encerrou a vida de treinador no Baraúnas de 1997.
Hoje, mora no bairro de Nova Parnamirim em Natal onde, desde 2002 administra o Natal Futebol Clube, um reconhecido centro de formação de atletas da capital do Rio Grande do Norte.
 
Marcos Pintado no Natal Futebol Clube





2 comentários:

  1. Queria saber se é possível um grupo de empresários comprar o América. Como anda a legislação para que um clube possa ser comprado?

    ResponderExcluir
  2. simples, se faz uma assembleia, os socios aceitam a proposta e acabou-se. Os empresários assumem o passivo do clube e beleza.
    quanto vale o América?

    ResponderExcluir